Visualizando posts com a tag " Blogueiros"

Imprensa orgulhosa

mar 4, 2008   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  9 Comentários

Este não é um post destinado aos “guerreiros” da já eterna batalha entre blogueiros e a imprensa, esse blá blá blá que, nessa altura do campeonato, não serve de absolutamente NADA para os leitores. É só falação para próprio umbigo ouvir.

Mas esse pedaço de texto vai para os repórteres de diversos cantos do Brasil que, ao pedir uma entrevista para você, te inundam com toneladas de perguntas dizendo que o deadline é amanhã e depois desaparecem.

Sou sempre prestativo e respondo rapidamente dedicando alguns minutos da minha valiosa hora de trabalho que hoje em dia está em torno de quase 200 euros por hora de consultoria. Afinal de contas, a imprensa é um dos canais (não o principal, porque esse é este blog que vos fala e meus leitores) de comunicação que tenho com o mercado para a divulgação das minhas idéias.

O problema é que, depois que você envia as valiosas respostas, a comunicação morre. Você não recebe sequer um “obrigado”. Quando você pede a eles para enviar um exemplar da revista quando sair, são poucos os que o fazem. Será que a mãe deles não ensinou como serem educados? Ou eles só estão tentando manter a imposição “top-down” que temos que engolir diariamente na imprensa tradicional? Ou pior, já estão tão institucionalizados que já começaram agir como empresas sofrendo com o deficiente processo de relacionamento com o cliente?

Diálogo já! Porque nessa vida dependemos dele para nossa sobrevivência.

Preciso postar algo no meu blog

jan 17, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

Essa frase acima não é meio besta? Se vc somar o “… é que ultimamente ando meio ocupado…” fica mais besta ainda…

Tenho visto vários blogs e blogueiros se incomodando com o fato de que não postaram nada nos últimos dias e estão lamuriando on-line essa ausência. Eu também sou bobo porque já devo ter escrito aqui alguma coisa desse gênero.

Se tanta gente não considera o blog uma ferramenta bacana de comunicação, o que dizer do sentimento compulsório de que TEMOS que postar alguma coisa? Soa estranho para quem não dá a mínima para blogs e até para quem dá a máxima. O blog, além de incutir diversas experiências novas nas nossas vidas, também nos torna escravos. Ficamos presos a essa necessidade “inata” de escrever algo.

Algumas vezes tenho a sensação de que não é necessário se justificar. Apenas faça seu trabalho bem e bem feito.

Blogueiro jornalista e seu perfil (na Europa)

jan 14, 2008   //   por Blog Corporativo   //   Apresentações/Pesquisas  //  3 Comentários

Na Universidade de Málaga na espanha foi feita uma pesquisa para levantar o perfil do jornalista que mantém um blog. Via blog Intermezzo, veja os principais pontos:

  • 75% tem menos de 40 anos.
  • 3 em cada 4 entrevistados consideram que praticam jornalismo de opinião através do blog.
  • 61,9% acredita que a maior conquista de seu blog foi falar com a audiência.
  • 52,4% alegou ter uma liberdade editorial que não tem no meio para o qual trabalha.
  • 63% recebe comentários ofensivos.
  • 40% já recebeu ofertas de trabalho através do blog.
  • 63% não se preocupa com a questão do copyright.
  • 35% sabe que em alguna ocasião plagiaram conteúdos de seu blog.

Em negrito o resultado da essência dos blogs: abrir espaço para a audiência (a audiência sabe disso).

As 14 empresas mais blogueiras

nov 23, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  14 Comentários

Qual é a empresa mais blogueira?

Fiz uma rápida análise das grandes empresas blogueiras mundiais buscando saber qual delas possuem mais blogueiros corporativos e, conseqüentemente, mais blogs corporativos operando simultaneamente.

O grande problema é que não posso considerar as informações numéricas seguras. Isso porque utilizei os próprios sites das empresas para levantar o número. No caso da Microsoft, por exemplo, a informação foi obtida no blog de um dos blogueiros da companhia, e não sei se o número contempla blogs internos e externos.

O foco da pesquisa foram blogs abertos ao público e a classificação abaixo é da empresa mais blogueira para a menos blogueira. O link no nome da empresa leva à fonte da informação.

  1. Microsoft – 4500 blogs
  2. Sun Microsystems – 3778 blogs
  3. ThoughtWorks – 152 blogs
  4. SAP – 147 blogs
  5. IBM – 140 blogs
  6. Adobe – 118 blogs
  7. Google – 83 blogs
  8. Nokia – 73 blogs
  9. HP – 68 blogs
  10. Autodesk – 36 blogs
  11. Edelman – 35 blogs
  12. Hill & Knowlton – 34 blogs
  13. Red Hat – 29 blogs
  14. Skype – 24 blogs

Outras empresas importantes também possuem mais de 10 blogs dentro de casa, para citar algumas: Oracle, Yahoo, Cisco, Intel, Forrester, Reuters, entre outras.

