Visualizando posts com a tag " negócios"

Baby Talkin' Blues

nov 22, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

Baby é um mundo super…
Porque afinal de contas, existem apenas um bilhão e trezentos milhões de pessoas que não possuem acesso a água potável…

Baby é um mundo super…
Porque o volume de negócios das nossas bolsas equivale ao produto interno bruto de um ano da África inteira…

Baby é um mundo super…
Porque no final, nós que estamos de fora do terceiro mundo nos permitimos dizer “eles acabaram com a cultura”…

Baby é um mundo super…
Porque sobre este planeta existem mais de um bilhão de analfabetos, um a cada seis habitantes…

Mas é também um mundo super porque, cada um de nós produzimos a cada ano quatrocentos quilos de resíduos sólidos e mais de uma tonelada de resíduos gasosos, e porque, neste momento existem 50% das florestas tropicais que existiam em apenas 50 anos atrás…
Alguém pode dizer: não seja catastrofista, tudo somado, teremos floresta até 2037, depois pensamos nisso… faremos um mundo sem florestas tropicais…

Ou você quer ser catastrofista apenas porque neste… Baby é um mundo super… este desflorestamento produziu a maior extinção de espécies animais desde os tempos dos dinossauros…

Baby é um mundo super…
Bill Gates nosso… que não estais nos céus… e não entende o porque… e isso está atravessado na sua garganta… nos dai hoje o nosso chip cotidiano… Amém!

Letra da música (falada) do cantor de rock italiano Luciano Ligabue.

Get Psyched

nov 16, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

(c) ingoodcompanymovie.comNa semana passada assisti um filme chamado “Em Boa Companhia” (In Good Company), uma comédia que mostrava as realidades atuais das empresas: A compra e venda de empresas por grandes corporações, as demissões em massa, gírias, frases de efeito, plano de carreira e conceitos de “auto-ajuda” empresarial.

Dentre elas, uma que me chamou atenção, e é inclusive falada várias vezes durante o filme é a questão da sinergia (veja imagem do filme e a pose do chefão com as mãos). Já comentei algo sobre isso algum tempo atrás quando estava falando de cooperatividade versus competitividade. Mas tem alguma coisa aqui que merece destaque.

O filme é um retrato “hollywoodiano” de um jovem publicitário que se torna diretor de um novo braço da corporação onde trabalha. Sem dúvida a presença dele era uma injeção de vitalidade na empresa, mas acompanhada de fatos inconvenientes, como é uma integração da empresa comprada com a compradora.

Como sou consultor de negócios, vi um espelho irônico de assuntos que tratamos. Fatos que na consultoria trabalhamos freqüentemente. E a conclusão é que a tendência é essa mesmo, largas demissões (injustas muitas vezes) e “batata-quente” com as empresas, cada um jogando o pepino no colo do outro. No final, nós é que temos que nos especializar cada vez mais.

O fato é que jovens executivos trazem folego, ânimo e motivação para a empresa. Promovem seguramente a sinergia, o espírito de trabalho em equipe. São pessoas que, assim como eu, aspiram projeção e sonham alto. Fato esse que deveria ser levado em conta no momento de preencher um cargo importante. Leia mais.

Por outro lado, é preciso ir devagar com a carreira, ser ponderado e viver cada coisa a seu tempo. Não adianta ser jovem e perder a vida trabalhando demais.

Estimulando a $erendipidade

nov 8, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  1 Comentário

10 maneiras para estimular o encontro de casualidades importantes que podem trazer bons resultados (lucrativos) para suas atividades ou negócios.

  • Mantenha a mente aberta – Seja receptivo para ouvir e digerir as informações.
  • Escute primeiro – Analise antes de criticar ou descartar opiniões. Saiba ouvir mais do que falar.
  • Seja onipresente – Escute, veja, leia e interaja com tudo ao seu redor.
  • Aprenda de tudo – Enriqueça seu número de variáveis lendo e aprendendo assuntos amplamente diversos.
  • Converse com todos – Busque opiniões com amigos e desconhecidos.
  • Se envolva – Apaixone-se pelo mundo das idéias que ainda não foram descobertas.
  • Compare resultados. – Articule diferentes assuntos e encontre pontos similares entre eles.
  • Confie na sorte – A inspiração sempre chega para as pessoas que aspiram algo.
  • Erre bastante – Se arrisque mais e não se preocupe com erros. A maior parte dos acasos felizes vieram como fruto da tentativa e erro.
  • Perca o foco- Não pense estritamente no resultado esperado, isso tira sua atenção dos eventos casuais.

