Acredite: emprego de blogueiro corporativo está em alta e será um dos mais bem pagos

dez 13, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  15 Comentários

O Gil Giardelli apresentou no podcast VoIT um tema pertinente:

Em seu comentário desta semana Gil Giardelli fala sobre Redes Sociais na Internet, que vêm mudando a maneira de como as empresas se relacionam com o mercado.

Giardelli cita o exemplo de uma grande corporação que está há um ano procurando um profissional para gerenciar seu blog e sua rede social, sem sucesso.

Fala ainda sobre a declaração do Secretário de Educação americano, que declarou que os 10 empregos mais bem pagos no futuro foram criados depois de 2004.

Não entendo como a tal empresa não conseguiu ninguém. Ou está pagando mal ou não sabe ainda como funciona a blogosfera… reflitam… prefiro a segunda alternativa.

15 Comentários

  • Cipriani, certammente é a segunda alternativa: até agora ninguém me procurou para oferecer tal posto de trabalho. ;)

  • Em novembro aconteceu um fórum de comunicação aqui na universidade. O tema básico, e cada vez mais comum, foi a mudança que as novas tecnologias trazem.

    Quando chegou o momento de discutir como as empresas reagem a esse novo cenário, não se soube exatamente o que dizer.

    Um camarada perguntou como as empresas vem usando as NTICS. A resposta foi que ainda é muito tímida essa imersão corporativa.

    A principal explicação apontada pela convidada Ivone Oliveira é que as organizações não querem perder controle sobre as informações que circulam sobre elas em mídias que se estruturam por uma lógica distribuída.

    O interessante mesmo é que existe uma enorme abertura das empresas no sentido de sua midiatização, vide a Vale, mas ainda não foram criados pontos, vá lá, mídias, que estabeleçam espaços de dialógo. Mesmo na internet a comunicação ainda segue muito a lógica do “Ouçam-me” em lugar de uma comunicação de fato interativa como a rede vem possibilitar.

    A principal explicação dada pelo gerente de comunicação da Vale no ES Eugênio Fonseca, que moderava a mesa, é que as organizações ainda não conhecem as linguagens dessas novas mídias e que portanto seria arriscado demais se aventurar por esse mundo sem antes ter o domínio de como fazer.

    Entendi o comentário como uma mera desculpa e nada mais… Uma pena

  • A impressão que fica é que as empresas somente assistem às transformações que as novas tecnologias proporcionam, mas insistem em continuar com as velhas práticas autoritárias.

  • Oi Fabio, muito obrigado por citar! gostei muito deste blog já está linkado! Amanhã compro o livro e te conto, quem sabe um dia consigo uma dedicatória ;) Vinicius, Ezequiel e Janio insistam na blogosfera! Ainda vao convidar vcs! Um bom natal e um feliz 2008. abs Gil Giardelli

  • Sem duvida, a blogosfera e as redes sociais são cada vez mais importantes!

    As empresas ainda estão a descurar este mercado enorme, mas pelos vistos está a mudar.

    Cumprimentos

    http://www.inovacaomarketing.com

  • Fabio,
    parabéns pela boa batalha. É uma honra fazer meu primeiro comentário em seu Blog. Então aí vai:

    Uma atitude de prudência e cautela é muito bem vista no mundo corporativa. Portanto diante de qualquer nova perpectiva, tecnologia, veiculo, canal ou linguagem é boa prática de mercado avaliar a tendência, estuda-la, levantar as possibilidades e se necessario esperar seu amadurecimento e aí sim tomar uma decisão quanto a sua utilização e de que forma isso será feito. O medo organizacional quanto a falta de controle sobre as informações que circulam pode acontencer, mas também é um sinalizador da falta de amadurecimento corporativo. Algumas vezes as empresas, assim como as pessoas, necessitam de tempo para perceber novas perspectivas. O que não pode é demorar demais. Certo?
    Koruja

    • Valeu Koruja,

      Apenas um lembrete: “O medo é inimigo da inovação!”

      Abraços!

  • [...] Fábio Cipriani pinçou um caso em que, sem mencionar o nome, uma grande corporação há um ano que estaria procurando um [...]

  • Fábio, como já foi publicado aqui no seu blog, eu sou a blogueira da Natura Cosméticos e essa experiência me mostrou que achar um blogueiro para a sua marca não é tão simples assim. Além de ser blogueiro por natureza e ter intimidade com a Blogosfera, é necessário ter um envolvimento profundo e verdadeiro com a marca. Caso contrário, pode faltar um caráter genuíno que considero importantíssimo para qualquer ação na web.

  • Acredito nas duas hipóteses. Não sabem como funciona a blogosfera e, por conta disso, não estão pagando bem.

  • [...] Fábio Cipriani pinçou um caso em que, sem mencionar o nome, uma grande corporação há um ano que estaria procurando um [...]

  • Fábio, como sempre, seu blog é referência quando o tema são os blogs corporativos e afins. Existem empresas no exterior que já criaram cargos de CEB – Chief Executive Bloggers. Será que a moda pega aqui no Brasil? Espero que sim! Abraços, Carol Terra (http://rpalavreando.blogspot.com)

    • Se lá fora pegou aqui pega sim. O Brasil tem esse poder de copiar ipsis litteris coisas que funcionam lá fora. É oportunístico mas é uma vantagem se arriscar menos. Só que nem sempre as modas surgem aqui com o mesmo charme e conteúdo. Você também conhece bastante a área, o que acha disso?

  • Fábio, acredito que ainda vá demorar para termos um chief executive blogger aqui no Brasil. Acho que o mais próximo que temos disso é o Roberto Aloureiro, da Tecnisa, né? Vamos acompanhando. Abraços.

  • De primeira achei que nao precisaria abrir um blog, em conjunto com meu site, hoje nao vivo sem este “paralelo” nao acreditava que odia ter boa aceitacao, e visitas diariamente, interessadas em nao so ler coisas serias mas tb se divertir e perder um pouco de tempo com curiosidades sobre carros.A cada empresa, um blog…..ser blogueiro realmente nao e facil..escrever dia a dia e uma tarefa de “caçar assunto” que nao acaba mais….haja gás!!

Escreva um comentário