Visualizando posts com a tag " criatividade"

Quero ter uma idéia nova…

out 14, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  2 Comentários

(c) morguefile.comNão sei extatamente o que estou procurando, mas quero criar algo diferente. Tenho pensado muito na concepção dessa nova idéia. Idéias para qualquer coisa. Qualquer negócio. Quero uma nova idéia porque mesmo se ela não for me trazer dinheiro, eu estou exercitando a criatividade.

Assim, fico quase o tempo todo articulando possibilidades…

Difícil aparecer…

Se aparece…

Difícil implementar… (tem um quê de comodismo aqui)

Talvez eu não esteja pensando “lateralmente”, ou talvez eu apenas estou preso demais no trabalho e preocupado bastante com ele.

Para encher minha cabeça de possibilidades, tenho lido muito, navegado bastante, mudado algumas rotinas. Seguindo os passos catalisadores de idéias.

No entanto, enquanto o estalo não vem, estou me confrontando com idéias interessantes e notáveis. Que fazem realmente a historinha se espalhar por onde passa. Aquela coisa de 1 escuta e conta para 3 e assim por diante. A cadeia exponencial da idéia espalhada boca-a-boca.

Poderia aplicar o conceito observado por um amigo meu em alguma dessas idéias que encontro la fora. Ele disse que a Coca-Cola tem como um dos lemas “pensar globalmente e agir regionalmente”, ou seja, pegar idéias de outros países e aplicar a realidade nacional.

Vamos então a dois exemplos criativos que encontrei na internet.

O primeiro deles é o website de um milhão de dólares. Já coloquei um artigo sobre ele aqui no website. Idéia brilhante. Mas vamos quebrar o conceito da Coca-Cola introduzido acima. Dois brasileiros fizeram o mesmo e deixaram comentários aqui no blog. O ummilhao.com.br e o muraldeummilhao.com.br. Não virou. A empolgação é somente do site original, porque ele chegou primeiro. Quem chega primeiro é quem é notável, não o segundo, terceiro, etc.

O segundo é um website de vendas online chamado Woot!. Qual é o diferencial do Woot? Ele trás a cada dia um ÚNICO produto para venda. Somente um produto por dia, começando meia noite até 23:59hs do dia seguinte, ou até terminar o estoque. E mais, por um preço muito mais que promocional, preços baixíssimos comparados a outras lojas online americanas. O produto de hoje não pode ser comprado amanhã, então chovem visitas todos os dias. Idéia impressionante que gera comentários. Eu mesmo caí na história e estou falando deles aqui.

É a idéia que eu quero. Simples, notável e grande.

Leituras que valem a pena #2

out 13, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

The 101 Dumbest Moments in Business | Business 2.0
Lista dos 101 momentos mais estúpidos de 2004 no mundo dos negócios.

Leading Creatively: The Art of Making Sense | Ivey Business Journal
Liderando com criatividade. Introdução de uma série de competências necessárias nos líderes de hoje. Artigo em PDF.

Como escrever um bom artigo | Stephen Kanitz
Dicas para escrever um artigo. Kanitz é articulista da revista Veja.

Leituras que valem a pena #1

out 6, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

Vou tentar trazer semanalmente (ou esporadicamente) alguns links para artigos interessantes do mundo dos negócios, marketing, criatividade e etc. Sempre dentro dos temas abordamos aqui e que são dignos de nota.

The Power of Dumb Ideas | Strategy+Business
A solução para os problemas atuais de marketing é o uso de menos criatividade na execução.

The SAP School of Design | BusinessWeek
Co-fundador da SAP investe pesado em Stanford – ponto positivo para as D-Schools.

Minipreneurs | Trendwatching
Estamos nos transformando em Mini-empresários com a internet.

Qual é o limite para a publicidade?

out 5, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  Nenhum comentário

(c) bumvertising.comApós vermos que a imprensa vende espaço para publicidade nas suas notícias, vamos a um rápido exercício.

Quais são as maneiras que as empresas podem utilizar para publicar as suas propagandas ou se fazer conhecida?

Vou apontar algumas que me vem em mente. Através de Notícias, Outdoors, Revistas, TV, Filmes, Novelas, Adesivos, Embalagens, Websites, Mala Direta, email (SPAM), Patrocínios, Eventos, Jornais, Telemarketing, seus próprios clientes através do boca-a-boca, etc.

No nosso mundo super, a criatividade não tem limites. Pode até mesmo surpreender e ultrapassar o limite do bom senso ou da ética. No exemplo a seguir, mostro uma dessas “invenções” na busca pelo cliente. Particularmente acho a idéia interessante, porém um pouco polêmica.

Um recém-graduado da Universidade de Washington, Benjamin Rogovy de 22 anos transformou os desabrigados das ruas em publicitários. Muitos desses “sem-teto” ficam andando pelas ruas com cartazes pedindo ajuda, dinheiro, comida ou vendendo algo. O que Rogovy fez foi unir o contato que esses sem-teto possuem com potenciais clientes nas ruas e no trânsito com uma publicidade pontual aproveitando os cartazes dos “pedintes”.

