Visualizando posts com a tag " PET"

Vassouras feitas de garrafas PET

jun 10, 2008   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  9 Comentários

Antes de tudo esse é um post de utilidade pública. Vira e mexe eu resgato a fatídica história do post “Vassouras PET ecológicas?” para demonstrar o poder do blog para gerar novos negócios.

Tem um sujeito chamado Alvair que é o recordista de postar respostas a comentários desse post mencionado acima. Praticamente um spammer. Depois de muito responder (e provavelmente fechar alguns negócios) agora ele está lançando uma página web. Vassoura PET – Amiga da Natureza. Fica então a dica para o leitor interessado. Para o Alvair vai a dica de fazer um blog para atrair mais visitas.

Só pra constatar – esse mercado deve dar dinheiro. Em um dos comentários vi um leitor vendendo projetos de máquina para desfiar o PET por 20 mil legais… Se eu fabricasse isso e vendesse uma máquina para cada comentário recebido… vêêê lá…

Como você não percebe o valor?

nov 21, 2006   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  1 Comentário

Conversando outro dia com meu pai, ele me contava sobre como poderia ter se dado muito bem (financeiramente) quando, há 30 anos atrás, foi oferecida a ele a oportunidade de trabalhar na área de proteção ao meio-ambiente, quando, na verdade, a principal tarefa dele naquela época era construir fábricas.

Muitas vezes podemos olhar para uma escolha feita e tentar vislumbrar como teria sido se…… Faz parte do nosso imaginário, está embutido na nossa lógica especular sobre o não acontecido.

Blogs, é uma modinha ou não? Nos seus negócios, a internet representa algo?

Pense nisso antes que seja tarde. Já mencionei antes o quanto um blog pode abrir de oportunidades quando citei o caso da Vassoura-Feita-Com-Garrafas-Pet.

Hoje, as buscas no Google que trazem mais visitantes para cá são relacionadas com o tal do PET.

Voltando ao 2o post que fiz nessa página, onde eu dizia que o Polietileno foi descoberto ao acaso, assim como tudo que é “Serendipitoso”, me surpreendo por haver uma grande fatia das buscas sendo direcionada para o assunto acima (por ordem na classificação das frases mais buscadas que indicam este blog):

3o. garrafa pet
4o. arvore de natal de garrafa pet
9o. reciclagem de garrafa pet
12o. artesanato com garrafa pet
23o. vassouras pet
[...e algumas outras combinações...]

Você já blogou sobre seu produto hoje?

Gestão vs. Ingestão

abr 21, 2006   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

Muitos dos problemas operacionais das empresas podem ser explicados pela falta de competência das lideranças que fazem a gestão da mesma.

Como podemos observar em muitas empresas, a gestão é cada vez mais confundida com a ingestão. Isso traz muita dor de cabeça os clientes e uma enorme dor no bolso.

Para ajudar esclarecer melhor a diferença entre uma boa gestão e uma ingestão, montamos o quadro abaixo:

(c) serendipidade.com

A sua empresa agradece.

Blog como fonte de negócios

mar 24, 2006   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  47 Comentários

(c) wikipedia.orgpubliquei diversos textos aqui no Serendipidade sobre o uso dos blogs para negócios ou blogs corporativos, inclusive comentei que estava finalizando o meu livro sobre o assunto.

Direto ao ponto.

Eu escrevi em meados de agosto de 2005 um pequeno texto fazendo referência a uma vassoura feita com garrafas PET, chamada “Vassoura Ecológica“. Minha crítica era que a vassoura deveria se chamar “Vassoura Reciclada“, ou “Vassoura Social“, porque o cabo dela era feito de madeira, ou seja, um cabo que matava as árvores e que transformava a vassoura em anti-ecológica de certa forma. Só isso.

Não imaginava que este post sobre a vassoura seria o ponto de entrada para um mini comércio e/ou fonte de informação sobre como montar o seu exemplar.

