Visualizando posts com a tag " web 2.0"

Nosso querido "Anticristo"

jul 30, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  9 Comentários

Eu já havia lido a respeito de Andrew Keen e seu livro: “The Cult of the Amateur: How Today’s Internet Is Killing Our Culture“. O cara basicamente “amaldiçoa” os blogueiros e a web 2.0 porque nós, usuários finais, podemos estar sendo iludidos por um jornalismo sem credibilidade e excesso de informação inútil.É que hoje saiu uma pequena entrevista com ele na Folha de S.Paulo (necessário ser assinante para ler).

Até certo ponto acredito que a visão de Keen está correta, porque tem muita gente entrando na onda dos blogs para poluir o universo informativo da internet visando outros ganhos.

“Não vejo como a web 2.0 está democratizando a mídia, acho que acontece o oposto: a mídia tradicional fornece informação de qualidade acessível às massas e não acho que a segunda geração da web esteja reproduzindo isso.”

Certamente é muito, mas muito difícil ler um blog que forneça informação de qualidade, mas eles existem. Ele peca por generalizar demais.

“Meu livro não defende que as pessoas não tenham blogs, apenas que não finjam que são substitutos da mídia tradicional ou representantes de fontes de informação confiáveis sobre o mundo. Como as pessoas saberiam da crise aérea brasileira, por exemplo, sem jornalistas profissionais? Iam ter de se basear em blogueiros, que podem ser representantes das companhias aéreas ou do governo?”

Aí ele falou uma coisa séria. Blogs verdadeiros vs. blogs falsos. A comunidade deve sempre buscar desmascarar tentativas artificiais de manipulação ou de autopromoção. Se não existisse o conceito web 2.0 ou mesmo o conceito blog, acho que seria inevitável dizer que ainda assim as pessoas encontrariam meios de se expressar na rede.

Como em toda evolução tecnológica – Schumpeter tem haver com isso – a sustentação só ocorre com a educação. Ou seja, a civilização deve evoluir, se educar para adaptar. Devemos estar sim mais preparados para filtrar melhor o ruído, e não censurar o movimento inovador que estamos vivendo na comunicação.

Valeu Pedro pelo link da Folha.

Só não enxerga quem não quer

jul 23, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  2 Comentários

Empresas do Brasil: Vocês são cegas?

Quantas pesquisas repetindo a mesma ladainha vocês precisam ler para se convencer de que investir em blogs e comunidades virtuais vale a pena?

A E.Life anunciou em seu blog o resultado de uma pesquisa demostrando que a opinião de blogueiros e orkutianos (por que não orkuteiros?) faz a diferença perante amigos ou pessoas próximas e, que os mesmos tem o poder de disseminar informações.

Me interessaria muito se alguém, que não trabalhasse no ramo internet / web 2.0, fizesse um estudo que mostrasse números que “condenam” as comunidades virtuais ou os blogs. Se é que esse estudo conseguiria mostrar algo consistente…

Clique aqui para ver todos os posts relativos a pesquisas de opinião (todas favoráveis à blogosfera).

Qual é o novo paradigma?

jun 29, 2007   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  3 Comentários

Todo ano é marcado por alguma coisa relevante. Para 2006 eu não saberia escolher o melhor exemplo de destaque, teve o “pequeno” dominando a eletrônica, teve “blogs“, teve “web 2.0“, teve “comunidade” e muitos outros.

O termo Crowdsourcing (não consigo produzir um neologismo em português) já é antigo, mas o conceito, que poderia facilmente ter sido um destaque de 2006, só deve se consolidar com força no Brasil este ano. O Estadão já possui desde o ano passado um serviço chamado FotoReporter, onde leitores enviam fotos via celular ou email para a redação do jornal. E hoje a concorrente Folha de S.Paulo anunciou um serviço parecido para envio de notícias + fotos.

Dentro do tema vídeos online, o YouTube lançou sua plataforma em português. YouTube é paradigma da década provavelmente, mas a onda de serviços web 2.0 também está começando a alavancar no Brasil. O WeShow é o exemplo mais recente.

SecondLife também é onda de 2006, mas as empresas (que saco!) não sossegam de querer abrir sua filial lá dentro. Iniciativas que provavelmente vão morrer em seguida, mas o que vale é o buzz.

Por último, e não menos importante, temos o “paradigma do toque“. Ainda quando o nome possa remeter a outros entendimentos, tem tudo haver com o novo (e já imitado) telefone da Apple.

Alguém arriscaria chutar o que vem por aí em 2007 no Brasil ou no mundo?