E estava criado o Bumvertising, um novo veículo para propaganda. Um neologismo composto pelas palavras Bum, que significa vagabundo em inglês, e vertising, que vem da palavra advertising – publicidade, propaganda. Uma maneira “honesta” de fazer com que esses necessitados ganhem algum trocado ou mesmo comida. O trabalho enobrece o homem.

A partir de então choveram críticas dizendo que é uma exploração, ou que chamá-los de vagabundos é faltar com respeito moral. Por outro lado a idéia conquistou a simpatia da imprensa (ave!) e de voluntários e instituições que ajudam pessoas carentes.

Até onde vão os limites da exploração publicitária?

Tudo por dinheiro e um pouquinho de atenção

out 4, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

(c) yotophoto.comHoje fiz duas descobertas através do meu leitor RSS. Mas confesso que não foram descobertas, na verdade uma delas só vem confirmar aquilo que as empresas mais fazem – manipular a imprensa. E a outra mostra a falta de assunto da imprensa.

O que está por trás disso tudo? Respondo: O Marketing, a luta por conquistar espaço no mercado e a busca por aumento na receita, isto é, dinheiro.

1) Na primeira, acho que o termo “manipular a imprensa” poderia ser colocado de outra maneira. Seria talvez melhor dizer que a imprensa é que se vende.

Sabemos que lugar para propaganda custa dinheiro, principalmente se você possui um veículo de mídia como internet, TV ou mesmo uma Revista de circulação relativamente ampla.

Nos filmes e na TV, além de trailers e reclames, temos o merchandising incorporado durante a programação normal, na novela, no jornal, nas transmissões de esportes e etc. Estamos habituados com isso e às vezes nem percebemos.

Na Internet estamos vendo um crescimento absurdo de empresas como Google, Yahoo e outras de grande audiência por conta do comércio de propaganda e publicidade nos próprios websites ou através de janelas e programas de recompensas.

Além das propagandas, reclames e merchandising, temos um outro componente de peso que é parente do merchandising: A compra de notícias para veicular os nossos interesses. Aqui chegamos na primeira conclusão: A imprensa vende espaço para noticiar propagandas.

Como exemplo pego aquele que encontrei hoje no leitor RSS. A Blockbuster provavelmente comprou a divulgação da sua nova loja online em pelo menos (até onde vi) três grandes websites de notícias.

Blockbuster inaugura loja virtual – na IDG Now!

Blockbuster passa a vender pela internet no Brasil – na Folha de São Paulo

Blockbuster inicia operação de vendas online – na INFO Online

Sensacional! E me pergunto… e eu queria lá saber dessa notícia? Alguém aqui é acionista da locadora na bolsa de New York? E olha que mesmo com a notícia a ação dela caiu 0,09%. Super.

2) Na segunda, a falta de assunto da imprensa. Com o RSS posso acompanhar quase que paralelamente as diferentes fontes de notícias e posso dizer que ou está faltando agências de notícias no Brasil (todos usam a mesma fonte), ou é um copiando do outro.

A situação piora quando comparamos as notícias do Brasil com aquelas de outros websites internacionais como Wired, Business Week, New Scientist, NewsFactor e por aí vai… A notícia de hoje lá fora é a de amanhã aqui.

A regra é quantidade.

Os dois ítems mostram um descaso com a entrega das notícias e de propaganda, um desinteresse por filtrar melhor as histórias despejadas na gente. Acabamos virando um depósito de textos e imagens supérfluas, manipuladas e irreais.

Pequena atualização:

A revista Época também tinha a Blockbuster em destaque

Novo índice de publicações

set 29, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

(c) serendipidade.comSerendipidade.com está continuamente passando por mudanças para aperfeiçoar a interação com o leitor.

Desta vez o arquivo de publicações anteriores sofreu algumas mudanças para melhor. Agora é possível navegar pelos meses de cada ano buscando visualmente o nome (título) de cada um dos artigos publicados. É uma mudança que faz diferença na hora de pesquisar temas publicados anteriormente.

Agradeço os e-mails enviados com sugestões. A página formatada para impressão e a possibilidade de enviar links para amigos por e-mail foram algumas das sugestões dos leitores “Geração C”.

Em busca do cotidiano criativo

set 29, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  1 Comentário

(c) yotophoto.comAcho que a maneira mais interessante (e divertida) para estimular a criatividade é acumular a experiência de vida do nosso cotidiano com variação da informação que chega a nossa mente, ou seja, viver um dia-a-dia diferente a cada dia, fazer e agir de modo diverso para alcançar os mesmos fins.

O motivo para essa variação é enriquecer o nosso repertório de idéias e conhecimento. Uma explicação para a criatividade despertada é a que ela se baseia em ligações com ou sem lógica com outros conceitos ou idéias. A maioria das boas idéias acaba surgindo quando quebramos paradigmas, mas para conseguir quebrar temos que pensar diferente e possuir um grande ferramental disponível ao nosso alcance.

