Visualizando posts em "Blog"

Quem perde? Quem está ou quem não sabe onde quer chegar?

mai 24, 2011   //   por Fabio Cipriani   //   Estratégia em Mídias Sociais  //  Nenhum comentário

Recebi um email com uma pergunta:

Qual é a empresa mais equivocada? Aquela que “está” nas mídias sociais sem uma estratégia e objetivo definido? Ou aquela que não está nas mídias sociais, mesmo sendo citada pelos consumidores?

Minha opinião:

Não podemos “acusar” uma empresa de estar equivocada. Nesse mundo social novo é natural não dar a atenção devida a ele ou sequer entender os desafios que ele impõe. A novidade ainda se faz presente.

Como estamos todos aprendendo a lidar melhor com essa novidade, acredito que a empresa que já “está” poderá estar melhor posicionada que seus concorrentes se este “estar” significa ao menos monitorar o que está sendo dito sobre ela ou a indústria a qual faz parte.

Não estar não significa erro, mas talvez um desperdício da possibilidade de ganhar mais vantagem competitiva…

Lançamento do livro Estratégia em Mídias Sociais

mai 1, 2011   //   por Fabio Cipriani   //   Estratégia em Mídias Sociais  //  7 Comentários

Veja convite no Facebook.

Paradoxalmente, as mídias sociais são mais complexas do que as empresas imaginam.

A forma como elas são vistas e comunicadas hoje nos passa uma ideia de que resultados rápidos, eficientes e sem esforço são inerentes a ela, mas a verdade é outra. Parece fácil imaginar que essas redes são uma extensão da nossa capacidade de formar comunidades e laços de amizade, no entanto, muitas empresas ainda pensam que as mídias sociais são apenas mídias e não plataformas de relacionamento. Muitas aplicam dinheiro e não o esforço de dialogar com a transparência estratégica que esse meio requer.

A estratégia apresentada neste livro vai ajudar sua empresa encontrar o caminho neste novo mundo, mas também vai quebrar a visão estrita em marketing, quebrar a ideia de que essa moda vai passar, quebrar a assertiva de “que a minha empresa não se encaixa nesse contexto” e quebrar o paradoxo das redes sociais que está em você.

O livro nasce depois de uma pesquisa extensiva de quase 3 anos e diversas entrevistas no Brasil e fora dele. Dentre os entrevistados estão: Alessandro Barbosa Lima, Alexandre Inagaki, Andrew Keen, Charlene Li, Edney Souza, Jeff Jarvis, Jeremiah Owyang, Manoel Lemos, Marcelo Coutinho, Mauro Segura, Romeo Busarello, Thiane Loureiro, entre outros.

Curso de Marketing para Jornalistas e Assessores de Imprensa

nov 27, 2010   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  4 Comentários

Hoje vou lecionar no Curso de Marketing para Jornalistas e Assessores de Imprensa promovido pelo Marcelo Miyashita no Espaço Paulista de Eventos em São Paulo.

O módulo que vou apresentar é o 4: “Blogs e mídias sociais como ferramentas no jornalismo
1. Por que as mídias sociais não podem ser ignoradas
2. Usos e benefícios das mídias sociais para o jornalismo
3. O lado corporativo e o lado jornalístico das mídias socias
4. Como o blog pode ser utilizado para incrementar sua atividade de jornalista
5. Como criar um blog e fazê-lo bem

Palestra na Aberje BH – Mídias sociais nas empresas

ago 13, 2010   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  2 Comentários

Será nesta segunda, dia 16/08 em Belo Horizonte. Segue convite abaixo e converso com vocês em BH!

Mídias sociais para Recursos Humanos e Comunicação Interna

jun 1, 2010   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  8 Comentários

Ao longo das próximas duas semanas estarei palestrando em dois importantes congressos. As mídias sociais são o centro da discussão das minhas palestras e a idéia é descrever um pouco dos impactos que elas causam em cada um dos processos: Gestão de recursos humanos e Comunicação interna.

No 36o. Congresso de Recursos Humanos do Rio de Janeiro promovido pela ABRH-RJ vou abrir a frente de tecnologia para falar, no dia 10 de junho, das mudanças na tecnologia empregada para a gestão dos recursos humanos e explicar como as mídias sociais se tornarão uma importante força na mudança da estratégia, operações, tecnologia e cultura das empresas. Seguiremos então em 4 sessões de tecnologia separadas e por fim vou moderar o debate com os congressistas e panelistas.