Filme, pipoca, diversão e comunidades virtuais

mai 16, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

Cão sem donoRecebi um email da Maria Cultura, uma empresa que, segundo o seu website, “trabalha comunicação e produção de projetos com foco exclusivo na cultura“. Este email comunicava que foram escolhidos alguns blogueiros, que eu era um dos escolhidos, e que em anexo havia um release do filme “Cão sem dono” à minha disposição caso eu quisesse postar algo.

Interessante notar a abordagem da divulgação do filme: totalmente conectada na rede (Personagem de Second Life, Blog, Orkut, YouTube).

Contada toda a história, vamos ao filme. Afinal de contas divulgar a cultura brasileira é divulgar o Brasil.

O filme foi lançado ontem, dia 15 de maio, em São Paulo e no Rio de Janeiro e, ao contrário da divulgação, não fala de internet, tecnologia ou web 2.0.

““Cão Sem Dono” observa um relacionamento amoroso, escrito com as cores íntimas de um retrato de geração. O longa mostra a vida de Ciro, jovem recém-formado em Literatura, que passa por uma crise existencial marcada pelo ceticismo, falta de planos, isolamento e solidão. Ciro se relaciona basicamente com o porteiro de seu prédio, seus pais e um cachorro.

Ao conhecer Marcela, uma ambiciosa modelo em início de carreira, seu isolamento é quebrado. Marcela é cheia de vida, se entrega de forma obsessiva ao trabalho e, com isso, adia a realização de qualquer outro sonho. Ela aproxima Ciro de outras pessoas, de certa forma, o obriga a interagir com o mundo exterior.

Sem se dar conta, ele se apaixona e, quando Marcela fica frente a frente com a morte, Ciro percebe que esse obstáculo pode ser um fator de destruição ou uma alternativa concreta à apatia.”

Quero ver!

Aproveitando, deixo o recado para outro filme, “Ódiquê?“, que foi lançado também agora em maio e foi dirigido pelo irmão de um colega do trabalho.

Também quero ver!

Simples ações que fazem a diferença

mai 10, 2007   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação, Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

GreenUnindo web 2.0, comunidades virtuais e marketing verde, além de fazermos o bem ao planeta, fazemos o bem à nossa marca.

Este website estimula as pessoas a trocarem suas lâmpadas convencionais por lâmpadas fluorescentes compactas. É uma corrida de cidade a cidade, estado a estado, para ver quem já trocou mais.

Leituras que valem a pena #21

abr 9, 2007   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

Depois de um hiato de mais de três meses o Leituras que Valem a Pena voltam em cena.

How businesses are using Web 2.0 | The McKinsey Quarterly
Pesquisa demonstra que a maior parte dos executivos planejam investir em tecnologias colaborativas. Show!

It’s the Conversation Economy, Stupid | BusinessWeek
David Armano nos justifica porque as empresas precisam se desdobrar para entender como a dinâmica das comunidades influenciam o comportamento humano.

‘Microfinance 2.0′: New Tools, New Goals and New Ways to Lift People out of Poverty | Knowledge@Wharton
A web 2.0 revolucionando o modo de ajudar o mundo e resgatar as pessoas da pobreza.

O papel da comunicação corporativa com o mercado no contexto da web 2.0

mar 9, 2007   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  4 Comentários

Minha intenção é esclarecer o que é comunicação nos tempos de web 2.0, e tentar trazer a discussão para o lado dos negócios. Mais especificamente o Marketing.

O pré-requisito para que o meu post faça sentido é ler o post do Fabio Seixas sobre o mundo de confusão em que se encontram as empresas no momento de querer fazer um Mkt 2.0: “…é que ninguém sabe ao certo como adaptar a comunicação de marketing para os atuais movimentos comportamentais que a Internet vem proporcionando…”

Serendipidade - Comunicação web 2.0

Na figura número 1 temos dois sujeitos se comunicando. Entenda os sujeitos como grupos ou comunidades de pessoas e a seta de duplo sentido como uma rede social.

- No contexto de negócios o conteúdo da seta são discussões sobre o seu produto ou serviço.
- No contexto da web 2.0 a seta (o veículo) é um Orkut, MySpace ou qualquer outra ferramenta de criação de comunidades ou grupos de discussão.

Perceba que a internet e as ferramentas 2.0 são catalizadores dessa conversação (instantâneo, sem distâncias e sem distinções).

Serendipidade - Comunicação web 2.0

Outro modo de comunicação mostrado na figura 2 é o de uma instituição (empresa, departamento, governo, etc.) se comunicando com o(s) grupos ou comunidades existentes.