Se alguém tiver alguma correção para a lista acima, comente.

Memética e viralidade

out 19, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  3 Comentários

A blogosfera fala bastante a palavra ‘meme‘ e a emprega para fazer com que outros blogueiros repitam uma mesma ação, sendo influenciado pelo blogueiro anterior e chamando novos a participar. Um exemplo é a lista de resoluções para o ano novo.

Todo mundo também fala muito em ‘marketing viral‘ e, assim como as pessoas que falam em memes, quase nenhuma jamais leu um livro do Richard Dawkins ou da Susan Blackmore.

O Dawkins é o criador da palavra “meme”. É a extensão dos conceitos de Darwin para explicar a propagação de idéias e os tais marketings virais. Ou seja, a propagação das idéias ocorrem de forma similar ao da propagação dos genes. A memética é o estudo da transmissão das idéias, e a genética é o estudo da transmissão das características biológicas.

Vamos divagar…

- Ontem o Seth Godin publicou um post explicando que Marketing boca-a-boca e Marketing viral não são a mesma coisa. Discordo. Sob o ponto de vista de memética eles são.

- Aplicar o termo “meme” para essa cadeia de listas da blogosfera é de certa forma errôneo. Não ocorre uma transmissão de idéias espontânea, o convite aos outros blogueiros e sua subseqüente participação está mais para um “átomo social” do que para um meme.

- Mais intrigante. Se as empresas conhecessem um pouco mais das teorias evolucionistas, iriam elas ter mais êxito na formulação de ações de marketing? Lógico. Memética na ementa dos cursos já!

- A figura abaixo ilustra o ciclo de um meme. A Market Semiotics que conceptualizou o traçado.

chart_memetics.gif

Blogueiros falsos, fama e $$

out 6, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blogs específicos  //  6 Comentários

O blog da Techcrunch compilou uma pequena lista de blogs falsos de presidentes ou executivos de grandes empresas americanas. Durante essa semana que passou, ficamos sabendo que o “Falso Steve Jobs“, o precursor da onda de blogs falsos representando as grandes personalidades corporativas, irá publicar um livro sobre o assunto.

Vi também um movimento sobre blogs de personagens questionando o velho e enfadado assunto do blogueiro de mentirinha (quem leu meu livro sabe do que estou falando).

O ponto é: todo mundo que eu conheço (real ou virtual) que manteve um blog seriamente e tocou pra frente com dedicação, mais cedo o mais tarde está se despontando de alguma forma. Seja escrevendo livros, ganhando dinheiro com anúncios, alavancando vendas e oportunidades de negócio, ou mesmo (ainda não, mas com certeza não tardará) posando nua.

Chega de papo, vamos à lista (copiada na íntegra):

fake1.jpgThe Secret Diary of Steve Jobs
No list of fake blogs would be complete without the master. Although the blog may have lost its edge since Daniel Lyons was outed as the writer, the site still maintains a strong following and Lyon’s way with words still makes for delicious reading.

fake2.jpg The Secret Diary of Steve Balmer
I’ve been reading this fake blog longer than most on this list, and I’m yet to unsubscribe. It’s not as well written as its Steve Jobs equivalent, but it has the occasionally side splitting post. Probably the closest of the bunch to being a direct clone of Fake Steve.

fake3.jpgLarry Ellison’s Fake Blog
A decent read, if it times a little heavy, but in context it works. Fake Larry made a brief guest appearance on Fake Steve a little while back, so it’s not inconceivable that the author is Daniel Lyons as well, or someone else who perhaps works with Lyons.

fake4.jpg The Secret Diary of Jonathon Schwartz
As the header reads: “Dude, I was the first CEO to even have a blog.” Of course the real Schwartz does maintain his own blog. The way this is written tone wise makes it sound just like Schwartz.

fake5.jpgThe Secret Diary of Bill Gates
Unfortunately what could have been the best of the bunch is a let down. Poor context and tries too hard to be funny; the difference between clever satire and stupidity is lost on fake Bill Gates. Some may disagree though.

Nem só de monetização vive o blogueiro

ago 28, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

A frase acima é verdadeira e acredito que 100% dos demais blogueiros provavelmente concorda comigo. O problema é que parece que a mídia só percebe isso (ou é isso que ajuda a notícia se vender). Parece que o BlogCamp só discutiu monetização (não sei se isso é verdade porque eu não fui, mas a mídia só está falando disso e do Estadão). E o pior problema é que qualquer um que não conhece blogs acha que a finalidade é somente essa.

