Visualizando posts com a tag " google"

Milhão de Pixels e Dólares

jan 10, 2006   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  8 Comentários

(c) yotophoto.comSe você está chegando a esta página após pesquisar no Google, Yahoo, MSN Search ou qualquer outra ferramenta de busca, ESTE É O SEU LUGAR!

Esta URL que conta a historinha do nosso amigo da venda de milhões de pixels, é hoje a mais visitada em meu blog via buscas em ferramentas como as que citei acima. Ela é do dia 22 de setembro de 2005, apenas 1 mês depois do lançamento do original.

Eu vou confortar vocês e fazê-los refletir.

Não adianta copiar a idéia dele… a onda já passou a muito tempo, e idéia original é a que vale e a que ganha dinheiro. O resto são somente oportunistas esperançosos e iludidos. A idéia empolga, não tenha dúvida, mas não se encha de sonhos. Quem ganha muito dinheiro é quem cria, quem copia no máximo se sustenta.

Se mesmo assim você está buscando ou quer dicas (óbvias) de como montar o seu, tente o site do meu amigo Philipp e a sua “Fórmula para criar uma Homepage de Um Milhão de Dólares Mal Sucedida“.

Aparentemente só hoje a história “decolou” no Brasil. O que mostra uma deficiência. Mostra um pouco do perfil do navegante web que se informa primeiro fora da internet e busca informações depois. Não só nacional, mas também mundial quando olhamos o aspecto “adoção de tecnologias” como é o caso do RSS.

Por quê as pessoas que estão buscando “venda de pixels” na web, só estão fazendo isso hoje?

PS:

Não sou webmaster de nenhum website de milhões de reais frustrado. Somente quero incutir a visão da Idéia vs. Cópia relacionando-a com seus respectivos resultados. Por isso CRIATIVIDADE é tão importante, é ela que vai te destacar na multidão

Ego Marketing

out 20, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  1 Comentário

(c) yotophoto.comPelo blog Fabio Seixas, versão txt

“…EGO MARKETING. Aproveitar o ego dos consumidores para divulgar a sua marca ou produto, seja de maneira subliminar, seja através do boca a boca.

Faz bem para o ego destes consumidores mostrar seja-lá-qual-for-a-motivação de usar um produto.

O iPod é só um caso. Pegue por exemplo as pulseiras Live Strong. O que são as pulseiras além de um artigo que serve para mostrar ao próximo o quanto você é socialmente engajado por uma causa, no caso, o combate ao câncer? Tudo bem, as pulseras acabaram virando um artigo mais fashion do que um apoio a uma causa, mas mesmo no conceito fashion a pulseira tem o propósito de alimentar o ego das pessoas que as usam. As pessoas usam as pulseiras porque a sociedade enxergará isso de uma boa forma, seja pela causa, seja por ser uma pessoa na moda.

A moda de roupas é basicamente isso. Dizer para todo mundo que você está atualizado com as últimas tendências. Isso faz bem para o ego.

Outros exemplo bem sucedidos de ego marketing:

  • VW New Beetle – Tenha um e fique charmoso. Faz bem para o ego
  • Orkut – Quem tem mais amigo? Ser popular faz bem para o ego
  • Harley-Davidson – "Eu posso ser um quarentão, mas tenho atitude e isso faz bem para o meu ego"
  • Google – Faça do Google seu companheiro na web e você será o nerd mais bacana do pedaço.
  • Ferrari – "Vejam vocês, eu posso gastar 300 mil dolares em um carro." Ego puro.

Como podemos propor estratégias de ego marketing? Algo para pensar.”

A estratégia é simples. Como prega Seth Godin, basta contar uma história notável, que vale a pena ser repassada (o que ele chama de “Vaca Roxa”). O cliente automaticamente conta outra história pra si mesmo, se engana, se ilude. E está lá o impulso da compra.

Ou então, basta você ter construído uma marca de luxo no mercado. Marcas de luxo atraem pessoas. O mesmo se pode dizer da questão do mito por trás da marca. O mito pode ser nada mais que mais uma história bem contada para o cliente.

Por último, o próprio cliente-ser-humano, que busca reconhecimento na sociedade. Somos sociáveis. Tratamos bem as pessoas para ser bem tratados. Se somos populares, nos sentimos aceitos.

