O rebanho nosso de cada dia

jan 26, 2009   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  6 Comentários

from commutebybike.comHoje tive uma visão intrigante.Quando meu avião decolava do aeroporto em Amsterdam por volta das 8 da manhã eu pude pela primeira vez notar uma grande extensão de 3 ou 4 das principais rodovias do país que “desaguam” no anel viário da capital holandesa. Ainda estava relativamente escuro e duas faixas coloridas davam o tom da manhã no país das bicicletas. E não eram bicicletas. Eram milhares de veículos de pessoas viajando para seu trabalho diário.

Eu vivi esse cotidiano ao longo de 9 meses enquanto trabalhava em um projeto em Haia, há aproximadamente 60 km de Amsterdam, mas visto de cima foi assustador. Nesse pequeno país não existe o conceito do “eu moro onde trabalho”. Pior. Nesse pequeno país superpovoado de bicicletas o pior trânsito diário não é dentro das cidades, nem nas ciclovias, mas nas rodovias.

De la de cima a visão se transformou num sentimento de estupefação. “Que coisa besta” – eu pensei – “que bando de idiotas”. Depois estremeci ao lembrar que em poucos meses voltarei para o caos paulistano para ser mais um idiota no rebanho.

Em pleno 2009, será que ainda estamos muito longe de trabalhar de casa?

A foto ao lado além de não ter nada haver com o assunto do post, serve para lembrar que aqui, no país das bicicletas, temos problemas até para estacionar as magrelas.

6 Comentários

  • Eu não tenho uma resposta pronta para sua indagação mas uma coisa eu digo, quanto mais cedo você puder sair do caos urbano, melhor.
    Regiões metropolitanas são fundamentais para formação de carreiras e negócios contudo se você puder montar seu próprio negócio numa cidadezinha de interior, vai se sentir no céu, sua saúde agradecerá.

  • E ai Primo, então quer dizer que logo vc volta, então bem vindo de volta ao Brasil.

    Quanto ao estar longe de trabalhar em casa, no meu caso já se tornou realidade e além do mais, estou vendo muita gente trabalhando e muitas propostas de empregos assim, pelo menos na minha área de Operário Moderno (quer dizer Programador).

    Acredito que em algumas áreas isso talvez não seja possível, mas logo logo vai existir uma grande parcela de pessoas trabalhando desta forma.

    Abraço,
    Alfredo Ribeiro

  • Juro que espero pelo dia em que as empresas acharão normal seus funcionários trabalharem de casa. Quem sabe assim, as super metrópoles amenizem seu trânsito diário, sua lotação em todos os meios de transporte públicos e tantas outras coisas, não é?!
    Eu acho que este dia não está muito longe, pelo menos pra mim e pra profissão que escolhi! ;o)

  • O filósofo Mário Sérgio Cortella falou disso uma vez. Ele ficou observando os caros na 23 de Maio,em São Paulo. Pela manhã, as pessoas vão; à tarde, voltam. Aquela multidão de carros e gentes. Todos os dias…a mesma coisa…E aí ele pergunta: qual a razão de tudo isto?

    P.S. Sobre seu próximo livro, sucesso garantido. Como ocorreu com o primeiro. E olha que a divulgação nem começou..rs
    Abraços,
    bom trabalho e boa sorte

  • Obrigado pela força Ricardo. Ainda não terminei o capítulo 1 = :-(

    Até voltar para o Brasil em junho será difícil terminar.

    Abraço

  • Encontrar caos pior do que o trânsito de São Paulo vai ser difícil hein… alguns tem o privilégio de comprar uma casa ou fazenda num interior próximo e trabalham de lá, só as vzs vão pra capital.

Leave a comment to Alfredo C. O. Ribeiro