Visualizando posts em "Serendipidade"

O pálido ponto azul

dez 11, 2011   //   por Fabio Cipriani   //   Sem categoria, Serendipidade  //  Nenhum comentário

Sempre fã de Carl Sagan que sou, posto mais um vídeo que, lido pelo próprio Sagan de seu livro publicado em 1994, continua a me inspirar a ser uma pessoa cada vez melhor…

O mundo dos mundos virtuais sociais

abr 2, 2010   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

Vivemos em um mundo repleto de outros mundos virtuais onde pessoas se relacionam, conversam, brincam e se divertem. Nesses mesmos mundos pessoas se magoam, se deprimem, brigam, roubam, matam e se matam no mundo virtual e algumas vezes no real. Parece nosso mundo real, é, aliás, um espelho do nosso mundo real. Ser social é inerente ao ser humano.

A tecnologia social que aproxima as pessoas pelo meio virtual também pode afastar as pessoas no mundo real. Hoje já testemunhamos casais de jovens que quando sentam para uma refeição em um restaurante quase não mais se conversam. Cada qual vive imerso em seu smartphone. E o caminho da mudança ainda promete muitos outros impactos na nossa sociedade cada vez mais dependente da tecnologia e da rapidez. Em poucos anos as redes sociais serão como o ar que respiramos? Ou estando em todos os lugares serão como um saco plástico que sufocará e apagará o calor humano?

Não quero parecer catastrofista. Mas não consigo evitar o pensamento uma vez que ainda não vemos um basta no fim do túnel. Vem-me a mente uma palestra do Professor Romeo Busarello, também Diretor de Internet da Tecnisa. Nos primórdios do mundo as pessoas se sentavam em círculos, com o rádio sentaram em U, com a TV formaram uma linha horizontal de frente para ela, com o computador se sentam sozinhas para interagir com o mundo online, e agora que os smartphones entram em cena, temos o mundo na palma da mão. Todas essas formações absorviam nossa atenção, de pessoas, fomos a objetos onde ouvíamos ou víamos pessoas, e voltamos a conversar com as pessoas, só que por meio de uns e zeros, digitalmente.

Lembro-me também do desenho animado Wall-E, da Pixar, com todos aqueles humanos gordinhos e sem mobilidade por causa de décadas vividas confinadas dentro de uma nave espacial nos confins do universo. Cada um no seu computador pessoal. Previsão do futuro?

Privacidade? Com redes sociais acessíveis na palma da mão e a localização via GPS, novas redes sociais começam a surgir com a possibilidade de dizer a todos no mundo virtual qual é a sua exata localização. Somando isso ao seu perfil com dados pessoais e preferências, temos uma ficha completa e em tempo real das pessoas. As implicações são ilimitadas porque no nosso mundo desenvolvemos tecnologia rapidamente, mas o ritmo da ordem, das regras, segue atrasado, em passos lentos e interferentes com a liberdade de expressão.

Talvez não exista motivo para se preocupar. Existem os exageros, mas também podemos considerar que há de haver um balanço. Um bom senso que limita a vida sedentária trazida pela tecnologia com o bem estar da mente e do corpo, exercícios físicos e saúde. Temos que pensar na perpetuidade da raça humana.

Preocupa-me, no entanto, se esse bom senso for o mesmo que aquece o planeta ano após ano, se esse bom senso for o mesmo que aumenta o número de divórcios ano após ano, se for a busca pelo lucro máximo ao invés do ótimo.

Somos atores principais e coadjuvantes de um teatro chamado planeta Terra, aproveite! Aproveite porque parece que o espetáculo está terminando.



Brasileiro

fev 28, 2010   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

Hoje fui assistir o aclamado filme Argentino El secreto de sus ojos em um cinema em São Paulo. Estreiando neste final de semana, a sala estava cheia, a maioria adultos. O filme é ótimo, cumprimentos ao cinema Argentino. Com uma história envolvente e interessante fica difícil não pregar os olhos na tela e ficar buscando respostas antecipadamente. Mas não vim aqui para falar do filme.

Vim aqui para perguntar qual é a do Brasileiro? Cada vez que os personagens falavam pelotudo, boludo, mierda sempre tinha uns poucos que davam risadas. Concordo que é um jeito diferente de se expressar, haviam momentos de graça, mas não era pra tanto. Até mandei um email para uma amiga argentina e perguntei à minha irmã que morou em Buenos Aires algum tempo se o filme era de fato comédia ou drama. “Normal” foi a resposta.