O que é Serendipidade?!?
Leia o pequeno quadro do lado esquerdo superior. Se você precisou dessa orientação, você precisa praticar o terceiro princípio acima.

Ser político

nov 7, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  1 Comentário

(c) yotophoto.comNo mundo dos negócios vivemos rodeados por pessoas que tentam agradar a todos. São os auto-denominados “políticos”, que muitas vezes não passam de oportunistas ou exploradores.

Na verdade, agradar a todos (honestamente) parte de uma eficácia nos relacionamentos interpessoais. Algo difícil de alcançar com facilidade. Neste mundo, podemos classificar as pessoas de 3 maneiras:

As pessoas que tendem para o mal – Que tratam mal, conversam mal, não são interessadas, não possuem pró-atividade, são folgadas, ignorantes, pedantes, metidas e oportunistas. Exploram as do “bem”.

As pessoas que tendem para o bem – Que fazem sempre o correto (segundo uma ética muito peculiar) e acabam sendo passadas para trás. São sinceras, honestas e inocentes. Essas pessoas engolem (aceitam) uma pisada no pé, uma furada de fila. Aguentam as do “mal”.

As pessoas assertivas – Que vivem no equilíbrio entre ser mau e bom. São ponderadas e interrogativas. Falam o que pensam no momento oportuno. Não reagem com violência ou preponderância. Buscam o acordo, o entendimento mútuo.

Ja cruzei com muitos profissionais “políticos” que não passavam de meros puxa-sacos. Ser uma pessoa que revela sagacidade, discernimento e que sabe conduzir as pessoas, é uma tarefa alcançada somente por pessoas que formulam as respostas de maneira engenhosa e convincente. Sem ser invasivo. Totalmente diplomático.

Um ponto importante: Uma coisa é ser político, outra diferente é ser desonesto, ladrão ou aproveitador. De nada adianta ser político se no final você está prejudicando outras pessoas.

É algo como passar alguém pra trás (mostrar-se superior) dentro da ética humana e esse alguém agradecer você por isso no final. É quase um pecado, mas totalmente permitido.

NEV – Nova Economia Virtual

nov 3, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

(c) yotophoto.comWilma, Katrina, Charley e Isabel são alguns nomes de furacões fortes dos últimos 2 anos que atingiram os Estados Unidos. A seca atual desde o Pantanal até a Amazonia. As ondas de calor do verão europeu varrendo vidas de idosos e crianças.

Sintomas de um planeta explorado, poluído e aquecido.

Por outro lado, tem um mundo que não pára de crescer. O mundo virtual, a rede da Internet. Milhões de pessoas escrevem diariamente em blogs, jogam online com outros jogadores, fazem negócios, e desenvolvem muitas outras atividades lucrativas ou não.

Se juntarmos as duas realidades, poderíamos ter uma solução um tanto cyberpunk para o fim da exploração dos recursos do planeta. Seria uma migração de atividades reais para negócios virtuais, como a venda de domínios, venda de websites e sites de leilões.

No Project Entropia, um jogo online onde algumas ações dentro do jogo começaram a ser negociadas “externamente” com dinheiro vivo, um jogador conhecido como Neverdie comprou em leilão uma estação espacial para transformá-la em uma danceteria virtual.

Assim, enfurnados somente na NEV (Nova Economia Virtual), conseguiríamos o nosso amado dinheirinho pra comer e gastar. A população global diminuiria (através do sexo virtual) e economizaria os recursos naturais (porque quase tudo que nos satisfaz só poderá ser feito online). Só falta nos alimentarmos de bits e bytes.

É meio cara de Matrix mas é uma saída. Trocaríamos a morte do relacionamento humano (nossa fonte de ser) pela sobrevivência da natureza (nossa fonte de vida).