Dos exemplo citados acima 3 em 5 são decorrentes de riqueza. Alguém aí conhece outra maneira de ser aceito que não se baseie (implicita ou explicitamente) em dinheiro? Se sim, quantos saltos você daria até relacionar sua “fama” ao dinheiro?

Buscas que trazem Serendipidade

out 17, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

(c) yotophoto.comInteressante como o volume de informação de uma página pode produzir os resultados mais inusitados nas ferramentas de busca.

Existem diversas maneiras de você encontrar a Serendipidade.com no Google, Yahoo, MSN Search, etc.

Algumas simplesmente são um pouco fora do contexto. E outras podem indicar possíveis idéias para escrever um artigo. É uma riquíssima fonte de informação.

Abaixo estão algumas frases (selecionadas) digitadas pelas pessoas que acabam caindo aqui. São frases estranhas ao meu website mas apontam Serendipidade.com como um possível site que satisfaz sua busca.

  • estou precisando de alguns exemplos de anúncios com erros de português
  • árvore de natal feitas de garrafas de plástico
  • frutas que são bases do cotidiano
  • manual de merchandising em farmacias
  • passo a passo da rosa feita com garrafa pet
  • produtos misticos
  • cartão pré-pago compras wal mart
  • pulseiras usadas por jogadores qual o significado de cada cor
  • cadeia de suprimentos de uma fabrica de refrigerantes
  • como comprar pulseiras do bem de no máximo R$5,00
  • como podemos analisar a criatividade nas organizacoes?
  • software com lembretes para beber agua
  • fotografias de donald trump
  • porque os clientes escolhem a walt disney world

Estranho, interessante, intrigante e (talvez) decepcionante para os que buscam, porque não encontram aquilo que realmente queriam.

Mas ganharam Serendipidade.

Tudo por dinheiro e um pouquinho de atenção

out 4, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

(c) yotophoto.comHoje fiz duas descobertas através do meu leitor RSS. Mas confesso que não foram descobertas, na verdade uma delas só vem confirmar aquilo que as empresas mais fazem – manipular a imprensa. E a outra mostra a falta de assunto da imprensa.

O que está por trás disso tudo? Respondo: O Marketing, a luta por conquistar espaço no mercado e a busca por aumento na receita, isto é, dinheiro.

1) Na primeira, acho que o termo “manipular a imprensa” poderia ser colocado de outra maneira. Seria talvez melhor dizer que a imprensa é que se vende.

Sabemos que lugar para propaganda custa dinheiro, principalmente se você possui um veículo de mídia como internet, TV ou mesmo uma Revista de circulação relativamente ampla.

Nos filmes e na TV, além de trailers e reclames, temos o merchandising incorporado durante a programação normal, na novela, no jornal, nas transmissões de esportes e etc. Estamos habituados com isso e às vezes nem percebemos.

Na Internet estamos vendo um crescimento absurdo de empresas como Google, Yahoo e outras de grande audiência por conta do comércio de propaganda e publicidade nos próprios websites ou através de janelas e programas de recompensas.

Além das propagandas, reclames e merchandising, temos um outro componente de peso que é parente do merchandising: A compra de notícias para veicular os nossos interesses. Aqui chegamos na primeira conclusão: A imprensa vende espaço para noticiar propagandas.

Como exemplo pego aquele que encontrei hoje no leitor RSS. A Blockbuster provavelmente comprou a divulgação da sua nova loja online em pelo menos (até onde vi) três grandes websites de notícias.

Blockbuster inaugura loja virtual – na IDG Now!

Blockbuster passa a vender pela internet no Brasil – na Folha de São Paulo

Blockbuster inicia operação de vendas online – na INFO Online

Sensacional! E me pergunto… e eu queria lá saber dessa notícia? Alguém aqui é acionista da locadora na bolsa de New York? E olha que mesmo com a notícia a ação dela caiu 0,09%. Super.

2) Na segunda, a falta de assunto da imprensa. Com o RSS posso acompanhar quase que paralelamente as diferentes fontes de notícias e posso dizer que ou está faltando agências de notícias no Brasil (todos usam a mesma fonte), ou é um copiando do outro.

