Visualizando posts com a tag " propaganda"

Diferença entre Marketing, RP, Marcas e Propaganda

out 24, 2006   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  3 Comentários

Essas figuras são parte integrante do “ZAG – A disciplina #1 das marcas de alta performance“, o novo livro de Marty Neumeier.

Nelas, ele faz uma comparação entre Marketing, Propaganda, Relações Públicas, e Gestão da Marca. Dê uma “fuçada” no site dele e folheie algumas páginas do livro.

zagbook.com
zagbook.com
zagbook.com
zagbook.com

Fonte: Brand Autopsy

O blog nas propagandas

out 19, 2006   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  1 Comentário

toyota-blog_thumb.jpgEsse é um poster publicitário da Toyota no aeroporto de Newark em New Jersey.

“1.200.000

Pessoas que postam em blogs diariamente.

Árvores no [estado do] Maine [nos EUA].

Toyotas construídas nos EUA no ano passado.”

Relevante, não?!

Fonte: Mauro Lupi

Internet é uma caixinha de surpresas…

out 9, 2006   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  2 Comentários

yotophoto.com… e se você souber explorar o seu poder com criatividade e muita cara de pau, você pode chegar lá!

Quero que vocês conheçam alguns exemplos do que uma rede social como os blogs pode promover. De celebridades instantâneas a dinheiro fácil, basta dar sua cara pra bater (de preferência em inglês para espalhar mais ainda pela rede).

Alguns meses atrás a imprensa brasileira descobriu o cara que trocou um clipe vermelho por uma casa em menos de um ano. Mas ele pode ficar pra trás, pois um ex-militar americano prometeu que vai se tornar uma propaganda viva ao alterar oficialmente seu nome para aquele que pagar mais por isso.

A recompensa pode não ser financeira, pode ser na forma de uma companheira para toda a vida. Esse fulano promete que vai a qualquer lugar do mundo ter um encontro com aquela que pode ser sua futura esposa. Já esse outro, prometeu que vai perder algumas centenas de quilos e vai blogar todo seu progresso passo-a-passo.

Alguém aí conhece mais exemplos?

Riscos que os blogs podem criar nas empresas

jul 6, 2006   //   por Blog Corporativo   //   Crises, problemas e riscos  //  8 Comentários

308401_falling_off_a_cliff.jpgO primeiro passo para criar um blog corporativo é definir seu objetivo e planejá-lo bem e detalhado para cobrir todos os riscos que o blog pode introduzir nos seus negócios.

  • Riscos de Segurança – Vazamento de informações confidenciais da empresa, divulgação de material de propriedade intelectual. Muitas empresas barram acesso a blogs para evitar que funcionários façam comentários acidentais, e outras têm medo de disponibilizar blogs de funcionários com a mesma preocupação.
  • Riscos de Controle – Se uma empresa não monitorar adequadamente o uso de blogs e amarrar uma política de uso eficiente, ela estará sujeita a posts de má qualidade ou comprometedores. Cada post é um registro e conseqüentemente uma prova caso o mesmo provoque problemas para a empresa.
  • Riscos de Spam – Uma empresa que possui um blog está sujeita à invasão de spams ou propagandas indesejadas nos comentários e trackbacks. É aconselhado o uso de ferramentas (scripts) de blogs mais conhecidos e com fucionalidades de combate ao spam reconhecidos e eficientes.
  • Riscos Legais – Posts ou comentários que violam direitos autorais, invadem a privacidade (postar e-mails por exemplo) ou difamam terceiros. Mais uma vez a política e normas de uso de blogs e a sua relação com a empresa devem estar cobrindo este aspecto. É importante obter a assinatura dos funcionários sobre a política uma vez que já esteja estabelecida. Também é interessante treinar seus funcionários mais ligados ao blog.
  • Riscos de Produtividade – O acesso a blogs dentro da empresa pode gerar problemas de produtividade. O mesmo se aplica a empresas que possuem blogs que são escritos por funcionários. Algumas empresas barram o acesso a blogs – prática ruim porque os blogs também contém informações interessantes dependendo da área e departamento da empresa – e, dentre as empresas que blogam, a política deve gerir a freqüência de uso e publicação de posts para controlar o tempo de forma mais precisa. Contratar um blogueiro pode ser interessante.
  • Riscos Regulatórios - Dependendo da área de atuação da empresa, posts ou comentários desavisados podem prejudicar a empresa perante regras regulatórias de órgãos governamentais ou legislativos. É importante revisar as políticas de uso para cobrir aspectos regulatórios.
  • Riscos de Reclamações – Independentemente se a sua empresa bloga ou não, todos estão sujeitos a reclamações de clientes em outros blogs e websites existentes. A empresa deve estar de olho na blogosfera procurando comentários que possam prejudicar caso alguma ação não seja tomada à tempo.