O 14o. Congresso Anual de Comunicação Interna promovido pelo IBC Brasil ocorre logo na semana seguinte, e vou palestrar no dia 18 de junho em um debate aberto onde 3 empresas irão demonstar casos práticos de comunicação interna com mídias sociais que ocorreram em suas organizações. Divido o palco com André Fróes da Amadeus IT Group e Marco Barcellos da Cisco do Brasil.

Volto depois dos eventos para contar sobre o que aprendi por lá.

Pesquisa inédita: "Mídias sociais nas empresas"

mai 27, 2010   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  12 Comentários

É com grande satisfação que apresento ao Brasil a pesquisa “Mídias sociais nas empresas”, liderada por mim e conduzida pela Deloitte e nossa equipe de consultores. Ao longo dos meses de fevereiro e março de 2010, pouco mais de 300 empresas responderam o questionário e visitamos 10 empresas para mapear suas práticas em mídias sociais. Foram elas: Accor Hospitality, Azul, Boehriger Ingelheim, Bradesco, Editora Globo, IBM, Natura, Nokia, Roche e Tecnisa.

É a primeira vez no Brasil que teremos acesso a um panorama completo de como as empresas brasileiras estão se comportando nesse contexto de relacionamento com o novo cliente “social”.

Não quero adiantar aqui nenhum resultado para que você se sinta tentado a entrar no website da Deloitte e fazer o download. Existem duas opções: relatório completo ou apresentação sumarizada que apresenta a oferta de serviços de consultoria estratégica em mídias sociais.

Acesse aqui e bom proveito!

Update sobre meu livro parte 2

abr 19, 2010   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  8 Comentários

No post anterior falei mais da primeira parte do livro. Segue então, no resto deste post, a visão da segunda parte do livro que fala mais diretamente de estratégia em Mídias Sociais.

Em uma bela figura de guarda-chuva, eu incluo todos os ingredientes do que considero parte de uma estratégia: objetivos, abordagens, dimensões e os canais, que são as próprias mídias sociais. As dimensões consistem de 7 elementos que devem ser levados em conta quando da preparação de uma nova estratégia e para a manutenção da mesma. Não vou revelar os 7 elementos, mas em breve vocês saberão. Cultura & pessoas e Tecnologia são 2 deles, posso adiantar. As abordagens (que já mencionei no post anterior) devem ser amarradas com os processos já existentes na empresa ou novos processos que adequam o modo de trabalhar com as mídias sociais.

Vem então um belo capítulo de ROI em mídias sociais, um trazendo exemplos brasileiros que se relacionam com cada uma das dimensões estratégicas apresentadas anteriormente (7 cases mais um “bonus”), e um curto epílogo com um pé no futuro.

O livro está pronto. 5 meses escrevendo e arrematando as últimas entrevistas no Brasil. Quase 2 anos de pesquisa e amadurecimento. Falta só publicar, mas ainda falta um pouco para chegar às livrarias. Se tudo correr bem em 2 meses, senão em 3.

Agora preciso pensar no que fazer com os meus blogs. Tenho pensado em unificar tudo. Idéias são bem vindas.

Update sobre meu livro de estratégia em mídias sociais

abr 5, 2010   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  2 Comentários

Estou na reta final para finalizar meu livro que terá cerca de 15 capítulos em duas grandes partes, além da introdução e alguns apêndices básicos. E fiz este post porque quero ir transmitindo pouco a pouco aos leitores do meu blog o que vocês podem esperar do livro em termos de conteúdo. Quem sabe para ir despertando o interesse e, ao mesmo tempo, já ir esquentando os motores das discussões.

Dentro da primeira parte, “Entendendo o novo mundo social”, além de introduzir um novo ciclo de vida do cliente para as empresas, eu uso o mesmo para explicar os tipos de abordagem que uma empresa poderia usar ou usufruir, relacionados com as mídias sociais. Durante a explicação dos passos desse novo ciclo, eu discuto sociologia, ciência do consumo, neurociência, individualismo, outras picuinhas e acabo falando de 5 grandes abordagens que eu considero cobrir 100% de tudo o que pode ser feito nas mídias sociais dentro do mundo corporativo:

  • Monitoramento
  • Marketing colaborativo
  • CRM Social
  • Inovação colaborativa
  • Empresa 2.0

Abordagem é livre, a criação ou combinação vai até onde os processos das empresas podem ser transformados em “processos sociais” de alguma forma. Essas são as minha 5 abordagens possíveis. Invente a sua.

Em outro post eu falo mais da parte de estratégia.

Meu último post no Serendipidade era o texto que comecei fazer para o capítulo de encerramento do livro, mas ao reler achei muito catastrofista e pessimista. Resolvi largar mão e postar no blog. Vale a reflexão. Entra lá e me diz o que acha.

