Clipping :: Jornal Estado de Minas – Blogs invadem mundo corporativo

BLOGUEIROS
Blogueiros profissionais

08/06/2008

Os blogs arrastam centenas de internautas para a blogosfera, e o mundo corporativo também foi seduzido por essa forma de comunicação, que coloca em diálogo direto executivos, funcionários, fornecedores e clientes. O termo define o intenso diálogo entre blogueiros por meio de links, comentários e reprodução de posts. Já se foi o tempo em que diários eram uma forma de expressão de adolescentes. Com a internet, eles ganharam a versão digital, transformando-se em espaços para tornar públicos sentimentos, hábitos e conhecimentos. Voyeurismo? Em alguma medida sim, mas muito mais que isso.

O uso de blogs corporativos é uma tendência no mercado, e já existem publicações que dão dicas para quem deseja criar o próprio espaço virtual. Um deles é o livro Blogs corporativos – modismos ou tendências?, de Carol Terra. Outra publicação – Blog corporativo, de Fábio Cipriani – dá dicas de como criar canais virtuais atrativos. Como não poderia deixar de ser, os dois autores têm seus endereços próprios – www.blogcorporativo.net e www.rpalavreando.blogspot.com –, em que falam, diretamente, com os interessados sobre o ato de blogar.

Essa tendência gera uma nova frente de trabalho, entre outras que se criam no mundo das novas tecnologias: a do blogueiro profissional. Cada vez mais, executivos e empresários buscam nesse especialista ajuda para criar uma nova forma de comunicação. De acordo com a escritora, algumas empresas norte-americanas criaram, inclusive, a função de chief executive blogger, algo como um gestor executivo de blogs. Ela acredita que, no futuro, as empresas empregarão blogueiros profissionais, pessoas contratadas exclusivamente para essa função.

Para Fábio, não importa quem está à frente da iniciativa. Essa pessoa deve ter conteúdo para mostrar, e não é só repassando notícias, é com idéias, conjecturas, argumentos e defesas. Para ele, dinamismo é a palavra-chave. “Algumas empresas têm o dono ou presidente nas rédeas do blog; outras contratam blogueiros experientes; alguns arriscam pôr profissionais de comunicação ou jornalistas nessa tarefa; outras poucas (ou muitas) pagam a blogueiros conhecidos para falarem bem de sua marca”, escreve em um de seus posts.

Os blogs corporativos começaram a surgir em 2004, nos Estados Unidos e na França. No Brasil, a ferramenta começou a ser usada por algumas empresas em 2005, mas 2006 foi o ano em que o assunto se tornou mais popular. “Os blogs, de maneira geral, explodiram na rede, passando a crescer a passos largos e a duplicar de tamanho a cada cinco meses”, , afirma Fábio.

Uma das peculiaridades do ciberespaço é, segundo ele, a capacidade de textos com qualidade viral ou inteligentes se tornarem referência ou bastante conhecidos. “Não foi muito difícil que o conceito de blogs corporativos ganhasse uma atenção maior. As empresas buscavam o mesmo que as pessoas comuns: ficarem conhecidas no mercado e, como conseqüência, aumentar as vendas por meio da inovação em um novo meio de comunicação”, pontua.

BLOGUEIROS
Blogs invadem mundo corporativo
Empresas se rendem à realidade virtual e criam novas possibilidades de divulgação e maior proximidade com funcionários e clientes

Muitos executivos se renderam aos encantos dos diários virtuais. Não existem dados oficiais sobre o número de blogs corporativos no Brasil, mas um levantamento feito pelo escritor Fábio Cipriani, em seu endereço virtual, indica o crescimento dessa prática na rede: ele tem cadastrado 89 blogs corporativos, subdivididos em categorias: 21 de grandes empresas; 22 de campanhas de marketing; 37 de pequenas e médias empresas; e 9 de presidentes.

A novidade se configura como um novo nicho de atuação profissional, embora Fábio faça a ressalva de que ainda não há regulamentação dessa prática. “Temos blogueiros profissionais, que vivem, exclusivamente, para isso e até prestam consultorias e dão palestras sobre o assunto para empresas. Alguns deles publicam posts para empresas em blogs corporativos, mas ainda não vi carteira assinada nem sindicato”, pontua.

Há um ano, o vice-presidente da AleSat, Jucelino Sousa, posta comentários, semanalmente, em seu blog (www.jucelinosousa.com.br). Para atrair a atenção de funcionários, fornecedores, clientes e outros executivos, ele mescla informações sobre a empresa, com impressões sobre viagens, livros e assuntos gerenciais.

Os blogs são espaços em que o profissional se mostra por inteiro, uma vez que tem lugar tanto para assuntos profissionais como da vida pessoal. “Abordo temas que antes tratava em rodas de amigos. É uma maneira de compartilhar idéias e gostos”, diz. Duas vezes por semana, ele alimenta a página virtual com informações variadas. Em um dos posts, Jucelino discute, a partir de um texto enviado por uma de suas leitoras, como se tornar gestor de gestores. Em outro, fala sobre a estratégia de divulgação da marca em jornais de Minas e São Paulo. Ao mesmo tempo, mescla comentários sobre gostos pessoais: em um dos posts, fala sobre o filme Speed Racer; em outro, sobre sua primeira visita à cidade mineira de Tiradentes.