- No contexto de negócios o conteúdo da seta são comunicações formais de serviço/suporte ao cliente, press-releases, aparições na imprensa de forma geral, propagandas, etc. Um cenário fortemente monodirecional.
- No contexto web 2.0 a seta poderia ser substituida por um blog. Uma ferramenta informal que humaniza a instituição e recebe feedbacks de forma instantânea. Mais uma vez a internet tem um forte papel de facilitadora.

Serendipidade - Comunicação web 2.0

Voltando ao contexto da figura 1, onde tínhamos dois clientes conversando, o conteúdo daquela seta de comunicação é importante. Por dois motivos: Porque contém uma informação que ajudaria a empresa responder melhor as expectativas e porque a empresa pode querer que a informação contenha dados positivos a seu favor. Olhe a figura 3.

- No contexto de negócios as empresas querem sempre saber dados do mercado para se adaptarem com prontidão e, ao mesmo tempo, jogar suas mensagens nos clientes sem buscar o compromisso de uma propaganda boca-a-boca.
- No contexto 2.0 as duas vias melhoraram um pouco mais. Não basta escutar o cliente, é necessário saber o que um cliente conta para o outro. Daí a importância de se monitorar fóruns ou blogs. Por outro lado, se tornou crucial o inserimento de uma idéia que busca despertar as conversas em torno do seu produto. Junte a idéia e um veículo apropriado que sua marca será assunto.

Serendipidade - Comunicação web 2.0

Segundo o post do Fabio, as empresas “…devem SER a rede social e não somente TER uma rede social com a sua marca…”. Vimos nas 3 figuras anteriores que mais do que ser ou ter, a empresa deve saber interagir corretamente com o universo 2.0. Eu passei a vocês as chaves dessa interação, cada uma com seus frutos e dificuldades.

Na figura 4 apresento o conceito da empresa SENDO uma rede social.

- No contexto de negócios seria dizer que o desejo de aproximar dois clientes pode ser benéfico para seus negócios. Intermediar a conversa entre dois clientes aproveitando idéias e sugestões é um exemplo da vantagem de ser uma rede – você escuta tudo.
- No contexto 2.0 o poder na mão do cliente aumentou, chegando até a casos extremos de companhias que fomentam redes para obter idéias de novos produtos (crowdsourcing). A empresa está no centro da rede e a sustenta.

Esqueci algo? Quem sabe duas empresas se comunicando (B2B)? O cliente intermediando duas empresas? Triangulação entre clientes, governos e empresas? Cooperação entre mais diferentes partes?

Conforme disse algumas palavras atrás, as chaves de interação estão na mesa. Use-as a seu favor.

Web 2.0 – Uma apresentação

fev 13, 2007   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

Você já está de SACO CHEIO de ouvir falar de web 2.0. Já sabe o que é e o que faz. Já leu mais de 20 vezes o conceito da bagaça na página da O’Reilly (tida como a autora do termo). MAS

… ainda não sabe sua aplicabilidade e suas principais implicações em temas como streaming, messenger, VOIP, publicidade, marketing, entre outras áreas… não sabe que BLOGS são o ápice desse movimento…

Não arranque seus cabelos.

Leia a pesquisa da Universal McCann e depois fala comigo. Eu te escuto, porque isso aqui é web 2.0.

p.s. desculpe. Não sou 2.0, sou 1.98 porque estou afogado em trampo e, sinceramente, devo demorar a responder seus comentários sempre pertinentes.

p.s.2 desculpas sux.

Duas coisas…

fev 13, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  1 Comentário

… enquanto estou completamente sem tempo para postar algo mais elaborado.

Considere como leituras obrigatórias (uma delas te levará a escutar):

Bônus do dia e Web 2.0 – uma apresentação.

Amanhã vou dar uma entrevista sobre blogs de uso interno em uma empresa para o Jornal do Comércio. Voltamos a falar sobre isso. Prometo.

Webcast – Social Networks: A evolução das comunidades na mídia

jan 25, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  1 Comentário

A Deloitte vai apresentar, no próximo dia 31 de janeiro, um webcast com a proposta de discutir comunidades virtuais e a web 2.0.

The explosion of Web 2.0 technology adoption continues to drive rapid changes in the online community marketplace. Social networks are now the cornerstone of media companies’ digital platforms and online strategies. But as investment continues, what will the future bring? [...]
Learn how communities are evolving, redefining the media landscape, and altering how media companies are conducting business.

Para quem puder, vale a pena participar desta discussão.

Páginas:«123456»