Visualizando posts em "Serendipidade"

Vassouras feitas de garrafas PET

jun 10, 2008   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  9 Comentários

Antes de tudo esse é um post de utilidade pública. Vira e mexe eu resgato a fatídica história do post “Vassouras PET ecológicas?” para demonstrar o poder do blog para gerar novos negócios.

Tem um sujeito chamado Alvair que é o recordista de postar respostas a comentários desse post mencionado acima. Praticamente um spammer. Depois de muito responder (e provavelmente fechar alguns negócios) agora ele está lançando uma página web. Vassoura PET – Amiga da Natureza. Fica então a dica para o leitor interessado. Para o Alvair vai a dica de fazer um blog para atrair mais visitas.

Só pra constatar – esse mercado deve dar dinheiro. Em um dos comentários vi um leitor vendendo projetos de máquina para desfiar o PET por 20 mil legais… Se eu fabricasse isso e vendesse uma máquina para cada comentário recebido… vêêê lá…

Como projetos funcionam na realidade

jun 9, 2008   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

Há muito tempo atrás, em dezembro de 2005, eu postei um quadrinho sobre gestão de projetos aqui no Serendipidade.

Na época eu o traduzi do inglês. Mas desde o início de 2007 alguém resolveu facilitar a vida de milhares e milhares de gerentes e criou o Project Cartoon.

Agora seus problemas acabaram: além de contar com traduções em diversas línguas – inclusive português – você pode criar sua própria versão do infame desenho que já mudou a forma de encarar o dia-a-dia de diversas empresas. É um mundo de possibilidades para os já tão atarefados PMPs da vida.

Não deixe de criar o seu e comprar uma bela camiseta ou um poster para enfeitar seu segundo lar-doce-lar.

Como projetos realmente funcionam

Rede social para o lado de lá – encontre alguém na sua próxima vida

jun 4, 2008   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  1 Comentário

A Holanda é famosa por ser liberal. Entre um baseado e outro o pessoal vem com algumas idéias geniais, especialmente quando se trata de web 2.0, fatia do mercado on-line que demanda muita criatividade…

Assim é o Next Life Meeting, uma rede social (também em inglês) para que você marque encontros com outras pessoas na sua próxima vida. Se você acredita em reencarnação e quer reencontrar pessoas que compartilham da mesma opinião num futuro remoto, você não vai querer ficar fora dessa. Você pode criar seu perfil atual e perfis das suas vidas anteriores.

Como saber sobre suas vidas anteriores? Você pode tentar aqui, aqui e aqui. Agora, se você esquecer sua senha para acessar quando mudar de vida, você vai ter que se lembrar pelo menos do seu e-mail. O site não oferece outra solução. Por enquanto.

No final da história descobri que essa ‘start-up’ foi apresentada no Dragon’s Den, um programa da TV holandesa onde empresários iniciantes vão ao ar para tentar vender a idéia para 5 empresários bem sucedidos. Esse é um tipo de programa que poderia existir no Brasil. Melhor que Aprendiz

Fonte: Next Web.

Aprendendo a viver e deixando de se impressionar

jun 3, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

Estava atualizando o Blog Corporativo Wiki fazendo algumas pesquisas na rede e vi algumas notícias sobre uso de blogs para diferentes objetivos. Daí percebi que não dava mais importância para isso como antes. Já vi tanto sobre o assunto que simplesmente não estou reagindo mais a esses “estímulos”.

Na mesma hora lembrei de uma música do cantor/compositor italiano Giuseppe Povia chamada “Quando as crianças fazem oh“. A música é sobre a pureza das crianças e de como esquecemos de nos impressionar com as coisas simples da vida como a chuva.

Imagino um ciclo de aprendizagem do seguinte modo: Descobrir – Entender – Absorver – Ignorar – Esquecer.

Se manter aberto a novidades é importante para evoluírmos com criatividade, mas ao mesmo tempo considero importante saber e sempre se lembrar do caminho que nosso conhecimento tomou até aqui. Ignorar algo que possa parecer batido é prepotente. Além disso, é o primeiro passo para perder novas oportunidades.

É super piegas dizer isso, mas oportunidade, assim como a flecha lançada e a palavra pronunciada, não volta.

Motivação – Qual o carvão que move essa locomotiva?

jun 2, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

O Gerente - Mapa mental motivaçãoO que você pode fazer para conquistar quase tudo que a pirâmide das necessidades humanas de Maslow apresenta? A pergunta pode ter muitas respostas, mas como uma coisa puxa a outra, olhando os dois primeiros degraus – necessidades fisiológicas e de segurança – eu diria que o dinheiro é um forte candidato para conquistar um amplo espectro dessa hierarquia. Como as necessidades fisiológicas e de segurança são a base sustenta o todo, tenho fortes convicções de que, no mundo corporativo, o dinheiro motiva mais do que pensamos.