É exatamente esse “ferramental” que estamos buscando aqui.

  • Todo dia faça um caminho diferente para voltar para casa. Mude a disposição dos móveis da sua casa, quebre as rotinas.
     
  • Experimente situações novas. Viaje para uma cidade que você nunca foi, puxe conversa com pessoas estranhas no elevador, no táxi ou em filas, saia para jantar em um restaurante novo, experimente novas bebidas e comidas.
     
  • Sempre compre uma revista nas bancas que você nunca tenha lido. Busque conhecer mais os assuntos que não tenham nada haver com a sua profissão ou interesse, leia Caras, Set, Quatro Rodas, Marie Claire, Fluir, Veja, Viver Mente e Cérebro, Contigo, National Geographic, Focinhos, Arquitetura e Construção, Revista Rural. É surpreendente a variedade de temas que encontramos nas bancas.
     
  • Faça alguma coisa diferente como um hobby ou ação social voluntária. Quanto mais distante da sua realidade melhor, é muito importante a integração, experiências, sensações, e informações adquiridas nesses processos.
     
  • Volte a estudar. Faça uma pós-graduação ou um curso de aperfeiçoamento em um assunto diferente ou novo para você.
     
  • Enriqueça sua cultura. Leia livros, vá a teatros, circos, parques.
     

As Leis da Informação

set 27, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

(c) yotophoto.comVocê é um “Informaçãoniaco”? Qual é a essência de ser assim? Para que serve saber tanto?

Estava refletindo sobre o assunto e dou dois motivos que se transformam em atitudes quando o assunto é INFORMAÇÃO. Podemos chamá-las de “As leis da informação aplicadas no cotidiano”

  • As pessoas vão usar informações (exclusivas ou não) para benefício próprio
     
  • As pessoas vão manipular as informações antes de passá-las para a frente em benefício próprio

A primeira é o instinto (des)humano, e a segunda é poder convencer, ser persuasivo sem ser invasivo.

A primeira é o acionista comprando mais ações porque soube da última descoberta de petróleo ou da cura do cancer, e a segunda são os políticos mentindo para justificar que “não são culpados” de roubar o Brasil.

Falando em criatividade e marketing, a primeira é chegar na frente no momento de criar maneiras de ganhar dinheiro, é estimular a criatividade. A segunda pode ser representada pela figura de um marketeiro – aquele que sabe contar bem uma historinha.

"Geração C" e Pensamento Lateral

set 21, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  Nenhum comentário

Dois exemplos rápidos de dois temas que já discutimos aqui anteriormente: a Geração C e o pensamento out-of-the-box

(c) inteligweb.com.brNa “Geração C” temos uma nova geração de consumidores que não somente compram passivamente, mas preferem participar das etapas de marketing das empresas e criar conteúdo.

Aqui temos o exemplo da Intelig que lançou (acho que na semana passada) a promoção crie seu comercial do 23. Um exemplo de que as empresas estão chamando os consumidores a participar e, assim, se sentirem “envolvidos”. É o estímulo que a “Geração C” precisa.

(c) mileskimball.comJá no caso do pensamento “fora-da-caixa” vimos que as empresas inovadoras costumam mudar aspectos do produto ou mesmo do que está em sua volta para gerar valor e provocar a “tentação” pelo consumo. É o uso de idéias fora do contexto do uso convencional do produto.

Nesse caso, cito o exemplo de uma imagem que estava rodando a rede na semana passada. A Miles Kimball, uma loja de departamentos online, possui um Garfo-cortador de pizza ou um “Garfaca de Pizza” se preferir. Perfeito para comer uma pizza com uma das mãos e tomar aquela cervejinha gelada com a outra durante os jogos do tricolor. Uma inovação de produtos utilizando dois elementos não relacionados anteriormente.

Vocês conhecem mais exemplos assim?

Livros com desconto especial

set 13, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  Nenhum comentário

Essa semana está corrida… Roberto Jefferson continua apelando para o discurso do “errei mas sou transparente”. Severino está suando frio com o cheque transitando na mídia mas continua firme e forte com a palavra “não” dentro da boca. Os Correios estão parados porque os funcionários ganham pouco (mas os executivos embolsam muito).

Com tanta coisa acontecendo no Brasil, merecemos distração e estímulo na criatividade. Estou mandando uma promoção imperdível de livros:

30% de desconto em todos os livros clássicos modernos!

“Os 2.1 Mosqueteiros” – Alexandre Dumas
“70 Anos de Solidão” – Gabriel García Márquez
“1388,8″ – George Orwell

(c) advertka.ru

Genial essa propaganda da Mondadori (uma grande editora italiana).

O link ao clicar na foto acima nos leva ao Advertka.ru – um site russo com diversas propagandas impressas e em vídeo com um tipo de acesso cada vez mais comum na rede: Grátis! Aproveitem.

Um pouco de divertimento para acalmar o nosso humor em meio a tanta corrupção política.

Páginas:«12345»