Uma balança difícil.

Leituras que valem a pena #3

out 20, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

A Hard Ride For eDonkey | BusinessWeek
A rede de compartilhamento eDonkey está reformulando seu modelo de negócios.

Simplicidade é a resposta | Folha de São Paulo
Artigo de Marketing de Peter Sealey e Steven M. Cristoll sobre o uso da simplicidade nos modelos de negócios.

Everything You Need to Know About Strategy: A Baker’s Dozen Eternal Verities | Tom Peters
13 dicas sobre estratégia empresarial. Artigo em PDF.

Leituras que valem a pena #2

out 13, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

The 101 Dumbest Moments in Business | Business 2.0
Lista dos 101 momentos mais estúpidos de 2004 no mundo dos negócios.

Leading Creatively: The Art of Making Sense | Ivey Business Journal
Liderando com criatividade. Introdução de uma série de competências necessárias nos líderes de hoje. Artigo em PDF.

Como escrever um bom artigo | Stephen Kanitz
Dicas para escrever um artigo. Kanitz é articulista da revista Veja.

Senso de urgência

out 11, 2005   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

(c) Malene ThyssenExistem dois tipos de senso de urgência:

O precavido e o complicado.

Vamos supor que você começe trabalhar todos dias as 8 da manhã, e para isso, você tem que acordar 1 hora antes para dar tempo de se arrumar, tomar café da manhã e dirigir até o local do trabalho. Como se trata de acordar cedo (algo que eu não gosto), acabamos deixando o despertador no limite máximo para dar tempo de chegar no trabalho. E se…

E se você mora em uma cidade aleatória como São Paulo ou em qualquer outra cidade grande? Como fica seu trabalho se acontece um acidente que provoca transito? E um outro compromisso importante e inadiável? Como fica?

Conclusão: Acorde mais cedo. Saia mais cedo de casa. Para seus compromissos importantes se antecipe um pouco, porque isso não custa muito e vai trazer bastante conforto a você no final.

E para pegar o avião então? Nem se fala… É só olhar o tanto de gente que vive correndo nos aeroportos… Perdendo vôos.

Acorde mais cedo. Saia mais cedo. Se antecipe.

Se você é do tipo de pessoa que no trabalho ou nos negócios só vive “correndo atrás do incêndio com um extintor”, reflita um pouco e pense se não vale a pena deixar o que está queimando queimar um pouco e começar a resolver os problemas antes do prazo final. Brasileiro tem essa coisa de deixar as tudo para a última hora.

Em Nova Iórque temos uma taxa de criminalidade que foi reduzida bastante nos últimos anos. A polícia é bem treinada e bem estruturada, mas eles jamais conseguiriam chegar ao patamar atual se não tivessem começado a combater os pequenos crimes. Aquele sujeito que pula a roleta do metrô, ou que roubam pequenos produtos de supermercados ou feiras. O infrator de pequenos crimes de hoje pode ser o homicida de amanhã.

E aí? Não vale a pena?

Leituras que valem a pena #1

out 6, 2005   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  Nenhum comentário

Vou tentar trazer semanalmente (ou esporadicamente) alguns links para artigos interessantes do mundo dos negócios, marketing, criatividade e etc. Sempre dentro dos temas abordamos aqui e que são dignos de nota.

The Power of Dumb Ideas | Strategy+Business
A solução para os problemas atuais de marketing é o uso de menos criatividade na execução.

The SAP School of Design | BusinessWeek
Co-fundador da SAP investe pesado em Stanford – ponto positivo para as D-Schools.

Minipreneurs | Trendwatching
Estamos nos transformando em Mini-empresários com a internet.

Melhor livro de negócios do ano

set 20, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  1 Comentário

(c) ft.comSaiu a lista dos 6 finalistas para o prêmio de melhor livro de negócios do ano segundo a Financial Times e a Goldman Sachs.

Os juízes do prêmio partiram da premissa de que o livro deveria ser o mais influenciador e prover a melhor aproximação com as questões do mundo dos negócios moderno.

Estou lendo “Freakonomics” e posso dizer que é um livro muito peculiar. Interessante e diferente.

Fonte: Financial Times.

Páginas:«12345678»