Nicho do nicho do nicho

mar 20, 2006   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  1 Comentário

(c) yotophoto.comPara quem já viu e conhece a recém nascida teoria do “Long Tail“, sabe que a web possibilitou o enriquecimento de nichos específicos de mercado, que antes ficavam escondidos demais, ou muito inacessíveis devido a distância e velocidade lenta da informação.

Isso nos dá a idéia de que a segmentação é muito importante para as decisões de marketing, e que sempre existirá um segmento interessante para se explorar.

Um amigo me comentou sobre uma propaganda da TV a cabo muito interessante quando falamos de segmentação. Era basicamente algo assim (números fictícios em alguns casos para ilustrar):

O Brasil possui mais de 180 milhões de habitantes. Desses 180 milhões, 2,5 milhões são assinantes de TV a Cabo e fazem parte principalmente das classes média e alta. Desses 2,5 milhões de assinantes, apenas 100 mil são da classe alta, e respondem por 80% do consumo de produtos e serviços no Brasil. Anuncie na TV a Cabo.

Eu colocaria a idéia acima do seguinte modo para as empresas hoje:

Segmentar é viável e imprecindível. Personalizar é ir além da segmentação, é ser um pra um, é o ideal. A Internet é uma vitrine de segmentos. E na Internet, o blog é a ferramenta de personalização. Use blogs na sua empresa ou nos seus negócios.

Poder do envolvimento emocional

fev 8, 2006   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  3 Comentários

(c) yotophoto.comNo Marketing eYe foi apresentada uma história interessante.

Um pedaço de madeira (Matéria Prima) transformado em taco de baseball (Manufatura/Trabalho) foi leiloado por mais de 1 milhão e meio de dólares porque foi o taco usado por Babe Ruth, uma famosa lenda do Baseball, em um jogo histórico.

Ou seja,

Matéria Prima = $
Matéria Prima + Trabalho = $$
Matéria Prima + Trabalho + Uma história/Emoção* = $$$$

* Quanto maior o quociente de impacto da sua história, maior o valor agregado ao seu produto ou negócio.

O seu produto ou serviço tem uma história para contar? Você está contando?

Ou você está simplesmente fazendo propagandas do seu preço ou produto exatamente como seus concorrentes?

Mais ainda, que tal usar o blog como uma ferramenta de criação de um canal interativo e irresistível para atrair e reter seus clientes?

A Mastercard e seus “…não tem preço” não conta sequer uma história, simplesmente aplica o conceito acima diretamente, sempre atrelando algum fato emocionante das nossas vidas.

Qualquer meio de comunicação será usado…

fev 6, 2006   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  3 Comentários

(c) roofshout.comAlguém profetizou um dia:

“Propaganda é a alma do negócio”

Se fez uma luz e todos os meios de comunicação foram invadidos por propagandas. Textos, sons ou imagens, vale tudo para desviar sua atenção.

Pensando na prática, qualquer lugar, espaço físico, canal de rádio, de TV, qualquer coisa que seja vista, ouvida ou lida por muitos é uma possível alternativa para plantar a semente dos seus negócios sob a forma de um anúncio comercial.

A Internet trouxe um fator exponencial para o crescimento de tudo isso.

Depois do Bumvertising, uma modalidade similar ao anúncio de “Compro e Vendo Ouro” pendurada no pescoço de pessoas no centro de grandes cidades, depois do Adsense revolucionando a maneira de se vender na web, eis que surge o Roofshout ou o Roofads buscando clientes através de anúncios nos tetos das casas, fábricas ou galpões. A foto acima é auto-explicativa.

Estratégias polêmicas não são novidade

jan 3, 2006   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  3 Comentários

(c) capitalgaucha.com.br/poli_position

Lendo o blog Business Opportunities Brasil da Cris Zimermann deparei com a propaganda (outdoor) acima, de uma confecção e loja de roupas do sul do Brasil.

