Blog para gestão de "crises"

jan 16, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Crises, problemas e riscos  //  7 Comentários

No começo do mês postei sobre a confusão gerada pelo Banco do Brasil ao adotar sua nova campanha de marketing. Nesse post eu falava sobre como um blog faria toda a diferença no momento de lidar com as expectativas (crises ou “pitís”) de seus clientes ou prospects.

Sobre as recentes ondas de acontecimentos confrontando o Google, os internautas brasileiros e o governo (Cheques do Adsense bloqueados e bloqueio do YouTube pela Cicarelli), foi muito feliz o comentário do Mr. Wagner no Blog de Guerrilha. A idéia foi questionar o silêncio do Google Brasil nos blogs corporativos da firma.

Certamente o Google Brasil não deve ter muita autonomia para se posicionar sobre estes assuntos e talvez nenhum dos funcionários responsáveis pela atualização do blog quis (ou pôde) colocar o seu na reta. Mas alguma coisa poderia ser escrita, nem que essa coisa fosse: “Galera, sabemos que há muito interesse em saber o que está acontecendo com o YouTube, mas o Google Brasil não tem qualquer relação com este serviço”. Afinal, ficar calado no meio de uma confusão dessas não é muito humano.

Fica registrado. Ele ainda adicionou:

Ainda é utópico imaginar corporações “descendo do palanque” e vindo para o debate corpo-a-corpo. Abrir um canal de comunicação franco e de duas vias é muito arriscado, ainda mais se for para lidar com esses furacões que varrem a rede, como bloqueios de Orkut ou YouTube.

Concordo que seja arriscado, mas acho que o risco/benefício ainda é menor em ambos os casos. Afinal de contas, comentários devem ser moderados e posts devem ser escritos por quem tem “licença para matar”, ainda que “matar” tenha um sentido especial quando estamos lidando com pessoas/consumidores da nova geração – às vezes empowerment para os blogueiros oficiais pode fazer a diferença. Se o Scoble não afundou a sempre polêmica Microsoft, porque o Joãozinho ou a Maria iria afundar a empresa queridinha do planeta terra? – Lógico que não podemos esquecer que Scoble tinha talento.

7 Comentários

  • Tem razão, Cipri. E agora a blogosfera brasileira já conta com vários bloggers com ‘licença para matar’. Tô esperando pra ver como o Google vai se posicionar diante da portaria do governo brasileiro q está impedindo a remessa de cheques do Adsense para o Brasil. É o momento oportuno para cobrarmos posições.

    ——-

    Hj é meu dia e sem falta peço o livro. Vai ser meu presente de aniversário. Não demora pra me mandar de volta, hein?! Se levar o tempo q demorei, tô frita rsrs.

    bj$$$

  • Eu tinha lido a matéria do Mr Manson no blog de guerrilha. Muito bom mesmo. Licença para matar foi boa… só para agentes especiais. :)

  • Neste caso do google brasil eu concordo. Mas cada caso é um caso…

    Vamos imaginar uma outra empresa numa situação tão grave ou pior. A Administração vai querer duas coisas:
    1º resolver de imediato o problema.
    2º fazer as pessoas esquecer que houve sequer crise.

    Abrir um blog para gestão de crise significa que o tema se vai espalhar e demorar mais tempo a cair no esquecimento. Fica ainda indexado em motores de pesquisa, gravado no cache do google etc.

    É bom comunicar com o público e explicar-lhes o que se passa, como e quando será resolvido. Mas melhor ainda é ter forma de fazer isto e de o fazer esquecer que sequer houve problema.

  • Fábio, deve ser difícil para uma grande empresa reagir rapidamente aos acontecimentos como estes.

    Lembro que a MTV se pronunciou pelo blog sobre o caso Cica X YouTube.

    A propósito, foi impressão minha ou tiraram o post do ar?
    http://www4.mtv.terra.com.br/blogosfera/blog_do_site/2007/01/09/esclarecimento

  • [...] – Blog para gestão de “crises” [...]

  • [...] redes e mídias sociais podem inclusive serem usados em gestão de crise. Se a empresa se pronunciar de forma clara, direta e não mentir, ela pode sair com pouco ou nenhum [...]

  • [...] redes e mídias sociais podem inclusive serem usados em gestão de crise. Se a empresa se pronunciar de forma clara, direta e não mentir, ela pode sair com pouco ou nenhum [...]

Escreva um comentário