O ato de blogar foi incorporado à rotina de Jucelino, que aproveita os momentos entre uma reunião e outra para escrever novas informações. “A sala de espera nos aeroportos é um ótimo local. Com os atrasos de vôo, nem se fala”, diz. Com as facilidades dos pontos de internet sem fio, basta ter à mão um notebook para se comunicar com quem bem desejar.

O analista de sistemas Fábio Seixas, de 33, foi um dos primeiros a criar um blog corporativo no Brasil. Ele define seu blog (www.blog.fabioseixas.com.br) como um espaço para apresentar idéias e pensamentos sobre internet, marketing, negócios, blogosfera e “algo mais”. “Comecei com um blog pessoal e, ao perceber que era uma excelente forma de comunicação com as pessoas, resolvi criar um para a empresa.” Ele é proprietário da Camiseteria, especializada na criação de camisetas com designs diferenciados. O espaço virtual tem funcionado como um termômetro do negócio: “Temos um retorno dos clientes sobre o que acham dos produtos que estamos lançando. As pessoas também dão sugestões e fazem críticas. O blog é indispensável para o negócio.”

PARTICIPATIVO É preciso saber lidar com o fato de o espaço ser uma representação de uma organização, mas sob o olhar de um profissional, que tem suas preferências. “Não é um blog da empresa, mas a figura do Jucelino é de vice-presidente”, argumenta. Para o publicitário Daniel Negreiros, da Plan B, especializada na criação de blogs corporativos, eles são um canal de comunicação aberto entre a empresa e os clientes, e, ao mesmo tempo, guardam um traço autoral. “A pessoa está falando pela empresa, mas a opinião pessoal é superimportante”, diz.

Segundo Daniel, os blogs permitem uma comunicação mais transparente, mas é preciso estar preparado para receber o retorno. “Muitas empresas montam seus blogs para repercutir uma ação que estão fazendo ou tiram dali informações para a criação de novos produtos ou implantação de serviços”, pondera. Os blogs corporativos só vingam em empresas que tenham uma cultura participativa, conforme ressalta Carol. “É preciso estar aberta ao diálogo, ter uma cultura de ouvir e disposição para mudar. Quando se opta por um blog, é preciso analisar, pois a empresa fica vulnerável e exposta para o mundo”, aconselha. A ousadia, porém, pode atingir públicos que antes não se relacionavam com a empresa.

Como se trata de uma ferramenta dinâmica e flexível, não existe um número máximo de diários virtuais que uma empresa pode manter no ar. Por exemplo, a Microsoft e a Sun Microsystems são as duas empresas com o maior número de blogueiros “oficiais”, com 4,5 mil e 3,8 mil blogs, respectivamente. “Eles encorajam seus funcionários a criarem blogs para dividir problemas e idéias encontradas no dia-a-dia”, afirma.

Fábio dá algumas dicas para quem deseja criar um blog corporativo. A pessoa responsável pelos posts deve conhecer a blogosfera antes de tudo. “Além de postar, monitorar comentários, responder, conversar e colher os primeiros benefícios, o blogueiro e a empresa precisam saber o que ocorre com outros blogs corporativos, com concorrentes e assim por diante.” É imprescindível gostar daquilo que se faz, saber escrever bem e sem erros gramaticais. O grande segredo está no tema escolhido e na maneira que a empresa interage com o mercado por meio do blog.

SETE VIRTUDES DE UM BLOGUEIRO

Gratidão
O tempo e atenção dos nossos leitores é um presente. Entre as várias opções de coisas para fazer e ler, é incrível o fato de ler nosso blog. Por isso, temos de estar gratos e tentar dar algo de valor em troca.

Coragem
Escrever para os seus leitores não é a mesma coisa que escrever apenas o que os leitores desejam ler. Se todo mundo gostar de tudo o que você escreveu, provavelmente seu texto será medíocre.

Humildade
A menos que você seja uma celebridade, as pessoas não vão ler seu blog por sua causa. Vão ler pelo o que as informações representam para elas. Tudo sobre você em um blog é bom, mas não se você quiser aumentar o número de leitores. Nem tudo o que fazemos e pensamos é necessariamente interessante para potenciais leitores quanto é para nós.

Respeito
Mostre que você aprecia o tempo de seu leitor. Não poste em quantidade, mas com qualidade. Se você não tem uma informação que valha a pena, pense duas vezes antes de postar.

Paciência
As coisas não vão ocorrer da noite para o dia. Não tenha pressa para ter grande número de leitores. É melhor que as pessoas descubram seu blog depois de você já ter feito posts gentis e interessantes. Dessa forma, quando entrar novos leitores, eles terão motivos para voltar.

Generosidade
Não fique escondendo o ouro. Ensine as pessoas a fazerem o que você faz. Não se esqueça de que elas estão lhe dando o precioso presente de sua atenção. Cabe a você dar algo em troca.

Motivação
Às vezes, as pessoas querem ouvir alguém que lhes diga o que pensar e o que tentar. No entanto, um leitor também pode querer usar um de seus posts para fazer um apontamento.

Autor: Márcia Maria Cruz
Fonte: Jornal Estado de Minas

< Voltar para ‘Imprensa’