A situação piora quando comparamos as notícias do Brasil com aquelas de outros websites internacionais como Wired, Business Week, New Scientist, NewsFactor e por aí vai… A notícia de hoje lá fora é a de amanhã aqui.

A regra é quantidade.

Os dois ítems mostram um descaso com a entrega das notícias e de propaganda, um desinteresse por filtrar melhor as histórias despejadas na gente. Acabamos virando um depósito de textos e imagens supérfluas, manipuladas e irreais.

Pequena atualização:

A revista Época também tinha a Blockbuster em destaque

Quer comprar o que?

set 30, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

Quais são os desejos capitalistas das pessoas?

Na busca pela resposta para essa questão, pesquisei no Google o termo “eu quero comprar um…”.

Aí vai a lista dos 15 primeiros ítens listados na pesquisa (só incluí produtos ou objetos que respondem claramente a sentença).

(c) yotophoto.comEu quero comprar um…

…carro
…baixo branco
…access point
…9mm (arma)
…apartamento
…sapato
…processador
…computador novo
…tênis
…casaco
…liquidificador
…celular novo
…terreno
…bilhete para o cinema
…gerador

Nas primeiras 20 páginas de resultados coletei pedidos não convencionais ou estranhos, entre eles:

(c) yotophoto.comEu quero comprar um…

…milagre
…mimeógrafo
…relógio binário de pulso
…Fusca preto
…kit lareira
…coleiro do brejo
…ferro de passar cortinas
…cavaco do Carlinhos Luthier
…patinho de borracha

Também nas 20 primeiras páginas, os produtos mais desejados são carros, computadores e celulares.

E você, quer comprar o que?

Melhor livro de negócios do ano

set 20, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  1 Comentário

(c) ft.comSaiu a lista dos 6 finalistas para o prêmio de melhor livro de negócios do ano segundo a Financial Times e a Goldman Sachs.

Os juízes do prêmio partiram da premissa de que o livro deveria ser o mais influenciador e prover a melhor aproximação com as questões do mundo dos negócios moderno.

Estou lendo “Freakonomics” e posso dizer que é um livro muito peculiar. Interessante e diferente.

Fonte: Financial Times.

Livro de visitas no Google Maps

ago 11, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  1 Comentário

GuestMap (c)Sensacional… muito bem bolado este sistema de Livro de Visitas baseado no Google Maps que possibilita a qualquer pessoa adiciona-lo em sua página.

Este mapa abaixo -(não esta figura ao lado, role a barra de rolagem para baixo para vê-lo)- é o livro de visitas. Clique em qualquer local do mapa para adicionar a sua visita ao meu website, as visitas ficam visíveis aos demais visitantes. É possível controlar o zoom e o tipo de mapas também.

Retirei o livro de visitas da minha página… a sensação da novidade passou… fora que também era um lixo na página e ocupava um espaço desnecessário. O mesmo vale para esses anúncios Google Adsense e Mercado Livre… sou mais meu trabalho para ganhar dinheiro que esses programas fajutos.

Informaçãoníaco

ago 5, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

(c) YotoPhoto.com
Os sites de busca na rede reviram e vasculham cada cantinho da rede em busca de informação. Ele reúne tudo num enorme banco de dados sem relacionar o conteúdo das páginas, é sem dúvida uma ótima ferramenta, mas nos deixa ainda muito aquém de alcançar o que realmente queremos: Acessar informação desejada sem ter muito trabalho vagando por sites como o Google ou Yahoo.

Seria o próximo passo na nossa escala de evolução da Internet… um banco de dados que sabe montar uma relação entre conteúdos de duas ou mais páginas e conseguir manter um enlace informacional quando buscado. Alguns sites de indexação de blogs já conseguem alguma coisa do genero olhando quantas vezes uma informação se repercute ao longo de outros blogs ou páginas da internet, como é o caso do Blogdex, Technorati ou Daypop.

Ao lado desse crescimento para ajudar encontrar a melhor maneira de fornecer a informação justa ao leitor, temos no nosso mundo real uma nova e completa “mania” por informação instantânea, um desejo de se manter atualizado, por dentro, chegar na frente. O uso de ferramentas de RSS crescendo constantemente é a prova disso, algumas pessoas acumulam mais de algumas dezenas de fontes de notícia ou informação, e o tempo perdido para conseguir filtrar a informação que realmente queremos absorver é muito significativo.