Quando ainda morava fora eu e minha esposa meio que evitávamos Brasileiros. Nada contra, talvez achávamos que eles pareciam mais bobos lá fora do que aqui dentro. E ainda não conheço outro lugar onde se gosta tanto de andar com a luz vermelha traseira de neblina acesa como aqui. Porém não quero abdicar minha nacionalidade.

Tipos de coisa que penso e quero falar. Relendo o post me vem uma palavra que minha esposa sempre usa para me definir: pignolo!

Papo furado #4 – Previsão para 2010

jan 14, 2010   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  1 Comentário

E esse vai para aqueles que buscam a resposta seguinte enlatada. Uma única previsão avassaladora que vai acertar em cheio (e já vem acertando há muitos anos).

Em 2010 empresas, jornalistas, blogueiros, jornais, revistas e qualquer outro ente gerador de mídia vão escrever as suas previsões para 2010 e no ano que vem não vão voltar para analisá-las, verificar se vingaram e compartilhar com todos nós os resultados.

Ano que vem não volto para analisar porque já não vi ninguém falando das do ano anterior, além do mais, preciso acatar à minha própria previsão.

Hipnotizando as massas

dez 31, 2009   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

Um sujeito chamado Chris Hughes está prometendo hipnotizar as massas dia 4 de janeiro. O evento, chamado SocialTrance, tem a intenção de quebrar o recorde mundial de hipnose online e trazer níveis de relaxamento nunca antes atingidos para usuários de Twitter e/ou Facebook, e tudo isso via webcast!!!

Tudo o que você precisa:

  • Uma mesa e uma cadeira confortável
  • Computador ou laptop com som e Internet
  • Um local silencioso
  • E entender inglês, é claro…

Vale a informação de que “Trance” é um estado da hipnose onde as pessoas ficam muito vulneráveis a sugestão e persuasão.

Enquanto escrevo essas linhas 2100 pessoas já se inscreveram. Essa eu quero ver… espero que ele não me peça todo meu dinheiro e nem sugestione que eu deva sair de casa pelado…

Outras pessoas online também promovem a hipnose e algumas até ganham dinheiro com isso. Tem o Self-Hypnosis, Free Self-Hypnosis, Conversational Hypnosis, Pense Leve para emagrecer, entre muitos outros. Não conheço, ainda sou cético e, portanto, não recomendo. Fica mais a título de informação.

Empresas do futuro: conectadas e sociais

dez 21, 2009   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

A frase acima pode até ser verdadeira, mas isso está longe de acontecer.

  • Primeiro porque os executivos não possuem visão estratégica sobre as mídias sociais. Não sabem o que podem ou não podem ganhar ou perder no curto, médio e longo prazo.
  • Segundo porque ainda consideram a ferramenta um canal exclusivo de marketing, e que deve ter criativos e jovens para criar, conectar e gerar resultado. Se mídias sociais são relacionamento, tem mais coisa a ser considerada nesse mundo.

Tudo o que acontece nas mídias sociais e que se relaciona com sua marca é uma informação que, somada às informações de outros consumidores, produz um conteúdo valioso que serve tanto para extrair idéias quanto para agir em cima dando suporte ou orientação. Tudo o que acontece é uma oportunidade.

Aí vem a empresa, contrata uma agência e pede que eles criem uma ação social online. Eles fazem. Tem começo meio e fim. Produz resultados bons. Até suporta um ou outro cliente. Mas ao acabar tudo, NADA fica na base de relacionamento da empresa contratante. Nem parece que tanto se falou sobre a marca. Nem mesmo as equipes internas da empresa possuem consciência do que se passou. As dúvidas, reclamações e elogios são conhecidos pelos profissionais que sentaram na linha de frente e eles não são da empresa.

Não sou contra contratar agências. Sou contra deixar de pensar em processos. Processos que conectem a agência às pessoas corretas dentro da empresa para agilizar na solução de problemas, que prevê situações não esperadas e enderecem as mesmas de forma eficiente, que alimentem a base conhecimento sobre o cliente e o mercado da empresa e que praticamente integrem o trabalho em mídias sociais no foco da excelência ao cliente.

25 produtos que podem mudar o mundo

dez 10, 2009   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  Nenhum comentário

Publicado pela BusinessWeek essa semana, o slideshow que mostra os 25 produtos que podem mudar o mundo é fascinante. Eles incluíram inclusive o SkySails que apresentei aqui no começo de 2008 e um dispenser de bicicletas que cheguei inclusive a usar quando estava na Holanda.

E já que é para falar de slideshows da BusinessWeek, vale uma espiada na lista dos melhores em design em 2009. Nem tem graça com a Apple.

Por que não postei isso no Twitter já que são apenas links?