Olhem só: (mais detalhes navegue aqui)

Gildázio:construí minha própria máquina para a fabricação dessa vassoura, caso interessar pelo modelo enviarei fotos…

Antônio:Gostaria que voce me mande algumas fotos da maquinas que você idealizou pois estamos precisando de uma. [...] Quero um orçamento…

[... Várias pessoas pediram informações sobre preço, custo, etc...]

Gildázio:Gostaria que as pessoas interressadas pela máquina de fazer vassoura pet, entrem em contato através do meu e-mail, [...] tenho fotos das vassouras para enviar e estou aberto a sugestões (gildazio@…)…

Conclusão:

Perceberam o potencial do blog usado em seus negócios?

Observem que tipo de ferramenta ele se tornou: Um portal de vendas e relacionamento com clientes. Os clientes entram com dúvidas e perguntam mais sobre seu produto e serviço, e você entra com a VENDA!

E com um adicional nesse caso: Se mantendo responsável socialmente.

Internet Guru

jan 30, 2006   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

(c) yotophoto.comAinda tratamos as ferramentas de busca como um meio de acessar um núcleo de inteligência superior, ou pensamos que o núcleo é a própria ferramenta de busca.

Os dados e informações da internet, ou as metodologias (algoritmos) das ferramentas de busca, não possuem (ainda) algum tipo de inteligência maior, de modo a interpretar o que você está pedindo e mastigar a resposta.

Por isso, me espanta ver algumas frases comumente utilizadas em ferramentas de busca, e mais ainda, me espanta que o uso desse tipo de frase para buscar possa realmente ser usada de verdade, porque o volume de dados é tão grande que podemos ter a sorte de encontrar o que procuramos. Essa é nossa maneira intuitiva de buscar o que queremos, mas sinceramente, não é a melhor maneira.

- “Internet Guru falando, qual resposta você está procurando?”
(os exemplos abaixo são reais e foram usados para chegar até Serendipidade.com)

- Quero montar uma distribuidora de agua mineral
- Quanto custa ingresso para show do u2?
- Quantos anos esteve antoni dvorak na américa?
- Quais foram os passos de alex tew?
- Existe estudo ou apostila gratis de técnicas de persuasão?
- Como montar meu site para vender pixels?
- Quero uma pagina com ví­deo gravados gratuitos com depoimento de funcionarios
- Como montar uma pequena fábrica de vassoura?
- Quero idéias para um produto novo
- Como fazer leitura de formulas matematicas?
- Como montar diagrama de pareto?
- O que pose ser feito com uma garrafa reciclada?
- Como fazer criatividade dentro de uma empresa?

Se você quiser responder algumas das solicitações ou perguntas acima no seu website, saiba que você tem mercado!

Segunda-feira

dez 5, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  3 Comentários

(c) yotophoto.comSubindo no elevador, 3 mulheres conversavam e uma delas dizia que pediram uma série de coisas para ela hoje… ela já estava “por aqui” com gente pedindo tarefas… SEGUNDA-FEIRA… “eu ainda nem entrei no pique ainda” – dizia ela.

“Ahhh, eu solto a franga” – disse a outra – “quando está todo mundo quietinho no seu lugar, eu já chego dizendo que vai voar penas”…

A terceira apenas observava. Acredito que eu, daqui de cima do meu mais de um metro e noventa de altura, não fui percebido no elevador. Ou assim como no exemplo anterior, elas já fizeram da empresa a sua casa de tanto tempo que passam aqui.

Tive o ímpeto de dizer:

“Vocês são livres. Se vocês se sentem escravizadas, saiam fora, peçam demissão, ou não reclamem. Tem gente desempregada que gostaria de estar no seu lugar, e se não está sobrando tempo no seu trabalho é porque vocês não sabem gerenciar seu tempo, ou tomam café o tempo todo, ou fumam, ou… o que vocês estão fazendo passeando de elevador as três da tarde???”

Pulei do elevador rapidamente no meu andar porque a sabedoria popular nos fala… “os incomodados que se retirem”… e eu odeio ver gente pessimista que reclama do trabalho e não faz nada a respeito (com a própria vida). Me tira o bom humor e me faz rir ao mesmo tempo.