Só o RSS não basta, basta olhar hoje nas empresas onde trabalhamos, sempre tem alguem de olho numa página de jornal online e contando as novidades aos colegas e vizinhos. É o informaçãoníaco em ação. Essa nova tipologia da nossa espécie super, no mundo super, onde as informações trafegam numa velocidade super. É tudo super na internet. Super-informação-níacos é o que muitos de nós estão se tornando.

Não que isso seja ruim… só devemos ter cuidado para que o nível muito alto de informação entrante nas nossas cabeças não deixe que nós esqueçamos de viver ou discernir melhor. Para conseguir processar e montar as relações entre umas e outras informações precisamos alimentar a cabeça no nosso limite de esforço.

E que venham a tona a nova geração de buscadores que facilitem esse trabalho de pensar para que consigamos pensar na família, trabalho, amigos, amores e na saúde. De filtros melhores é que nós precisamos.

As 20 Companhias mais Inovadoras do Mundo

jul 26, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  2 Comentários

Veja o ranking das 20 companhias mais inovadoras do mundo:
(Pesquisa com 940 executivos sêniores em 68 países – Pela Boston Consulting Group – 2005)

  1. Apple – Fabricante de micro-computadores, eletrônicos e softwares
    Proporciona produtos com design excepcional, cria idéias que redefinem velhas categorias de produtos como é o caso de tocadores de música. Evolução contínua da marca e modelo de negócios
     
  2. 3M – Fabricante de produtos em várias áreas de atuação
    Cultura interna voltada para criatividade com incentivos à inovação. Grande sucesso na geração de idéias no setor de Health Care e componentes industriais que aumentam a lucratividade da empresa.
     
  3. Microsoft – Desenvolvedora de Software
    Melhoramento contínuo dos produtos empurrados pela forte gestão, expansão em novos mercados e rápida mudança de estratégia quando necessário.
     
  4. GE – Fabricante de Eletro-Eletrônicos
    Práticas de gestão à frente dos competidores com um forte foco em treinamento estão permitindo a reinvenção no modelo de negócios e cultura para promover a inovação.
     
  5. Sony – Fabricante de Eletrônicos
    Entende a importancia da convergência da mídia, cria produtos altamente amigáveis ao uso, com design superior.
     
  6. Dell – Fabricante de micro-computadores
    Modelo de processos de negócios superior permitindo inovações e corte de custos na gestão da cadeia de suprimentos.
     
  7. IBM – Fabricante de micro-computadores e componentes, Consultoria informática
    Quer usar sua base de conhecimento em TI para resolver problemas de clientes e ajudar a executar seus negócios.
     
  8. Google – Portal de buscas e outros
    Novas ferramentas e serviços que entregam soluções simples para problemas complexos. Domina a busca on-line e está crescendo fortemente em publicidade. Forte conexão com seus clientes.
     
  9. P&G – Produtos para a saúde e casa
    Inovação de produto contínua baseado no entendimento das mudanças de estilos de vida dos seus clientes. Está procurando sócios e funcionários para novos conhecimentos, idéias e produtos..
     
  10. Nokia – Fabricante de telefones celulares
    Alto design, muda os modelos e adiciona novas funcionalidades rapidamente baseado na leitura dos desejos do cliente no estilo de vida móvel crescente.
     
  11. Virgin – Provedora de serviços de viagem, música e entretenimento
    Reformulou a viagem aérea como uma marca de estilo e expandiu a marca em lojas de varejo, serviços para telefones celulares e outros produtos. Assume riscos e ataca provedores de serviços tradicionais.
     
  12. Samsung – Fabricante de telefones celulares e eletrônicos
    Capta os impulsos do cliente, bom design, entende a emoção e se promoveu uma marca lider. Gera um fluxo de novos aparelhos celulares e ótimas TVs de tela plana.
     
  13. Wal-Mart – Hipermercado
    Usa a cadeia de suprimentos e logística com superioridade para promover migração a novos mecados e áreas de produto. Traça as preferências do cliente diariamente contribuindo para um rápido crescimento.
     
