Visualizando posts com a tag " profissão"

Revolução na comunicação – Novas profissões = Novas competências

out 4, 2007   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  4 Comentários

(c) Yotophoto.comNo mês passado quando comentei sobre reputação corporativa, mencionei o fato de as empresas estarem mais sensíveis a ataques ou problemas por causa da internet, mais ainda por conta dos blogs e comunidades virtuais.

Percebo que com a onda da web 2.0 e do wikinomics começaram a aparecer diversas agências ditas especializadas em webmarketing da nova geração da web. Pior, diversos profissionais se improvisam como consultores de blogmarketing.

Toda profissão está sujeita a sofrer mudanças por conta da prosperidade. A comunicação social e o marketing são algumas das tantas profissões existentes que estão sofrendo mudanças bruscas nesse contexto.

É importante estar atento, porém, às competências necessárias para manter a excelência nos serviços prestados no cenário 2.0.

Exemplo:

Dizer-se conhecedor da tecnologia e das plataformas de gestão de conhecimento como os blogs não basta para se auto-denominar um blogmarketeiro, é necessário saber gerir a complexidade da reputação (seja da empresa ou pessoal) nas novas mídias sociais.

Diversas são as competências necessárias para ser um verdadeiro marketeiro ou comunicador da nova geração. A publicidade televisiva em tempos de YouTube, os mash-ups, a wikiconomia, juntamente com outros neologismos da nova geração da internet exigem muito mais do neoprofissional do que podemos inicialmente imaginar.

Blogs: Uma marca chamada VOCÊ!

out 3, 2007   //   por Serendipidade   //   Blog Corporativo  //  1 Comentário

the_brand_called_you1.jpgEm uma matéria na revista Fast Company de Agosto/1997, Tom Peters nos introduziu e contou um pouco sobre Personal Branding.

Personal branding é o processo no qual as pessoas se posicionam perante o mercado como marcas, analogamente ao marketing de uma marca ou empresa. Carreira, profissão ou vida pessoal são alguns dos temas que temos que defender. Somos presidentes da nossa vida profissional.

Por que estou apresentando isso aqui?

Porque os blogs são a melhor ferramenta de marketing para os mais diversos tipos de marcas individuais. Personal branding é mais uma finalidade. Blog de Personal Branding. Tanto para o profissional liberal com seus portifólios e testemunhos, quanto para o CEO daquela empresa que fatura mais de 20 bilhões de dólares por ano.

Nem só de monetização vive o blogueiro

ago 28, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

A frase acima é verdadeira e acredito que 100% dos demais blogueiros provavelmente concorda comigo. O problema é que parece que a mídia só percebe isso (ou é isso que ajuda a notícia se vender). Parece que o BlogCamp só discutiu monetização (não sei se isso é verdade porque eu não fui, mas a mídia só está falando disso e do Estadão). E o pior problema é que qualquer um que não conhece blogs acha que a finalidade é somente essa.

Essa semana me perguntaram se eu escrevo um blog para tentar ganhar dinheiro. No fundo eu diria que sim, mas por meio de relacionamentos e geração de oportunidades de negócio porque afinal de contas eu escrevi um livro por causa deles (os blogs). Não pelo uso de ferramentas X ou Y ou vendendo a minha capacidade de liderar, influenciar ou atrair leitores para terceiros.

Não sou contra a profissão blogueiro, mas acho que tem muita gente gerando informação desnecessária poluindo (e isso já se é sabido há bastante tempo) a internet.

O leque blog é amplo e dentro dele existem diversos nichos de atuação. Sei lá, só quis escrever isso para o caso de algum marinheiro de primeira viagem passe por aqui.

Notícias Populares

dez 12, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

(c) Bright Tal - flickr.com/people/bright/Sabemos que o Brasil exporta diversos tipos de notícias para o exterior. Grande parte são notícias “populares” de sexo, violência e pobreza.

Engraçado o uso do termo “notícia popular” para o tipo de notícia declaradamente inútil. Cai como uma luva para descrever “notícias inúteis” de forma amena. Ou então, pegando o termo “popular”, ou seja, algo que é bastante aceito pelo povo, temos que “notícia popular” foi bem moldada para a situação: Reflete a ignorância das massas.

Dentro dessa reflexão, pegamos o exemplo da nossa amiga Bruna Surfistinha. Ela, como qualquer ser humano, encontrou uma maneira de arranjar dinheiro no nosso mundo machista e na nossa pátria sexual. Vendeu serviços, angariou fundos, falou mal de um monte de gente, falou bem de outras pessoas, e se deu bem até o lançamento do livro. Sucesso certo no país que promove, além dela, empresários e políticos corruptos, multinacionais manipuladoras, bandidos de classe alta, a própria classe alta e líderes sindicais.

E agora com o livro? Estourou. Neste caso, além da profissão que garantia dinheiro, ela se aliou ao que a “notícia popular” mais possui: Poder para se espalhar. E mais longe, já vi vários brasileiros “comemorando” mais uma desgraça nacional: Ela foi notícia no exterior!!! E aí é que entra o Brasil que estávamos comentando no início desse texto bem como a massa ignorante que vai atrás dele batendo palmas. E ela (a ignorância) deveria ser dolorida.

Ela foi esperta e usou as ferramentas que tinha ao alcance. O que sobra são os restos de uma pátria ludibriada, desenganada, e ainda assim feliz.

Em busca do cotidiano criativo

set 29, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  1 Comentário

(c) yotophoto.comAcho que a maneira mais interessante (e divertida) para estimular a criatividade é acumular a experiência de vida do nosso cotidiano com variação da informação que chega a nossa mente, ou seja, viver um dia-a-dia diferente a cada dia, fazer e agir de modo diverso para alcançar os mesmos fins.

O motivo para essa variação é enriquecer o nosso repertório de idéias e conhecimento. Uma explicação para a criatividade despertada é a que ela se baseia em ligações com ou sem lógica com outros conceitos ou idéias. A maioria das boas idéias acaba surgindo quando quebramos paradigmas, mas para conseguir quebrar temos que pensar diferente e possuir um grande ferramental disponível ao nosso alcance.

É exatamente esse “ferramental” que estamos buscando aqui.

  • Todo dia faça um caminho diferente para voltar para casa. Mude a disposição dos móveis da sua casa, quebre as rotinas.
     
  • Experimente situações novas. Viaje para uma cidade que você nunca foi, puxe conversa com pessoas estranhas no elevador, no táxi ou em filas, saia para jantar em um restaurante novo, experimente novas bebidas e comidas.
     
  • Sempre compre uma revista nas bancas que você nunca tenha lido. Busque conhecer mais os assuntos que não tenham nada haver com a sua profissão ou interesse, leia Caras, Set, Quatro Rodas, Marie Claire, Fluir, Veja, Viver Mente e Cérebro, Contigo, National Geographic, Focinhos, Arquitetura e Construção, Revista Rural. É surpreendente a variedade de temas que encontramos nas bancas.
     
  • Faça alguma coisa diferente como um hobby ou ação social voluntária. Quanto mais distante da sua realidade melhor, é muito importante a integração, experiências, sensações, e informações adquiridas nesses processos.
     
  • Volte a estudar. Faça uma pós-graduação ou um curso de aperfeiçoamento em um assunto diferente ou novo para você.
     
  • Enriqueça sua cultura. Leia livros, vá a teatros, circos, parques.