(c) serendipidade.comAchei interessante porque não é a primeira vez que vejo algo do gênero. Ao lado tenho uma foto de uma campanha publicitária denominada “Super Fuck – Fuck 2001″, feita em cartões postais que obtive no ano novo 2001/2002 em Praga.

Não sei do que se trata porque não entendo o que está escrito, mas achei a campanha um pouco impressionante pela ousadia. Nada tão assustador para um país que está vivendo uma onda liberal após um período conturbado na sua história, e indubitavelmente marcante.

Tirando o fato da não originalidade da peça, aqui no Brasil, usar propagandas com teor polêmico não é novidade. Durante o período em que o Brasil recebe o circo da Fórmula 1, é muito comum vermos outdoors das casas noturnas dedicadas a serviços “especiais”. Logicamente a prefeitura veta alguns, retira outros, mas a peça já foi lançada e comentada em todos jornais, gerando o efeito Buzz Marketing, que também serviu para o caso acima.

(c) ultimosegundo.ig.com.brPonto para o Marketing… Com ou sem polêmica, ele acaba chamando a atenção.

Efeitos de um mundo conectado e sexualmente estampado na TV, revistas e jornais? Morte da capacidade criativa? Ou simplesmente nós mesmos sendo enganados (e impressionados) porque somos assim, politicamente corretos na aparência e sujos (o interesse por causas “proibidas”) por dentro?

Marketing 2.0

dez 8, 2005   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

(c) yotophoto.comAlguns tipos de marketing surgiram ou ganharam força através da Internet, ou mais precisamente, com a nova onda “Web 2.0” (crescimento dos blogs, ferramentas de personalização de idéias e assuntos acessíveis, wikis, propagandas e outros). Os principais estão listados abaixo:

Marketing Boca-a-Boca – É fazer com que as pessoas falem do seu produto para outras de maneira intencional, convencê-las de recomendar seu produto. Essa é a forma de marketing mais tradicional dentre as listadas aqui, e que foi muito impulsionada pela Internet.

Buzz Marketing – É criar uma sensação ou novidade em cima do seu produto e assim fazer com que a mídia e qualquer outro canal exponha ao máximo essa novidade. É criar bastante visibilidade do seu produto, de maneira que as pessoas sempre ouçam falar dele nos mais diversos tipos de canais. Um marketing boca-a-boca muito eficiente se torna um buzz marketing (Marketing Zumbido).

Marketing de sua marca em blogs – É o uso de blogs empresariais para falar sobre o seu produto, serviço ou novidades em torno deles. É uma janela aberta com possibilidade de interação com seus clientes. É uma forma da empresa se tornar transparente e acessível. FastLane é o famoso blog da GM, e a Debbie Weil publica um blog sobre Blogs de CEOs

Marketing de Guerrilha – É o uso de diversas maneiras de espalhar sua mensagem quando o orçamento está curto. Um exemplo fraco disso é a colar cartazes pela cidade, um exemplo forte e eficiente é o uso de mensagens em harmonia com a paisagem urbana, como este exemplo.

Marketing Viral – É a criação de mensagens interessantes e divertidas, que coloquem o leitor(cliente) em posição de vantagem perante amigos e desconhecidos, dando uma oportunidade de espalhar exponencialmente a sua mensagem usualmente via e-mail, blogs e web, atingindo um grande número de pessoas. Veja essa matéria.

Marketing de Nicho – Construir comunidades e nichos específicos que criem um tipo de ligação íntima entre seu produto e o cliente, e uní-los através de outras comunidades. É uma aproximação do tradicional marketing 101 (um a um). Na web, a teoria do long tail (cauda longa), demonstra a tendência desse marketing.

Além desses, existem logicamente diversas outras maneiras e soluções para passar a mensagem. O importante é, como diz Seth Godin, contar uma historinha que faça o cliente contar uma história a si mesmo e comprar.

Advertising / Design Goodness

nov 29, 2005   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  Nenhum comentário

(c) serendipidade.comParticipem enviando propagandas nacionais para o site Advertising/Design Goodness, uma ótima fonte de anúncios criativos de todo mundo e atualizado diariamente.
(c) serendipidade.com

Páginas:«12345»