Visualizando posts com a tag " google"

Se eu andar em linha reta por onde vou passar?

mai 3, 2007   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  1 Comentário

Após o grande sucesso de 2005: “Se eu cavar um buraco bem fundo onde vou parar?”, o qual rendeu fama e dinheiro para meu irmão mais novo, ele acaba de lançar seu novo hit:

“Se eu andar em linha reta ao redor do mundo por onde eu vou passar?”

Mais um mashup que deve render grandes visitas e um bom barulho na web, já começando pelo blog Google Maps Mania, que publicou um post bem legal sobre o lançamento.

- Clique em um ponto;
- Selecione a direção via uma bússola ou formando uma reta entre dois pontos;
- Ande;
- Veja por onde você está passando olhando o mapa ou vendo homepages no caminho clicando novamente no mapa;
- Exporte sua “andada” para o Gogle Earth e faça uma caminhada virtual animada pelo globo;

If I walk...

If I wak...

Posicionamento é tudo, mas ser dono…

fev 26, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  2 Comentários

Olhe a figura abaixo e veja só que coisa impressionante (oh!). Por meses, ao buscar as palavras “blog” + “corporativo” no Google, o primeiro resultado sempre foi meu.

Aí vieram as nossas queridas empresas brasileiras que entraram no filão do anúncio by Google, e fizeram bem, porque posicionamento é tudo (vejam as duas primeiras colocadas).

E não é que depois veio o próprio Google e, num ato de nepotismo (e de direito), colocou o link para seu blog corporativo (o americano, pq a iniciativa do Brasil nem foi lembrada – e eles só traduzem a maior parte dos posts do anterior).

Nada como ser dono do Google. Até para um blog mais ou menos (na minha humilde opinião). Mas se alguém puxar a tomada dos servidores deles o mundo pára.

posicionamento.gif

Blog para gestão de "crises"

jan 16, 2007   //   por Blog Corporativo   //   Crises, problemas e riscos  //  7 Comentários

No começo do mês postei sobre a confusão gerada pelo Banco do Brasil ao adotar sua nova campanha de marketing. Nesse post eu falava sobre como um blog faria toda a diferença no momento de lidar com as expectativas (crises ou “pitís”) de seus clientes ou prospects.

Sobre as recentes ondas de acontecimentos confrontando o Google, os internautas brasileiros e o governo (Cheques do Adsense bloqueados e bloqueio do YouTube pela Cicarelli), foi muito feliz o comentário do Mr. Wagner no Blog de Guerrilha. A idéia foi questionar o silêncio do Google Brasil nos blogs corporativos da firma.

Certamente o Google Brasil não deve ter muita autonomia para se posicionar sobre estes assuntos e talvez nenhum dos funcionários responsáveis pela atualização do blog quis (ou pôde) colocar o seu na reta. Mas alguma coisa poderia ser escrita, nem que essa coisa fosse: “Galera, sabemos que há muito interesse em saber o que está acontecendo com o YouTube, mas o Google Brasil não tem qualquer relação com este serviço”. Afinal, ficar calado no meio de uma confusão dessas não é muito humano.

Fica registrado. Ele ainda adicionou:

Ainda é utópico imaginar corporações “descendo do palanque” e vindo para o debate corpo-a-corpo. Abrir um canal de comunicação franco e de duas vias é muito arriscado, ainda mais se for para lidar com esses furacões que varrem a rede, como bloqueios de Orkut ou YouTube.

Concordo que seja arriscado, mas acho que o risco/benefício ainda é menor em ambos os casos. Afinal de contas, comentários devem ser moderados e posts devem ser escritos por quem tem “licença para matar”, ainda que “matar” tenha um sentido especial quando estamos lidando com pessoas/consumidores da nova geração – às vezes empowerment para os blogueiros oficiais pode fazer a diferença. Se o Scoble não afundou a sempre polêmica Microsoft, porque o Joãozinho ou a Maria iria afundar a empresa queridinha do planeta terra? – Lógico que não podemos esquecer que Scoble tinha talento.

Férias e Banco da Serendipidade

jan 4, 2007   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  1 Comentário

Banco do Brasil na TechnoratiEstou de férias. Esta semana estou em transição entre uma viagem e outra, e deu tempo de ver uma propaganda do Banco do Brasil na TV.

Nela, o Banco do Brasil falava que a partir desta virada de ano o Banco passaria a se chamar Banco do Manoel, Banco da Maria, Banco do João, etc. Isso tudo afim de tentar tornar seus clientes mais próximos da instituição financeira.

Achei a abordagem um pouco abusada porque o banco estava arriscando seus próprios intrumentos de branding: sua logomarca e nome, em prol de uma campanha “investimos em CRM”.

Fui procurar a respeito e serendipitosamente descobri que realmente coisa errada aconteceu… Ri demais. Saiu na Info, no IDG Now, e em vários blogs (veja gráfico neste post).

“Ao acessar a página de internet do banco, os usuários observam o logotipo do Banco do Brasil alterado para “Banco do Bruno”. Essa alteração faz o usuário do serviço supor que a página foi atacada por hackers.” {IDG Now}

Página fora do ar, Call Center congestionado… foi tudo pro espaço.