Essa semana me perguntaram se eu escrevo um blog para tentar ganhar dinheiro. No fundo eu diria que sim, mas por meio de relacionamentos e geração de oportunidades de negócio porque afinal de contas eu escrevi um livro por causa deles (os blogs). Não pelo uso de ferramentas X ou Y ou vendendo a minha capacidade de liderar, influenciar ou atrair leitores para terceiros.

Não sou contra a profissão blogueiro, mas acho que tem muita gente gerando informação desnecessária poluindo (e isso já se é sabido há bastante tempo) a internet.

O leque blog é amplo e dentro dele existem diversos nichos de atuação. Sei lá, só quis escrever isso para o caso de algum marinheiro de primeira viagem passe por aqui.

Pontos positivos e de atenção dos Blogs Corporativos

ago 14, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  3 Comentários

Segundo o ponto de vista de diversos blogueiros corporativos, Marcio Gonçalves e Carolina Terra listaram em seu artigo para a RP em Revista os pontos positivos e negativos de se usar o blog como estratégia de comunicação empresarial.

Eu chamaria a lista de pontos positivos e pontos de atenção dos blogs corporativos. Os batizados “pontos negativos” são perfeitamente contornáveis. O trecho abaixo foi inteiramente retirado do artigo citado acima:

Pontos positivos

  • Abrir um canal de relacionamento com seus stakeholders, principalmente formadores de opinião on-line.
  • Dar uma cara mais “humana” à empresa, se o blog for realmente um blog e não um site corporativo travestido de blog.
  • Ter um canal para feedback da comunidade sobre a empresa e suas ações.
  • Um canal de comunicação da empresa que pode ser facilmente atualizado. Uma fonte confiável de informações da empresa que podem auxiliar seus clientes e fornecedores a entender melhor como ela funciona.
  • Uma forma de conhecer os seus clientes e permitir interação. Receber feedback deles na forma de comentários e até mesmo estabelecer e melhorar o relacionamento a partir desses recursos.
  • É um canal viral. Dessa forma os textos podem ser indicados a outras pessoas e diversos meios podem consultar o blog como uma fonte de referências confiável de uma empresa.
  • Conquistar a confiança do consumidor é, com certeza, o primeiro ponto positivo. Ter um blog é ser transparente e aceitar o diálogo com o consumidor. A internet e a globalização possibilitam que o público acompanhe tudo o que as empresas fazem ou deixam de fazer. Não adianta mais tentar enrolar as pessoas. Qualquer um pode encontrar informações e opiniões no Orkut, YouTube e blogs. O fenômeno blog desafia as tendências tradicionais sobre o controle da comunicação das corporações, mídia, governo e mercado. É um novo campo em que todos podem recomendar ou criticar seu produto ou serviço. De acordo com o Estudo de Confiança da Edelman de 2007, os consumidores acreditam mais em “pessoas comuns” do que em autoridades. Ou seja, o recado está dado: chega de mensagens enlatadas! Os blogs emergiram rapidamente como uma nova tecnologia neste caminho.
  • Outro ponto positivo é que os blogs se tornaram uma fonte de informação com credibilidade, principalmente para jornalistas e formadores de opinião. Blogs de CEOs e funcionários são formas viáveis de comunicação para muitas propostas, como ferramenta de conhecimento interno para aumentar a credibilidade e dividir informação, e devem ser considerados como uma estratégia para comunicação corporativa.
  • Profissionais da área de comunicação devem entender a blogosfera como medidor em tempo real da eficiência da comunicação interna – mais um ponto positivo para os blogs – e engajamento dos funcionários. Embora não seja uma medição tão efetiva quanto uma pesquisa tradicional, serve como dados qualitativos sobre o sentimento do funcionário em relação à empresa – ótima ferramenta para recursos humanos. As empresas precisam considerar que a comunicação olho-no-olho ainda é mais efetiva e que ela refletirá na comunicação virtual, mostrando a felicidade do funcionário que a vê com uma ótima comunicação interna e um bom relacionamento com os executivos.

