Visualizando posts com a tag " ciência"

Leituras que valem a pena #22

ago 28, 2007   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

Desde abril que eu não publicava nada na série Leituras. Aí vai.

The Encyclopedia of Business Cliches | Seth Godin
Seth preparou uma lista de clichês usados no mundo dos negócios para que os próprios leitores votem nos “piores” clichês

The Right Way to Use Web 2.0 | BusinessWeek
Especialistas avaliam a web 2.0 e maneiras de explorá-la com eficiência.

100 Websites You Should Know and Use | TED Blog
No âmbito da inovação o blog da TED nos trouxe uma lista interessante de websites que devemos conhecer e usar.

Pontos positivos e de atenção dos Blogs Corporativos

ago 14, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  3 Comentários

Segundo o ponto de vista de diversos blogueiros corporativos, Marcio Gonçalves e Carolina Terra listaram em seu artigo para a RP em Revista os pontos positivos e negativos de se usar o blog como estratégia de comunicação empresarial.

Eu chamaria a lista de pontos positivos e pontos de atenção dos blogs corporativos. Os batizados “pontos negativos” são perfeitamente contornáveis. O trecho abaixo foi inteiramente retirado do artigo citado acima:

Pontos positivos

  • Abrir um canal de relacionamento com seus stakeholders, principalmente formadores de opinião on-line.
  • Dar uma cara mais “humana” à empresa, se o blog for realmente um blog e não um site corporativo travestido de blog.
  • Ter um canal para feedback da comunidade sobre a empresa e suas ações.
  • Um canal de comunicação da empresa que pode ser facilmente atualizado. Uma fonte confiável de informações da empresa que podem auxiliar seus clientes e fornecedores a entender melhor como ela funciona.
  • Uma forma de conhecer os seus clientes e permitir interação. Receber feedback deles na forma de comentários e até mesmo estabelecer e melhorar o relacionamento a partir desses recursos.
  • É um canal viral. Dessa forma os textos podem ser indicados a outras pessoas e diversos meios podem consultar o blog como uma fonte de referências confiável de uma empresa.
  • Conquistar a confiança do consumidor é, com certeza, o primeiro ponto positivo. Ter um blog é ser transparente e aceitar o diálogo com o consumidor. A internet e a globalização possibilitam que o público acompanhe tudo o que as empresas fazem ou deixam de fazer. Não adianta mais tentar enrolar as pessoas. Qualquer um pode encontrar informações e opiniões no Orkut, YouTube e blogs. O fenômeno blog desafia as tendências tradicionais sobre o controle da comunicação das corporações, mídia, governo e mercado. É um novo campo em que todos podem recomendar ou criticar seu produto ou serviço. De acordo com o Estudo de Confiança da Edelman de 2007, os consumidores acreditam mais em “pessoas comuns” do que em autoridades. Ou seja, o recado está dado: chega de mensagens enlatadas! Os blogs emergiram rapidamente como uma nova tecnologia neste caminho.
  • Outro ponto positivo é que os blogs se tornaram uma fonte de informação com credibilidade, principalmente para jornalistas e formadores de opinião. Blogs de CEOs e funcionários são formas viáveis de comunicação para muitas propostas, como ferramenta de conhecimento interno para aumentar a credibilidade e dividir informação, e devem ser considerados como uma estratégia para comunicação corporativa.
  • Profissionais da área de comunicação devem entender a blogosfera como medidor em tempo real da eficiência da comunicação interna – mais um ponto positivo para os blogs – e engajamento dos funcionários. Embora não seja uma medição tão efetiva quanto uma pesquisa tradicional, serve como dados qualitativos sobre o sentimento do funcionário em relação à empresa – ótima ferramenta para recursos humanos. As empresas precisam considerar que a comunicação olho-no-olho ainda é mais efetiva e que ela refletirá na comunicação virtual, mostrando a felicidade do funcionário que a vê com uma ótima comunicação interna e um bom relacionamento com os executivos.