Já era. A era-da-sua-reputação-em-jogo-relâmpago está no ar. Titubeou para o bem ou para o mau, você se “you-tubou”. Se eles tivessem um blog há alguns dias, essa “crise” teria sido gerenciada com o pé nas costas.

Titubeou? YouTubou! Não que o banco ou sua campanha tenha virado um vídeo online (ao menos até agora), mas rimou. Google, pode mudar o lema da sua última aquisição.

Aquecimento Global e a Inteligência das Multidões

nov 28, 2006   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

An Inconvenient TruthInteligência das multidões. Este é um lindo tema (que ainda não é tão piegas como “Globalização”) que abre um leque de opções e oportunidades de negócio e crescimento… e já to cortando o papo aqui mesmo, vamos focar no bem da humanidade.

Recentemente o Google abriu o resultado de uma campanha em conjunto com a Global Schoolnet, essa campanha (capa da USA Today de hoje, 27 de Novembro) foi um grande brainstorming de crianças estudantes de todo o mundo em busca de uma solução para o Aquecimento Global.

Vejam as 50 idéias escolhidas e pensem no que uma ação conjunta é capaz.

Nota do Google Blogoscoped:
No último dia 21 foi lançado em DVD An Inconvenient Truth um documentário sobre uma campanha do Al Gore para que o problema do Aquecimento seja reconhecido mundialmente.
Como a própria nota disse, quantos dias teremos até a mudança deste título-mal-escolhido?

Como você não percebe o valor?

nov 21, 2006   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  1 Comentário

Conversando outro dia com meu pai, ele me contava sobre como poderia ter se dado muito bem (financeiramente) quando, há 30 anos atrás, foi oferecida a ele a oportunidade de trabalhar na área de proteção ao meio-ambiente, quando, na verdade, a principal tarefa dele naquela época era construir fábricas.

Muitas vezes podemos olhar para uma escolha feita e tentar vislumbrar como teria sido se…… Faz parte do nosso imaginário, está embutido na nossa lógica especular sobre o não acontecido.

Blogs, é uma modinha ou não? Nos seus negócios, a internet representa algo?

Pense nisso antes que seja tarde. Já mencionei antes o quanto um blog pode abrir de oportunidades quando citei o caso da Vassoura-Feita-Com-Garrafas-Pet.

Hoje, as buscas no Google que trazem mais visitantes para cá são relacionadas com o tal do PET.

Voltando ao 2o post que fiz nessa página, onde eu dizia que o Polietileno foi descoberto ao acaso, assim como tudo que é “Serendipitoso”, me surpreendo por haver uma grande fatia das buscas sendo direcionada para o assunto acima (por ordem na classificação das frases mais buscadas que indicam este blog):

3o. garrafa pet
4o. arvore de natal de garrafa pet
9o. reciclagem de garrafa pet
12o. artesanato com garrafa pet
23o. vassouras pet
[...e algumas outras combinações...]

Você já blogou sobre seu produto hoje?

Crescimento da blogosfera

nov 6, 2006   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

O dono da technorati divulgou hoje mais um estudo sobre a blogosfera. Só que ele esqueceu de colocar algumas linhas esclarecedoras a mais.

(C) Google Blogoscoped

Fonte: Google Blogoscoped.

12 razões de porque as empresas não blogam

nov 6, 2006   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  8 Comentários

1 – Você não entende porque você necessitaria de um blog corporativo. Nem o seu Presidente.

Há várias razões para você considerar um blog corporativo. Vocês conhecem a importância do Google nos seus negócios? Blogar = Se posicionar bem ferramentas de busca. Diga isso ao seu presidente.

2 – Você é o presidente. E você não irá permitir seus funcionários blogarem.

Porque não? Você precisa de uma política e normas de uso sobre blogs. Devem existir limites, mas forçar seus funcionários a não blogar pode ser demais, até porque muitos deles já devem estar blogando por fora da empresa.

3 – Você acha arriscado deixar seus empregados escreverem seus posts.

Se você estabelecer o assunto, a idéia do conteúdo, as regras básicas, seus empregados serão capazes de se sair bem. Se algum deles não segue as regras, mais cedo ou mais tarde ele iria ser um ex-funcionário de qualquer maneira. Encontre um blogueiro principal e passe a moderar os posts por amostragem. Lance o blog internamente por 1 mês ou 2 antes de abrir para público.

Se você vai contar detalhes da empresa que merecem ser conhecidos pelo mercado, deixe alguém mais próximo da tarefa fazer os posts, passar toda a tarefa para departamentos ou agências de comunicação pode deixar o post menos interessante.

4 – Sua agência de RP acha o blog uma má escolha.

Faça algumas perguntas a eles: Pergunte como o Google funciona, pergunte sobre RSS, peça dicas de como escrever textos, pergunte como blogar pode ser ruim tendo tudo isso em mente. Verifique se sua agência realmente tem conhecimento sobre blogs antes de acatar a decisão.

5 – Você mencionou sua intenção para o pessoal de IT. Agora está na agenda de futuros desenvolvimentos.