Pontos de atenção

  • Se a empresa não for realmente preocupada com que diz e faz, pode gerar ainda mais fragilidade e ela poderá ser ainda mais atacada
  • Exige trabalho dedicado e temas/discussões que não apenas interessem mas envolvam a comunidade na discussão.
  • Se o blog for em torno da marca e não de um tema pode gerar desgaste para a empresa. A Tecnisa, construtora de SP, por exemplo, tem um blog muito bom mas ela não fala de si mesma, fala da construção civil.
  • É um meio informal de se comunicar, que não dá a mesma credibilidade que teria, por exemplo, um press release ou até mesmo um jornal fechado com temas específicos.
  • O feedback não é espontâneo e está mais direcionado com o conteúdo dos textos publicados. Uma ferramenta que permite o feedback mais espontâneo é o fórum na internet, recurso que muitos portais adotam cada vez mais em conjunto com o blog corporativo.
  • Não permite resposta ao feedback de forma direcionada. O feedback pode ser feito a partir de textos que comentem o conteúdo dos comentários dos usuários, mas sempre de forma genérica e nunca personalizada.
  • A falta de cultura ainda atrapalha o amadurecimento desta nova ferramenta. Existe muita confusão e medo com relação a blogs e muitas empresas ainda não entenderam o objetivo deste fórum de discussão virtual.
  • Além disso, por trata-se de uma espaço aberto, é preciso tomar cuidado com o que será escrito, já que a informação vale ouro nos tempos atuais. Seus concorrentes podem “roubar” suas idéias ou conceitos.
  • E por último, a falta de compromisso e respeito com os comentários. Não acho que é uma desvantagem, mas sim um risco. Uma vez que você começa um blog, as pessoas esperam diálogo e troca de experiências. Então não vale escrever a cada mês ou 45 dias. É preciso ter empenho e saber receber sugestões e, talvez, até críticas.

Nosso querido "Anticristo"

jul 30, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  9 Comentários

Eu já havia lido a respeito de Andrew Keen e seu livro: “The Cult of the Amateur: How Today’s Internet Is Killing Our Culture“. O cara basicamente “amaldiçoa” os blogueiros e a web 2.0 porque nós, usuários finais, podemos estar sendo iludidos por um jornalismo sem credibilidade e excesso de informação inútil.É que hoje saiu uma pequena entrevista com ele na Folha de S.Paulo (necessário ser assinante para ler).

Até certo ponto acredito que a visão de Keen está correta, porque tem muita gente entrando na onda dos blogs para poluir o universo informativo da internet visando outros ganhos.

“Não vejo como a web 2.0 está democratizando a mídia, acho que acontece o oposto: a mídia tradicional fornece informação de qualidade acessível às massas e não acho que a segunda geração da web esteja reproduzindo isso.”

Certamente é muito, mas muito difícil ler um blog que forneça informação de qualidade, mas eles existem. Ele peca por generalizar demais.

“Meu livro não defende que as pessoas não tenham blogs, apenas que não finjam que são substitutos da mídia tradicional ou representantes de fontes de informação confiáveis sobre o mundo. Como as pessoas saberiam da crise aérea brasileira, por exemplo, sem jornalistas profissionais? Iam ter de se basear em blogueiros, que podem ser representantes das companhias aéreas ou do governo?”

Aí ele falou uma coisa séria. Blogs verdadeiros vs. blogs falsos. A comunidade deve sempre buscar desmascarar tentativas artificiais de manipulação ou de autopromoção. Se não existisse o conceito web 2.0 ou mesmo o conceito blog, acho que seria inevitável dizer que ainda assim as pessoas encontrariam meios de se expressar na rede.

Como em toda evolução tecnológica – Schumpeter tem haver com isso – a sustentação só ocorre com a educação. Ou seja, a civilização deve evoluir, se educar para adaptar. Devemos estar sim mais preparados para filtrar melhor o ruído, e não censurar o movimento inovador que estamos vivendo na comunicação.

Valeu Pedro pelo link da Folha.

Matou a pau!

jul 23, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

No momento da maiêutica atual, dentro da busca pelo problogger ideal, conceitos e discussões sobre monetização (para gerar mais monetização), que caminhos tomar? Como desempenhar? Existe sempre uma resposta: Falar de blogs no seu blog é quente, porque blogueiros são o que são.

Seth Godin postou (sobre se o seu blog é legal ou não):

“O erro que a maioria dos blogs cometem é: eles são sobre seus autores, não sobre os seus leitores.”

O Fabio e o Carlos estão discutindo o tema no momento. A blogosfera está lotada de gente oportunista que quer ganhar dinheirinho. Portanto atrair leitores é falar de blogar, de ganhar dinheiro. Assim estamos todos sendo “escritores para leitores” dentro da linha apresentada logo acima.

Pessoal, vamos falar sério: Dinheiro fácil não existe!

Dinheiro pode vir rápido. Isso é diferente e recompensa uma tacada de sucesso (a qual demanda neurônios criativos). Mas fácil… esse eu não conheço.

Se você espera ficar rico com blogs, saiba que serão poucos (os pioneiros?). Como tudo na vida, não existe vaga pra todos. Aplique (foque) seus hormônios capitalistas impulsivos em algo mais produtivo: Estude, empreenda, trabalhe duro e nunca pare de se desenvolver. Se os passos anteriores são voltados ao probloguerismo, boa sorte.

Páginas:«12345»