Pontos de atenção

  • Se a empresa não for realmente preocupada com que diz e faz, pode gerar ainda mais fragilidade e ela poderá ser ainda mais atacada
  • Exige trabalho dedicado e temas/discussões que não apenas interessem mas envolvam a comunidade na discussão.
  • Se o blog for em torno da marca e não de um tema pode gerar desgaste para a empresa. A Tecnisa, construtora de SP, por exemplo, tem um blog muito bom mas ela não fala de si mesma, fala da construção civil.
  • É um meio informal de se comunicar, que não dá a mesma credibilidade que teria, por exemplo, um press release ou até mesmo um jornal fechado com temas específicos.
  • O feedback não é espontâneo e está mais direcionado com o conteúdo dos textos publicados. Uma ferramenta que permite o feedback mais espontâneo é o fórum na internet, recurso que muitos portais adotam cada vez mais em conjunto com o blog corporativo.
  • Não permite resposta ao feedback de forma direcionada. O feedback pode ser feito a partir de textos que comentem o conteúdo dos comentários dos usuários, mas sempre de forma genérica e nunca personalizada.
  • A falta de cultura ainda atrapalha o amadurecimento desta nova ferramenta. Existe muita confusão e medo com relação a blogs e muitas empresas ainda não entenderam o objetivo deste fórum de discussão virtual.
  • Além disso, por trata-se de uma espaço aberto, é preciso tomar cuidado com o que será escrito, já que a informação vale ouro nos tempos atuais. Seus concorrentes podem “roubar” suas idéias ou conceitos.
  • E por último, a falta de compromisso e respeito com os comentários. Não acho que é uma desvantagem, mas sim um risco. Uma vez que você começa um blog, as pessoas esperam diálogo e troca de experiências. Então não vale escrever a cada mês ou 45 dias. É preciso ter empenho e saber receber sugestões e, talvez, até críticas.

O início da queda

jul 17, 2007   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

Matéria do dia 14 de julho do Los Angeles Times revela que algumas empresas estão saindo fora do Second Life. Como eu esperei por isso…

“You’re talking about a much smaller audience than advertisers are used to reaching”

Em outro post já falava que a presença das empresas na nova realidade virtual era errônea e não trazia benefícios aos poucos usuários que tem paciência para viver eletronicamente.

Está na hora de redirecionar os esforços para Blogs Corporativos. Essa outra onda já cresceu o bastante e já se é sabido que veio pra ficar.

Entrada instintiva

jun 24, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

FNACHoje a tarde eu fui na FNAC da Av. Paulista babar em algumas TVs de alta definição e ver algumas revistas importadas e pela segunda vez reparei nas “antenas” de segurança na entrada da loja, esses sensores que apitam quando alguém sai com algum produto portando uma RFID (veja a foto).

Cada divisão desse sensor possui um outro sensor óptico com um contador digital de número vermelhos. Ele processa e indica quantas pessoas entram na loja de forma discreta e eficiente, só que cada divisão tem o seu próprio sensor. Qualquer dia eu vou tirar uma foto e postar aqui.

Tudo isso só pra contar que a divisão do meio era a que mais possuia acessos. Sem contar que sentei e fiquei observando as pessoas entrarem. Tinha gente que desviava para passar no meio. Fui remetido ao meu primeiro post: As pessoas interagem com os ambientes onde estão inseridas. A simetria da entrada e a eqüidistância das portas parece fazer sentido aos clientes, os quais acabam escolhendo o centro.

Depois do centro, o lado direito era o segundo mais “visitado”.

Nada demais. Não sou analista e nem sei de teorias psicossomáticas nem behaviorismo. Só achei o caso interessante.

Dica dos comentários e de CONSUMO:
Livro: Vamos às Compras!: a Ciência do Consumo de Paco Underhill

Passado? ou Futuro?

abr 25, 2007   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  2 Comentários

Passado pAssado FuturoVou chamar aqui de passado ou futuro os dois caminhos que podemos dar em nossas vidas no que diz respeito a preferências de estudo ou desenvolvimento intelectual.

De fato, sem os dois não formamos base nenhuma para nos desenvolver, mas sempre seguimos preponderantes em um dos caminhos possíveis. Não sei se arriscaria dizer que existe também o caminho do presente pois não pensei o bastante no assunto, e além disso, o tempo passa muito rápido.

O caminho do passado é uma escolha que nos convida a mergulhar na infinidade de conhecimento registrado que encontramos em bibliotecas, um verdadeiro tesouro. História, filosofia, biografias, e mais além, todo o conhecimento contemporâneo até o dia de ontem que está disponível em bases de pesquisas na internet. Adoramos assistir filmetos youtubados nostálgicos, que resgatam boas lembranças.