O mundo dos mundos virtuais sociais

abr 2, 2010   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

Vivemos em um mundo repleto de outros mundos virtuais onde pessoas se relacionam, conversam, brincam e se divertem. Nesses mesmos mundos pessoas se magoam, se deprimem, brigam, roubam, matam e se matam no mundo virtual e algumas vezes no real. Parece nosso mundo real, é, aliás, um espelho do nosso mundo real. Ser social é inerente ao ser humano.

A tecnologia social que aproxima as pessoas pelo meio virtual também pode afastar as pessoas no mundo real. Hoje já testemunhamos casais de jovens que quando sentam para uma refeição em um restaurante quase não mais se conversam. Cada qual vive imerso em seu smartphone. E o caminho da mudança ainda promete muitos outros impactos na nossa sociedade cada vez mais dependente da tecnologia e da rapidez. Em poucos anos as redes sociais serão como o ar que respiramos? Ou estando em todos os lugares serão como um saco plástico que sufocará e apagará o calor humano?

Não quero parecer catastrofista. Mas não consigo evitar o pensamento uma vez que ainda não vemos um basta no fim do túnel. Vem-me a mente uma palestra do Professor Romeo Busarello, também Diretor de Internet da Tecnisa. Nos primórdios do mundo as pessoas se sentavam em círculos, com o rádio sentaram em U, com a TV formaram uma linha horizontal de frente para ela, com o computador se sentam sozinhas para interagir com o mundo online, e agora que os smartphones entram em cena, temos o mundo na palma da mão. Todas essas formações absorviam nossa atenção, de pessoas, fomos a objetos onde ouvíamos ou víamos pessoas, e voltamos a conversar com as pessoas, só que por meio de uns e zeros, digitalmente.

Lembro-me também do desenho animado Wall-E, da Pixar, com todos aqueles humanos gordinhos e sem mobilidade por causa de décadas vividas confinadas dentro de uma nave espacial nos confins do universo. Cada um no seu computador pessoal. Previsão do futuro?

Privacidade? Com redes sociais acessíveis na palma da mão e a localização via GPS, novas redes sociais começam a surgir com a possibilidade de dizer a todos no mundo virtual qual é a sua exata localização. Somando isso ao seu perfil com dados pessoais e preferências, temos uma ficha completa e em tempo real das pessoas. As implicações são ilimitadas porque no nosso mundo desenvolvemos tecnologia rapidamente, mas o ritmo da ordem, das regras, segue atrasado, em passos lentos e interferentes com a liberdade de expressão.

Talvez não exista motivo para se preocupar. Existem os exageros, mas também podemos considerar que há de haver um balanço. Um bom senso que limita a vida sedentária trazida pela tecnologia com o bem estar da mente e do corpo, exercícios físicos e saúde. Temos que pensar na perpetuidade da raça humana.

Preocupa-me, no entanto, se esse bom senso for o mesmo que aquece o planeta ano após ano, se esse bom senso for o mesmo que aumenta o número de divórcios ano após ano, se for a busca pelo lucro máximo ao invés do ótimo.

Somos atores principais e coadjuvantes de um teatro chamado planeta Terra, aproveite! Aproveite porque parece que o espetáculo está terminando.



A morte do CRM!

mar 25, 2010   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  1 Comentário

Charlene Li é autora de um best-seller sobre mídias sociais chamado “Groundswell“, e está aqui no Brasil hoje em um seminário para falar de estratégia em mídias sociais.

Muito conveniente uma vez que este é o tema central do meu novo livro que deve ser lançado em uns 2 a 3 meses. Eu não fui ao seminário porque já tinha conversado com ela antes para meu livro, mas fiz questão de participar do videochat com ela hoje pela manhã. Veja o vídeo abaixo.

Se falou muito de como conseguir followers, como fidelizar followers, como tratar seus followers (será que só existe Twitter?) e muito, mas muito pouco de estratégia.

Quando uma das minhas perguntas foi lida (aos 10’05”):

“How do you see relationships in this scenario? Is Social CRM a killer approach for adoption?”

“Como você enxerga os relacionamentos neste cenário? CRM Social é uma forma matadora para estimular adoção?”

[[CRM = Customer Relationship Management ou Gestão de relacionamento com clientes]]

Ela foi traduzida errada para português, o que acabou acarretando uma tradução da resposta da Charlene errada também: Enquanto a Charlene concordou que Social CRM é, sim, um fenômeno e que no futuro tudo o que a empresa tocar será social, a tradutora disse que o CRM vai morrer!!! Ou melhor, sendo mais fiel à tradução: “que o CRM está fadado à morte”.

Se o vídeo não funcionar, tente aqui.

Páginas:«1234567...76»