E as pequenas empresas? Benefícios do blog num cenário de baixa audiência (continua…)

ago 21, 2008   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  6 Comentários

Estou lendo Groundswell. O conteúdo é muito adequado para ensinar o bê-a-bá da web 2.0 para as empresas e principalmente para os executivos que querem entrar nesse mundo. Essa educação é necessária pois muitos executivos investem em redes sociais e na maioria das vezes não sabem sequer justificar o porquê desse investimento.

Mas a coisa que me incomoda é: na literatura sobre o assunto a grande maioria dos livros falam sempre das e para as grandes empresas. A pequena empresa precisa ler o conteúdo com a mente ainda mais aberta e tentar extrair o que é aplicável para ela.

A realidade é que o contexto para a pequena empresa é diferente, muitas vezes a marca é conhecida somente num bairro de uma cidade qualquer. Ela não possui uma marca conhecida como Nike, Dell ou Havaianas.

Se uma dessas marcas famosas lançam um blog, como é o caso da Fiat que lançou o blog do Linea essa semana, é muito mais provável que chovam comentários e vários leitores assinem o RSS do blog logo nos primeiros dias, mesmo se o blog for ruim. Uma pequena empresa não tem esse benefício. A “força da marca” faz a diferência na audiência inicial e no grau de interesse dos leitores.

No Blog Corporativo Wiki tem uma lista de 161 blogs de pequenas e médias empresas. A maioria é de agências de marketing e comunicação e provedores de serviços de internet e informática, o que é justificável visto que o blog é parte do ganha pão dos mesmos. Poucos são os casos que exploram seu nicho (fora da internet) e se mantém fiel a ele, e esse é o principal desafio.

No caso das pequenas e médias empresas, o nicho é bem pequeno, chegando a amigos e parentes de funcionários. A única forma de atrair mais leitores é manter posts de qualidade e que falem algo com que seus leitores e clientes se identificam (e em alguns casos o assunto pode ser raro e nem crescer tanto em número de leitores). Mesmo assim a escalada para o sucesso da iniciativa será longa e poderá frustar se o objetivo do blog for muito além da realidade. Esse é um dos principais motivos que explica porque tantos blogs dão errado: eles querem conquistar o mundo e não só o relacionamento duradouro com os clientes.

A PME pode ter o benefício de colocar o blog no ar mais facilmente e de forma menos burocrática, mas ela precisará ser ainda mais criativa e dinâmica para manter a chama acesa.

Voltarei no próximo post aos benefícios do blog na pequena e média empresa e vou tentar explorar alguns casos.

6 Comentários

  • Animalllllllll….
    Estava a busca de algo focado, como o que vc está expondo aqui…
    achei muito interessante, e concordo plenamento com o que vc postou…

  • Fábio.

    Como faço para que o blog da PortoFácil seja listado lá no seu wiki?

    • Janio,

      Ta feito! :-)

      Obrigado por me lembrar de você.

      Abraços.

      • Obrigado, Fábio!

        Para constar: meus “concorrentes” acham ridículo que o site principal da PortoFácil seja um blog. Meus clientes adoram, e a clareza de comunicação que esta ferramenta permite não se adquire fácil com nenhuma outra.

        Além disso, tudo o que eu digo fica registrado, literalmente, para o mundo ver. Sempre tem cliente novo chegando e dizendo que o que agradou foi a transparência, e é por isso que preferem até pagar mais caro.

        Abração!

  • Fábio,

    Eu li um comentário muito pertinente do Gary Vaynerchuk que acho que é um belo complemento ao que você escreveu:

    “Não é a camera que eu uso, não é a plataforma de blog, não são os widgets, não é o SEO. São os dois Cs: conteúdo e comunidade. (…) É sobre oferecer de coração conteúdo do qual você realmente entende e, mais importante, dar de volta à comunidade que apóia seu show.”

    Perceba que em nenhum momento ele fala de tamanho de comunidade ou conteúdo “da moda”, mas sim de oferecer algo de qualidade e reconhecer quem te acompanha, por menos pessoas que sejam.

    Enquanto uma pesssoa ou empresa construir um blog olhando para o contador de visitas ao invés de olhar para aquela área branca que deve ser preenchida com conteúdo, nunca se atingirá nada. Daí segue a frustração e o pensar “isso não é para alguém do meu tamanho”, que mata qualquer iniciativa.

    Quanto ao Groundswell, gastei meu crédito mensal no Audible com ele e estou ouvindo no carro. realmente, para os já iniciados é meio óbvio, mas é bom para construir argumentação com chefes e diretores que ainda não estão nesse contexto.

    • Um material impresso escrito por terceiros é sempre a melhor alternativa para convencer os executivos. Minha profissão depende desse fator psicológico que movimenta o mercado de consultoria.

      E veja bem: esse fato tem valor. Não é só o psicológico que ajuda, mas sim a competência de quem exerce. Os autores do livro são especialistas, não esqueçamos disso.

Escreva um comentário