Mas o caminho do passado que descrevo é mais profundo, ele significa que apesar do limite físico de informação, ou seja, os livros existentes hoje, a cada dia uma nova descoberta arqueológica pode nos trazer publicações ou hieroglifos de muitos anos atrás. O que dizer então de bibliotecas destruídas pelo furor de guerras ou os livros queimados de outrora? Quanta riqueza não havia na Biblioteca de Alexandria?

Por outro lado, vou chamar de o caminho do futuro aquele de quem busca respostas ainda não encontradas, ainda quando a resposta poderia estar contida em um passado remoto. Talvez seja o caminho da astrologia, da ciência de ponta e tecnologia, da descoberta de novas vacinas ou novas curas que hão de prolongar nossa vida na quase extinta e superaquecida terra.

Acredito que esse caminho só é trilhado por quem faz bom uso da sua bagagem de caminho do passado e mais um punhado de conexões sinapticas. Inovação é o nome da coisa.

Concluo então que o que nos leva à evolução e ampliação de horizontes é o ciclo de dois ou mais passos no passado, para dar um passo largo rumo ao futuro. Como agachar para dar um salto mais longo.

O caminho do passado e o do futuro é o caminho da inovação.

Sorria…

mar 6, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

ProvidenciaEstava dirigindo quando um veículo qualquer me ultrapassou.

Atrás desse veículo, em letras garrafais se lia:

“Sorria, você está sendo ultrapassado”

Rachei de dar risada. Fui buscar mais sobre as frases toscas que comumente vemos em veículos e encontrei isso . Caraca, pensei, tem até ciência nisso: “A LINGUAGEM FIGURADA NA CULTURA PROPAGADA EM VEÍCULOS”.

Logo na primeira linha se lê: “a língua é o principal código desenvolvido e utilizado pelos homens para as necessidades comunicativas da própria vida social”. E o interesse pela leitura deste artigo foi aumentando até o ápice: “Entre aqui, é melhor que shopping center”.

Vale a pena ler. Serendipitoso (e nerd).

Adendo relevante:
Tem alguns Gols (o carro da Volkswagen) circulando com a frase:
“Romário, me dê sua ferrari que eu te dou o meu Gol 1000″

Só tomando uma providência mesmo. Trouxe de Minas na semana passada essa maravilhosa (recomendação do meu pai) cachaça de Buenópolis. Muito, mas muito boa mesmo. Tome pura, sem gelo.

Fonte da Imagem

Mapa de tendências para 2007 e além…

jan 23, 2007   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  Nenhum comentário

Este mapa de tendências foi desenhado inspirado no mapa de linhas de metrô de Londres. Ele atravessa 10 segmentos: Sociedade e Cultura, Governo e Política, Trabalho e Negócios, Mídia e Comunicação, Ciência e Tecnologia, Comes e Bebes, Medicina e Bem-Estar, Serviços Financeiros, Varejo e Lazer e Transporte e Automotivo.

Clique no mapa para o PDF.

Trend Blend 2007

Fonte: Future Exploration Blog.

O livro em destaque

nov 18, 2006   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  6 Comentários

Duplamente feliz hoje. Duas grandes realizações que considero marcos no crescimento da divulgação do meu livro e suas idéias.

Primeiro: Ricardo Neves, colunista da Revista Época, autor e consultor empresarial, me deu a honra de ser apresentado em seu blog. É uma satisfação receber um feedback de um leitor tão ilustre.

“[...]Como tudo na vida, isto tem ciência e arte e atrás delas acabei encontrando um livro que me ajudou muito: Blogcorporativo, de Fábio Cipriani (Editora Novatec, 2006). Essa é uma dica quente. Simpático e simples. Fácil e gostoso de ler. Não é um desses livrinhos para nerds, hackers ou para os caras de TI (tecnologia de informação) da empresa que vivem de escovar bits.[...]“

Segundo: o Blog Eita. Este blog nasceu hoje (faço votos de prosperidade). Vejam um de seus posts inaugurais:

“O ímpeto de criar um blog foi motivado em boa parte, após a leitura desse livro.
Não que a pessoa aqui seja jurídica, mas o conteúdo apresentado serviu como estímulo a buscar coisas novas, ou nem tão novas assim.

O fato é que Fábio Cipriani conseguiu alinhar conceitos, cases, metodologia e a importância cada vez maior de participar desse meio de forma simples, de fácil leitura e bastante proveitosa.

Já leu?”

