Micronações

jul 17, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  3 Comentários

Sealand - picture from WikipediaO link para minha descoberta foi: Baarle-Hertog (uma cidade intrigante que pretendo visitar) – BoingBoing (falando sobre a cidade)- BLDGBLOG (a fonte de informação do BoingBoing)- Amazon (link para um guia de viagem para Micronações). A partir de então havia entrado em contato pela primeira vez com o conceito de Micronacionalismo.

Na Wikipédia tem bastante texto e uma lista das Micronações existentes para você entender esse mundo povoado de nações interessantes, insanas, divertidas e sem nenhum nexo.

Resumindo, a coisa é mais ou menos assim: qualquer um pode criar uma nação com leis, governo, bandeira, moeda, língua, time de futebol ou qualquer outro item presente em uma nação real. A Micronação pode ter território na Terra, em outro planeta ou ser apenas um website. Coisa de louco? Não, é só mais uma forma de conhecer gente e formar comunidades, a diferença é que essa aí é muito mais antiga que a web 2.0.

A mais famosa delas provavelmente é o Principado de Sealand, que tem empresa operando, website e território (foto). Como o lugar não pode ser tecnicamente vendido, os seus governantes estão querendo vender a custódia da Micronação, o ThePirateBaydemonstrou interesse em comprar a ilha para fugir das gravadoras e processos de direitos autorais.

3 Comentários

  • Tem duas histórias bacanas aí: a última frase é uma notícia dentro da notícia. Foi o q me fez ficar pensando aqui… é algo q qq ser com um cérebro entre as orelhas pensa um dia… sobre todos os negócios que iniciaram como algo ilegal ou pirata desde o colonialismo europeu.

    Tb estava imaginando se a TV Globo sempre pagou direitos autorais ao usar a trilha de Vanishing Point na vinheta do Globo Repórter.

  • Eu já tive um certificado de cidadania de Waveland. Na época, quem quisesse poderia solicitar até um passaporte.Inclusive teve um “conterrâneo” que o apresentou ao entrar na França e o cara da imigração carimbou o passaporte como se fosse oficial!

Escreva um comentário