Vassouras PET ecológicas?

ago 23, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  203 Comentários

(c) setorreciclagem.com.brEstava eu no final de semana andando pelas ruas de São Paulo, quando entrei numa dessas lojas de produtos naturais (desde semente de girassol, passando por compostos energéticos, pirâmides, cristais e promessas de emagrecimento e cura) – Engraçado ver como essas “pseudo-ciências” (nome dado pelo cientista e escritor americano Carl Sagan) se relacionam tão facilmente com dieta, regimes e produtos “naturebas”.

Mas voltando ao assunto.
Eu vi uma dessas “vassouras ecológicas”.
Me interessei pelo apelo do nome e fui conhecer mais de perto essa engenhosidade do povo brasileiro. A vassoura usa essas garrafas PET de refrigerante para montar a parte que varre, a parte inferior da vassoura que fica em contato com o chão, os “pelos” da vassoura.

Se trata então de uma vassoura que além de reciclar a garrafa PET, que sabemos ser um grande vetor poluente de rios e afins, também poupa a piaçava, que é um ser vivo.

Existem outras maneiras de se reciclar a garrafa de Polietileno Tereftálico (PET) – É um plástico 100% derivado do petróleo e portanto orgânico. Existem diversas técnicas de reciclagem que vão desde o uso bruto em outros produtos (nosso caso acima), bem como o uso através de transformações (incinerações, deformações, químicas, etc).

No nosso caso, estavam reciclando a garrafa PET em uma vassoura.

E qual não foi a minha surpresa ao ver que o cabo da vassoura era madeira. Quão ecológica era essa vassoura? O que vale mais? A árvore que demora anos pra crescer ou a garrafa? A garrafa PET bem encaminhada para um centro de reciclagem ou a vassoura?

Senso crítico fica com você, caro leitor. Infelizmente no Brasil, acredito que usar essa solução acima é viável, visto a nossa população desempregada e miserável – uma nova fonte de renda através da reciclagem. Seja na vassoura, árvore de natal ou copos de PET.

Vassoura Reciclada – muito mais bonito e sincero que ecológica. Além de ter o apelo ambiental, acaba dando a noção de responsabilidade social.

Criatividade está na idéia e não na execução

jun 15, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  1 Comentário

Quando falamos de criatividade geralmente pensamos em propaganda, mas é verdade e evidente que existem outras aplicações. A propaganda está intimamente ligada com criatividade porque a sua mensagem é enviada a praticamente todos os tipos de mídia que dispomos na sociedade, e essas mensagens acabam por consequência atingindo a maior parte da população. Logicamente, o objetivo é seduzir o consumidor, fazer com que seja criado no seu íntimo uma vontade de possuir ou incorporar o objeto anunciado. Mas porque ainda assim a propaganda é assim tão fascinante?

(c) yotofoto.com

Quando éramos crianças, na pré-escola, tínhamos sempre uma caixa de lápis de cor por perto. Todo trabalho escolar se baseava em desenhos e na estimulação da capacidade criativa de cada um de nós. Depois vieram os anos com a vassoura da álgebra, gramática e demais matérias varrendo tudo e toda essa liberdade de pensamento que tínhamos.

A propaganda é uma disciplina que estimula os seus profissionais a se comportarem como crianças no sentido de que a liberdade de pensamento para fazer conexões e mapas mentais seja ilimitada. Sempre que existe uma quebra de comportamento padronizado, nós humanos tendemos a reagir com mais atenção a este fato. É da nossa índole criticar aquilo que está fora dos padrões vitais ou comerciais, mas quando alguém insere essa “boa nova” na nossa frente nos vemos pensando muitas vezes: Que inteligência, muito bem bolado!”. Quem nunca se deparou com um anúncio que quebra os padrões da sociedade e como conseqüência nos inspira alegria ou divertimento?

Essa quebra de rigor imposto pelas agências de propaganda é que nos aproximam da propaganda e criam o seu carisma… alí vemos espelhado a nossa necessidade de voar longe nos pensamentos, nos libertar das amarras da rotina.

