O que a produtividade tem haver com o cafezinho?

jun 16, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  5 Comentários

Alguns meses antes de me mudar para a Holanda um gerente me disse que tinha lido em algum lugar que os Holandeses eram muito produtivos. Procurei na rede evidências dessa afirmação e, além de confirmar ser verdadeira (página 35 tem um gráfico onde a Holanda só perde para os Estados Unidos), acabei encontrando, em uma apresentação sobre Inovação Tecnológica na Indústria Brasileira a seguinte frase:

Em 2002, já eram necessários cerca de 4 brasileiros para produzir o mesmo que um norte-americano.

Um número intrigante.

Para aqueles que estão buscando evidências empíricas ou discussão séria na comparação Brasil e Holanda parem por aqui, pois minha observação ignora diferentes indústrias e ramos de atuação. Mais ainda, minha opinião ruma para o lado do cafezinho (que tanto desestimula a criatividade)…
Bandeja para copos

  • No Brasil temos a cultura do “vamos tomar um cafezinho”. A máquina de café é o ponto que mais recebe visitas durante o dia. Nas minhas andanças por diversas empresas noto que existem pessoas que, literalmente, ficam mais tempo no café que na baia. Nunca sozinhos.
  • Na Holanda eles bebem mais café em quantidade (só que aguado), mas toda hora um membro da equipe levanta e pergunta a todos o que querem beber. A bandeja com furos para colocar os copos (foto) está presente em todos lugares. Niguém vai junto e fica de papo furado perto da máquina.

Eu não bebo café. Portanto às vezes eu ia à máquina para papear porque ir até ela é fazer um social.

Ir à máquina é networking.

Mas afeta a produtividade.

Para os bebedores de café é difícil ficar sem cafeína, entendo. Mas bater um papo furado é evitável. Se você não consegue evitar, tente outros approachs, como o do Get Things Done – foque seus esforços se livrando de trabalhos mentais.

5 Comentários

  • Não creio que seja esse todo o problema.

    Há diversos fatores a ser analisados, como má remuneração, baixa qualidade de vida, excessiva carga horária de trabalho, baixa qualidade de capacitação, etc.

    • Claro, vc tem toda a razão. Concordo que existem muitos outros fatores que pesam muito mais. Só quis dar uma pincelada num hábito que, apesar do meu tom no post, eu considero pra lá de saudável.

      Abs

  • Fábio,
    Há muito tempo não vinha aqui, e além de ter gostado dos novos textos, me surpreendi com uma coincidência: estou sendo transferida para o escritório da minha empresa na Holanda, e ando pensando bastante sobre como será o esquema e estilo de trabalho por aí. Essa informação do café foi extremamente útil… Se tiver mais observações serão muito bem vindas!
    abs

    • Oi MC,

      Gosto tb do seu blog e do seu ponto de vista. Se precisar de dicas ou quiser saber a nua e crua realidade por aqui é só escrever. Onde vc vai morar?

      Abraços.

  • O loco meu! Tem haver? é forte.

Escreva um comentário