Quando pensamos em internet, é melhor confiar nos profissionais de marketing ou de gestão. Eles são quem dão as regras e o objetivo do blog.

6 – Você não sabe ainda quem irá contribuir no blog, ou o que você irá abordar nele.

Não adianta assumir toda a responsabilidade, você precisa dividir a tarefa com alguem que possa se dedicar mais tempo. Blog é um investimento em RP e posicionamento (no mercado e em ferramentas de busca), eles dá visibilidade à empresa, solidifica uma comunidade, humaniza a empresa. Lembre-se que nem todo blog corporativo precisa ser sobre seus negócios (veja meu livro).

7 – Você não consegue ver os benefícios sejam lá quais forem. Deve ser uma completa perda de tempo.

Sempre existem exceções. O blog pode não ser perfeito para todas companhias.

8 – Você não vê nenhum retorno ao investimento.

O blog deve ser visto sob o ponto de vista das conseqüências. Quanto vale ter clientes satisfeitos e falando bem da sua empresa ao longo de páginas e páginas na internet? Como uma maior fidelização de clientes ou aumento na participação por propaganda boca-a-boca pode não ser um tipo de retorno? Nem tudo é retorno financeiro.

Mas ele existe, porque as conseqüências citadas acima certamente irão afetar positivamente suas receitas.

Que tal olhar o retorno sobre riscos?

Se os clientes que vão interagir com a empresa ajudarem desenvolver novos produtos e serviços, eles serão seus principais consumidores e agentes de marketing.

9 – Você não tem idéia de como montar um blog.

É muito fácil. Você pode hospedar em um servidor web alugado (usando WordPress, MovableType), or hospedar em serviços próprios para isso (usando Typepad, Blogger).

10 – Você acha que o blog é só uma moda passageira.

Claro que é, você tem toda a razão…

11 – Você considera que o que funciona nos Estados Unidos não irá funcionar aqui, pois lá eles possuem um ambiente completamente diferente.

Não importa o local do seu mercado, a internet está cada vez mais presente e cada vez com mais usuários, posicionar-se bem nesta infinidade de possibilidades é essencial (e o blog ajuda bastante). Além disso, usuários estão, com a ajuda da internet, mais exigentes e antecipados, você não pode ficar fora dessa. Dê visibilidade para sua empresa.

12 – Você acha que blogar não vai dar certo para seu tipo de negócios.

Você pode estar certo. Mas ao menos tente saber os benefícios antes de atirar esta moeda. Lembre-se que você não precisa falar exclusivamente sobre o que você faz ou vende, ninguém quer saber se você comprou uma impressora nova que faz um barulho irritante. Eles (sua audiência) se importa com coisas que eles mesmos querem ler, querem saber mais sobre assuntos que circundam seu métier.

Fonte: e-consultancy e algumas poucas das muitas idéias presentes no meu livro.

Breve história de domínios

nov 6, 2006   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

zagbook.comSemana passada vi no The Blog Herald a história de uma companhia de Ohio nos Estados Unidos, chamada Universal Tube & Rollform Equipment Corporation, e que possui o seguinte website: www.utube.com.

A companhia alega que milhares e milhares de pessoas acabam caindo no seu website acidentalmente, aumentando o tráfego (e conseqüentemente os gastos) e fazendo com que a companhia começasse a receber ações movidas contra difamação, direitos autorais e outros cybercrimes.

“Erros de domínio” poderíamos dizer.

Algumas palavras usadas juntas para formar o endereço web de uma empresa ou qualquer instituição pode ser problemático ao assumir um certo duplo sentido. Veja uma pequena lista de “domínios azarados” como www.powergenitalia.com ou www.penisland.net.

Imagina colocar um nome parecido com Google.com para seu site?! Que tal googkle.com, ghoogle.com, gfoogle.com ou gooigle.com???

Muitíssimas visitas na certa. Mas o Google já andou caçando esses domínios praticamente homônimos, e ganhou boa parte deles em disputas judiciais.

www.acabou.com.br

Afinidade digital

out 19, 2006   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

Bela inspiração de Maurizio Goetz em nos trazer o termo “Afinidade Digital” e explicá-lo nos moldes do seu quase xará de sobrenome: Johann Wolfgang von Goethe.

Em uma de suas novelas, a chamada “Afinidades Eletivas“, Goethe busca descrever o que nos leva a interagir uns com os outros nas suas devidas circunstâncias. Tema que Maurizio busca traduzir nos tempos atuais sob a forma de Afinidades Digitais.

Sucesso dos blogs, fóruns e demais canais de interação que nos trazem um certo poder de comando e decisão aliado ao relacionamento. Várias pessoas se reunindo em um evento como o BarCamp, ou um “Orkontro”, “Ircontro” (este mais obsoleto). Mentes vibrando na mesma freqüência graças ao oportunismo da “Cauda Longa” (estou lendo o livro – boas impressões).

Vamos “tachar benéficamente” toda essa sincronia como uma espécie de alquimia digital, a não ser confundida com química por Technorati e Googles da vida.

Páginas:«123456»