Sobre blogs falsos

nov 16, 2006   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  2 Comentários

fried-egg.jpgO burburinho da campanha do Prisma foi para as cabeças. Reconheço a efetividade da campanha. Eu disse no outro post que eu era meio contra blogs de personagens fictícios, mas não disse que não poderia dar certo. Temos diversos exemplos (de relativo sucesso) na blogosfera: Moosetopia, Gourmet Station, esse aqui da Casa Bonduelle tem até foto dos diversos “falsos” blogueiros e gerou comentários.

Especialistas de comunicação, como o Steve Rubel, acham uma completa perda de tempo. Olhando do ponto de vista de que um blog de personagem fictício é um blog falso (porque é contrário ao senso de que temos sempre uma pessoa real por trás dos posts), um blog de personagem pode acabar se juntando inclusive aos Spam Blogs, ou Splog, a escória do universo blogosférico.

Não estou dramatizando, até porque a campanha da GM foi e é melhor que a da Fiat e seu Blog do Gino. Quem sabe com esse blog não podemos aprender como fazer blogs de personagens bem sucedidos?

Leia um pouco a respeito neste artigo.

Voltando ao contexto empresa. O blog corporativo é uma ferramenta de “marketing de conversação”, você tem a possibilidade de se aproximar e deixar sua empresa ainda mais humana, não é nada conveniente iniciar toda essa conversação com seus clientes com uma mentira.

Mas o mundo é grande, o mercado é grande, o consumidor não é mais aquele… Pense a respeito, traga suas opiniões.

2 Comentários

  • Fábio, concordo com você, também não gosto de blogs falsos. Como um blog sem comentários de consumidores pode ser considerado bem sucedido? Quais as métricas para falar do sucesso desta campanha? Incoming links, comentários em outros blogs? Menções espontâneas no Faustão?

    Como iniciar um diálogo com uma propaganda? O maior problema da adoção do blog hoje pelas empresas brasileiras é que não existe nem vontade nem necessidade de estabelecer um diálogo com o consumidor. Isso mudará aos poucos, com a chegada da geração Y ao consumo.

  • [...] apresenta exemplos da Coca-cola, Sony, McDonald`s, Mazda e Wall Mart. Eu adiciono mais alguns que lembro de cabeça como o da Panasonic, GourmetStation e da L’Oreal. Até mesmo aqui no Brasil já tivemos um [...]

Leave a comment to Alessandro Barbosa Lima