Get Psyched

nov 16, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

(c) ingoodcompanymovie.comNa semana passada assisti um filme chamado “Em Boa Companhia” (In Good Company), uma comédia que mostrava as realidades atuais das empresas: A compra e venda de empresas por grandes corporações, as demissões em massa, gírias, frases de efeito, plano de carreira e conceitos de “auto-ajuda” empresarial.

Dentre elas, uma que me chamou atenção, e é inclusive falada várias vezes durante o filme é a questão da sinergia (veja imagem do filme e a pose do chefão com as mãos). Já comentei algo sobre isso algum tempo atrás quando estava falando de cooperatividade versus competitividade. Mas tem alguma coisa aqui que merece destaque.

O filme é um retrato “hollywoodiano” de um jovem publicitário que se torna diretor de um novo braço da corporação onde trabalha. Sem dúvida a presença dele era uma injeção de vitalidade na empresa, mas acompanhada de fatos inconvenientes, como é uma integração da empresa comprada com a compradora.

Como sou consultor de negócios, vi um espelho irônico de assuntos que tratamos. Fatos que na consultoria trabalhamos freqüentemente. E a conclusão é que a tendência é essa mesmo, largas demissões (injustas muitas vezes) e “batata-quente” com as empresas, cada um jogando o pepino no colo do outro. No final, nós é que temos que nos especializar cada vez mais.

O fato é que jovens executivos trazem folego, ânimo e motivação para a empresa. Promovem seguramente a sinergia, o espírito de trabalho em equipe. São pessoas que, assim como eu, aspiram projeção e sonham alto. Fato esse que deveria ser levado em conta no momento de preencher um cargo importante. Leia mais.

Por outro lado, é preciso ir devagar com a carreira, ser ponderado e viver cada coisa a seu tempo. Não adianta ser jovem e perder a vida trabalhando demais.

Escreva um comentário