  14. Toyota – Fabricante de automóveis
    A qualidade e eficiência da manufatura evolui constantemente. Uso estratégico de novas tecnologias possibilita vantagens de mercado como no caso dos carros híbridos.
     
  15. e-Bay – Portal de leilões e e-business
    Criou um novo modelo de negócios de varejo baseado no poder do cliente, baixos preços e comunidade.
     
  16. Intel – Fabricante de processadores e componentes
    Modelo de negócios dinâmico com a abilidade de se tornar uma grande competidor em áreas como no caso da comunicação sem fio.
     
  17. Amazon – Portal de e-business
    Transformou a distribuição de varejo com a tecnologia da internet com foco na experiência d cliente.
     
  18. IDEO – Estúdio de design
    Consultoria de alto nível em processos de inovação. Usa os princípios do design para guiar empresas na mudança estratégica que foca na experiência do cliente.
     
  19. Starbucks – Cadeia de lojas de alimentação e café
    Mudou o modelo de negócio das lojas de café inserindo uma marca de estilo de vida através da observação dos clientes. Construiu uma afinidade da marca com os clientes que foca na expeiência dos mesmos.
     
  20. BMW – Fabricante de automóveis
    Combina o design inovativo com tecnologia avançada e marketing baseado na web para aumentar a liderança da marca e sua abrangência, como no caso do relançamento do MINI Cooper

Tem espaço na Internet para as mesmas coisas?

jul 24, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

Monitor Lots(c) KingstomComputers.comNão é para falar mal, mas não é possível que na Internet haverá espaço para tanta coisa igual… Aparentemente tudo que o Google faz e lança de novidades, a MSN da Microsoft vai atrás. Tudo o que está acompanhando uma tendência de crescimento (vendas on-line), vem seguido de uma enxurrada de novas lojas on-line. Lógico que vamos aonde podemos ganhar dinheiro… mas devíamos nos preocupar com novas maneiras e não copiar maneiras… isso satura demais, às vezes chega a incomodar.

Estamos vendo ultimamente um certo abandono de venda de serviços e conteúdos on-line nos portais de conteúdo lá fora, a nova onda de cooperação em massa está mudando pra valer o hábito das empresas da Internet. As pessoas querem acessar conteúdo grátis, e se as empresas não disponibilizam, elas acessam aquela página que abriu seu código de acesso ou montada pelos próprios usuários (os famosos wikis). A AOL está abrindo o seu conteúdo e acessos a serviços a qualquer um, e não mais somente a assinantes, e está focando em publicidade via web. O Yahoo! está abandonando as suas linhas de receita em conteúdo e serviços e está focando (pasmem) somente em publicidade. A cada ano, o número de pessoas on-line aumentam absurdamente, e quer mais publicidade do que anunciar produtos para essa massa e ainda por cima segmentados? O problema é que todo mundo vai pra publicidade agora… daqui uns dias vamos acessar uma página e ver só anúncios e nenhum conteúdo. Exagero dizer isso, mas é quase isso.

Por outro lado, a Google, após a compra da empresa de localização por mapas via satélite Keyhole, deslanchou o seu Google Maps e a sua ferramenta Google Earth teve até que ser tirada do ar de tantos downloads que foram feitos. E agora o que acontece? A MSN lança o seu serviço de “Google Maps”, o Virtual Earth. Saturação no último.

Legal a competitividade, mas na Internet é tudo “super”, super competitividade, super conteúdo, super sobrecarga de informação, super facilidades. Tem pro bem e tem pro mal.

Qual será a tendência? Tem espaço para tanto competidor? Eu diria que sim, focado em regiões e bem segmentado. Cada qual com seu valor. Tem muita gente na Internet e as oportunidades de negócio são infinitas, afinal de contas somos “super-consumidores”. A exemplo dos mapas, no Brasil temos a versão segmentada do mesmo serviço (com fotos aéreas porém), ele é dado pela Editora Abril em seu CD-ROM das Ruas de São Paulo.

Mas e aí? O que acontece conosco, clientes e consumidores? Cai a qualidade do produto… cai o uso desses serviços… no final uma empresa acaba comprando a outra… assim é o capitalismo selvagem – agora em versão super também.

Páginas:«123456»