Já agradeci muitas pessoas na página de agradecimentos do livro, mas são vocês, leitores, a quem eu devo o meu sincero muito obrigado.

Valeu!

Vale tudo pra tirar vantagem

jul 30, 2006   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  3 Comentários

yotophoto.comBrasil, país das oportunidades. Enquanto em alguns países, como a Itália, as pessoas ainda não sabem fazer fila, no Brasil, um país tropical e amado salve! salve!, conta com uma população altamente avançada no que se refere a filas.

Com uma vantagem: Todos aqui são mais espertos que os outros.

A cadeia de Markov e a teoria das filas nem passam pela cabeça dos brasileiros. Elas seriam estraçalhadas pelo oportunismo da esperteza, ou melhor, pela esperteza do oportunismo.

Unindo isso à má qualidade de serviço por parte de bilheterias, supermercados, bancos, entre outras modalidades de serviço e consumo, os quais demandam uso de processos estocásticos para tentar atender com o mínimo de satisfação, teremos como resultado uma combinação que valoriza ainda mais a astúcia de nosso povo.

Como temos consciência de sermos um povo preocupado com grávidas, idosos, crianças de colo e pessoas com necessidades especiais, na próxima vez que você for enfrentar uma fila para aquele tão esperado show, mova-se, encontre um velho para usar, uma criança com síndrome de down para explorar, traga todas as crianças das suas jovens vizinhas no colo. Porque afinal de contas, você é especial, e muito mais esperto que os outros.

Um brinde a vocês e ao brilhantismo e magnificência do seu caráter.

Press-Release !

mai 20, 2006   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  3 Comentários

O livro continua na gráfica, e deve entrar em pré-venda nos próximos dias. Aguardem mais novidades sobre a pré-venda, o lançamento e a noite de autógrafos.

Já ouviu falar em Blog Corporativo?

O livro Blog Corporativo mostra como melhorar o relacionamento com seus clientes e fortalecer a imagem da sua empresa a partir do uso dessa ferramenta

É o assunto do momento: todo mundo tem um blog ou participa de um. Essa rede de comunicação ininterrupta, que transmite e recebe mensagens na velocidade da internet, pode funcionar além disso. A proposta de Fábio Cipriani em sua obra Blog Corporativo é justamente essa: por que não aproveitar a eficiência da blogosfera para alavancar seus negócios e fortalecer a imagem da sua empresa?

“O principal objetivo é disponibilizar um guia prático para orientar empresários e gestores de pequenas, médias ou grandes empresas sobre como utilizar e tirar proveito dos blogs dentro da companhia, ativa ou passivamente, com o intuito de aumentar e fortalecer o relacionamento com os clientes”, explica o autor.

O livro, dividido em três partes, expõe amplo panorama para atingir essa meta: além do conceito e da metodologia para a criação do blog corporativo, há ainda os tipos de uso que um blog pode assumir na empresa, suas vantagens e armadilhas, o uso de blogs para público externo e interno, a importância de monitorar e estar inserido na blogosfera, tendências, dicas e o cenário dos blogs corporativos no Brasil.

A linguagem leve e prática, sem complicações técnicas, traz relatos atuais que acrescentam e exemplificam os conceitos. Cipriani desvenda, assim, a “era do Blog” ao leitor interessado em fazer parte desse universo.

Jonathan Schwartz, presidente da Sun Microsystems, alerta: “Possuir o próprio blog será tão obrigatório quanto possuir um e-mail ou um telefone, quem não tiver um blog se tornará inútil”. Nessa nova era, onde se situará a sua empresa ou seus negócios? Você certamente precisa ler as sugestões de Blog Corporativo.

(O livro se estende na internet sob a forma de um blog que discute novos casos e explora o mundo do blog usado como ferramenta de negócios: acesse www.blogcorporativo.net)

Sobre o autor

Fábio Cipriani é Engenheiro Elétrico pela Universidade de São Paulo, Master of Science in Wireless Systems pelo Politecnico di Torino em Turim, na Itália, pós-graduado em Economia e Gestão de Pequenas e Médias Empresas pela Università degli Studi di Torino, e certificado em Management e Leadership Essentials pela Harvard Business School. Atua como consultor de gestão empresarial nas áreas de relacionamento com clientes e mercado e performance corporativa.

Detalhes do livro
ISBN: 85-7522-093-4
Dimensões: 16 x 23 cm (com orelha)
Número de páginas: 208

Páginas:«1234»