Porque os posts de blog duram mais e ainda causam mais impacto. Quem me segue nem sempre lê o que escrevo por lá, mas aqui a história é diferente. Abraços!

Batalha nas midias sociais

nov 16, 2009   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  3 Comentários

Li uma notícia na Financial Times já há um bom tempo sobre a batalha travada pelas empresas em busca de atenção no mundo das mídias sociais. Porém a busca de atenção em si não era o mais marcante. O que chamou minha atenção foi o insight de que os grandes grupos controladores de marcas poderosas e conglomerados corporativos complexos, já não estavam preocupados em falar com o público em geral por meio das mídias sociais. Os seus produtos ou linhas de produtos é que estão falando mais alto.

Foram citados exemplos da Ford, a qual já partia para criação de comunidades online para cada linha de veículo, e não mais para a marca Ford em si.

É como se fosse uma tentativa de tribalização dos consumidores de determinada “sub-marca” de algo maior e menos próximo do cliente final.

Isso não é novidade. Os próprios clientes já criaram essa segmentação quando decidiram criar a comunidade de fãs da Barbie no Facebook. Isso também já acontecia em divisões geográficas para empresas multinacionais (Twitter da Empresa EUA, Brasil, Itália, etc.).

Com isso, mídias sociais de um produto podem ser mais bem sucedidos que aqueles de marcas. Pior, colocar a presença de uma empresa nesse contexto ganha mais uma variável estratégica para ser analisada quando da decisão de entrar no vasto mundo social online. Junte essa com a identificação de perfis, escolha do canal social online, tática de métricas para medir o sucesso e preparação da equipe para a empreitada, e você tem um belo cenário complexo e traiçoeiro dos mares sociais.

Tempo é dinheiro até nas redes sociais

out 30, 2009   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  3 Comentários

Por esses dias andei refletindo por um bom tempo se tempo é dinheiro, se dinheiro é tempo, se é possível ter os dois ao mesmo tempo ou se um come o outro e ficamos sem nada. Minha encruzilhada começou quando comecei a ler o livro “Mais tempo Mais dinheiro” do Gustavo Cerbasi e Christian Barbosa que recebi de cortesia da Thomas Nelson Brasil.

A verdade é que fui investigar na rede o que a imprensa e a crítica estavam falando do livro antes de começar ler. Tinha uma preocupação tremenda com o tempo que ia gastar para ler o livro. Também uma séria dúvida, advinda da minha reflexão de quatro variáveis que comentei acima,  se realmente tempo e dinheiro poderiam caminhar na mesma direção e para a frente.

Buscando a resposta no livro confesso que ainda não encontrei uma fórmula mágica. Você precisa de um para tentar ter o outro, principalmente em se falando de tempo dedicado para a sua educação, cultura e formação, o que vai colocar você num “ciclo de prosperidade” e, segundo os autores, trazer muito mais benefícios financeiros e pessoais. As dicas apresentadas são atuais e válidas. Dá uma boa refrescada nas idéias para quem está absorvido no dia-a-dia e se sente um prisioneiro do sistema.

Um ponto interessante e atual que se aplica muito bem ao contexto corporativo, é em relação à produtividade relacionada com redes sociais: “Participar de todas as redes sociais é um grande erro na gestão do seu tempo” – comentam os autores. Quando apresentei um webinar sobre CRM Social em setembro desse ano para mais de 800 profissionais do mundo todo, me perguntaram como é possível monitorar todas as redes sociais para saber o que andam falando sobre minha empresa? Respondi quase que com a mesma resposta acima adicionando que  você deve olhar para onde estão seus clientes e filtrar em quais redes sociais sua estratégia social será melhor suportada.

Cursos gratuitos da FGV Online

out 26, 2009   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  3 Comentários

A FGV foi a primeira instituição de ensino brasileira a entrar no OCWC (Open Course Ware Consortium), esse post vai para divulgação dos cursos gratuitos da FGV. A lista dos cursos abaixo está disponível no site da FGV Online.

Se você quiser receber um certificado pelo término de um curso você deve se registrar, se não fizer questão, basta a vontade de estudar!

Clique nos links dos cursos oferecidos abaixo para acessá-los:

Tópicos temáticos introdutórios na área de Gestão Empresarial – carga horária de 5h

Tópicos temáticos introdutórios na área de Metodologia – carga horária de 5h

Cursos em áreas de conhecimento diversas – carga horária de 15h

Cursos para professores do Ensino Médio – carga horária de 30h

Você já domina as novas regras ortográficas da Língua Portuguesa? Acesse nosso quiz para conhecê-las e, ao mesmo tempo, testar conhecimentos gerais:

Páginas:1234567...50»