Senso de urgência

out 11, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

(c) Malene ThyssenExistem dois tipos de senso de urgência:

O precavido e o complicado.

Vamos supor que você começe trabalhar todos dias as 8 da manhã, e para isso, você tem que acordar 1 hora antes para dar tempo de se arrumar, tomar café da manhã e dirigir até o local do trabalho. Como se trata de acordar cedo (algo que eu não gosto), acabamos deixando o despertador no limite máximo para dar tempo de chegar no trabalho. E se…

E se você mora em uma cidade aleatória como São Paulo ou em qualquer outra cidade grande? Como fica seu trabalho se acontece um acidente que provoca transito? E um outro compromisso importante e inadiável? Como fica?

Conclusão: Acorde mais cedo. Saia mais cedo de casa. Para seus compromissos importantes se antecipe um pouco, porque isso não custa muito e vai trazer bastante conforto a você no final.

E para pegar o avião então? Nem se fala… É só olhar o tanto de gente que vive correndo nos aeroportos… Perdendo vôos.

Acorde mais cedo. Saia mais cedo. Se antecipe.

Se você é do tipo de pessoa que no trabalho ou nos negócios só vive “correndo atrás do incêndio com um extintor”, reflita um pouco e pense se não vale a pena deixar o que está queimando queimar um pouco e começar a resolver os problemas antes do prazo final. Brasileiro tem essa coisa de deixar as tudo para a última hora.

Em Nova Iórque temos uma taxa de criminalidade que foi reduzida bastante nos últimos anos. A polícia é bem treinada e bem estruturada, mas eles jamais conseguiriam chegar ao patamar atual se não tivessem começado a combater os pequenos crimes. Aquele sujeito que pula a roleta do metrô, ou que roubam pequenos produtos de supermercados ou feiras. O infrator de pequenos crimes de hoje pode ser o homicida de amanhã.

E aí? Não vale a pena?

Escreva um comentário