Essa liberação acaba sendo muito fácil de traduzir em ação porque dentro da mídia podemos publicar quase tudo que temos em mente através de fotos e filmes e com a ajuda de um computador. Isso é o ponto forte da propaganda. Traduzir a idéia em uma ação, ou seja, em uma foto, página de revista ou filme é uma tarefa fácil dentro da indústria da propaganda. O problema é quando passamos essa necessidade de liberdade para o dia-a-dia de uma empresa ou das nossas vidas.

Em uma empresa, seja quando temos funcionários ou somos os funcionários, existem regras éticas e limitações impostas por hierarquias ou governo. Na nossa vida cotidiana, seguimos frenéticamente os passos do capitalismo e não temos tempo de refletir e encarar a vida de forma divertida e distraída.

A grande questão aqui é valorizar a criatividade, e, para despertá-la devemos criar um exercício mental de criatividade sempre que necessário. Fazer um repositório de idéias sem nos preocupar como faremos para executá-las, ou se elas são comercialmente viáveis. Isso é muito importante para que consigamos criar o maior número de conexões possíveis e conseguir combinar duas coisas diferentes na busca de uma solução criativa.

Um exemplo interessante: Vamos supor que você tenha que descer um bloco cilíndrico de concreto gigantesco por uma passagem cilíndrica estreita e longa. Um ponto a ser notado aqui é que um guindaste que suporte todo o peso do bloco é extremamente caro e esse bloco também é super sensível a pancadas. Qual seria a solução?

Ou ainda um outro problema: Na cidade de Santos, no litoral paulista, diversos prédios estão pendendo para o lado devido ao solo arenoso. O mesmo vale para a torre de pisa, que é um patrimônio e deve ser reerguida com cautela. O que fazer?

Uma solução criativa está em algo tão ambundante em nosso planeta que nem podemos acreditar: na água. A IDÉIA aqui é fazer a água congelar no espaço a ser ocupado, no congelamento a água se expande, deslocando o objeto a ser erguido (no caso dos edifícios). Ou congelamos a água e colocamos o objeto a ser baixado em cima do gelo, para que ele desça com o descongelamento (no caso do bloco cilíndrico de concreto).

Observamos que a IDÉIA é muito boa, porém como faremos para congelar a água naqueles espaços e como vamos encher com concreto o espaço aberto embaixo do edifício é outro problema que não depende da criatividade, mas sim de pesquisa e tecnologia. Essa é a EXECUÇÃO da idéia.

Por isso, quando queremos ser criativos devemos deixar as idéias fluirem continuamente, sem restrições. A análise da validade ou de como executaremos é um passo posterior e deve ser feito somente depois que já esgotamos as possibilidades criativas. Se o bloqueio vier logo em seguida da idéia, jamais poderemos fazer conexões com outras idéias e dificilmente teremos sucesso no estabelecimento de soluções criativas.

E assim surge o Polietileno…

jun 10, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  1 Comentário

A descoberta do Polietileno é uma série de Serendipidades de alto risco. O primeiro caso conhecido é o do químico alemão Hans von Pechmann que criou uma substância branca e similar a uma cera ao realizar experimentos com o aquecimento do diazometano em 1898.

Filme de Polietileno

Logo após em 1933, Eric Fawcett e Reginald Gibson, químicos da ICI Química conseguiram (mais uma vez por acidente) encontrar um material branco parecido com cera através de um experimento de aplicação de alta pressão e temperatura sobre uma mistura de etileno e benzaldeído. Eles não conseguiram reproduzir o experimento porque nele havia entrado traços de oxigênio por contaminação.

Somente em 1935 outro químico da ICI, Michael Perrin, conseguiu (olha que coincidência: por acidente) reproduzir o experimento de seus outros dois colegas e encontrar o mesmo material branco graças a um vazamento que gerou a necessidade de se inserir mais etileno (contaminado com oxigênio). Só que desta vez conseguiram identificar que era necessário uma certa quantidade de oxigênio para se iniciar a polimerização.

A partir de 1939 se iniciou a produção industrial de Polietileno, que hoje em dia é usado para produzir peças plásticas, filmes plásticos, garrafas PET (Polietileno Tereftálico), tubulações e etc.