Estive estudando diversas teorias de motivação como parte do trabalho para meu próximo livro. Achei uma lista compreensiva no ChangingMinds.org. Para quem gosta de saber como funcionamos, nesse site temos teorias para diversos aspectos da vida como memória, crenças, persuasão, comportamento e etc.

Mas voltando ao assunto, quando falei sobre as teorias de motivação X e Y, ainda não imaginava que a coisa toda era mais complexa que imaginava. Sumarizando: Supondo que todo mundo pegue sua fatia financeira e volte para casa contente, ainda assim restaria o ‘desejo incondicional de felicidade’ colocando sua empresa em xeque. Por ‘desejo incondicional de felicidade’ entenda que falo da característica nunca satisfeita da condição humana, falo da ‘grama do vizinho ser mais verde’. É inevitável.

Aí você pergunta: você está louco? Primeiro fala que dinheiro é importante e agora não?

O fato é que em ambientes de negócios o dinheiro fala mais alto, especialmente se o funcionário sentir-se desafiado na conquista de uma fatia mais gorda do bolo. Muita gente trabalha para o ganha pão sem fazer o que mais gosta porque provavelmente não teria uma recompensa financeira significativa com sua paixão. Como o dinheiro é necessário graças ao capitalismo, e ainda que a busca pela felicidade seja perene, receber mais do primeiro sempre nos faz sentir mais próximos do segundo.

O mapa mental de motivação (figura) pode ser visto aqui.

Títulos devem ser bem escritos

jun 1, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

[[ Se você manja tudo de internet seja paciente - estou sendo didático nesse post ]]

Quando um blogueiro ou jornalista termina de escrever seu texto, ele precisa sempre decidir qual será o título do seu post, artigo ou notícia. Isso me remete ao colégio durante as aulas de redação, onde escolhíamos o título do texto após escrever ou dávamos uma revisada no título escolhido antes para deixar o leitor mais interessado.

O tempo passou e, o que antes era escrito à mão ou publicado em papel, hoje é publicado em blogs e páginas online. Cada post ou artigo passa a aparecer então como uma lista de posts ou lista de artigos na página e até mesmo em feeds RSS.

Os títulos são lidos pelas ferramentas de busca (por meio dos robôs) e acabam sendo referência de palavras-chave durante a busca. Por isso é importante que o título seja atrativo – ele é o primeiro retorno quando você busca alguma coisa na rede.

Segundo, e por isso escrevo esse post, eu disse que o título aparece em listas de artigos ou em leitores (agregadores) de RSS como o Google Reader. Quem usa um agregador geralmente “assina” o conteúdo de dezenas ou mesmo centenas de blogs e sites de notícia. Pior. Quem usa o agregador acaba tendo sua produtividade atrapalhada pela imensidão de coisas a ler, assim, ele só lê aquilo onde o título interessa mais.

Sim, o mundo exige cada vez mais das pessoas porque as próprias pessoas estão falando mais alto (com a internet e os blogs todo mundo tem um palanque). Como tudo na vida, se você quer se destacar, você tem que trabalhar mais. Portanto, se você quer atrair leitores, você tem que ser autêntico na escolha do título. Depois na qualidade do conteúdo.

Se você não fizer assim, seus concorrentes ganharão a atenção do público.

Comparação básica entre três jornais:

IDGNow!
Jornais da Bélgica pedem indenização de US$ 77,5 milhões ao Google

INFO Online
Belgas vão à Justiça contra Google News

O Globo Online
Jornais querem indenização de US$ 77 milhões do Google News

Qual você escolheria se você estivesse passando os olhos pelos títulos. O mais curto é mais fácil de ler na minha opinião, mas eu acabei lendo o terceiro. Qual você escolheria?

Escolha do título significa tráfego para seu site (principalmente caso não mostre a notícia inteira no feed, apenas uma lista) e consequentemente mais cliques em anúncios, mais notícias lidas com você, mais possibilidade de conquistar leitores ou clientes.

Maior desenho do mundo é falso e o vírus da internet é bonzinho

mai 29, 2008   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  Nenhum comentário

A Wired andou questionando a veracidade do desenho e no final o artista acabou admitindo na própria página do suposto projeto que tudo não passa de pura ficção e que ele fez isso como parte de seu trabalho de graduação em Propaganda e Design Gráfico no Beckmans College of Design.

Além disso, a galera não perdoa e encontrou o “O mundo é minha tela” na rede – um site lançado pela Nokia para promover o N82. Lógico que todo mundo disse que o artista do maior desenho estava copiando, mas, segundo ele, o projeto já estava em andamento quando o The World is My Canvas entrou no ar.

No final todo mundo saiu ganhando. A DHL por ter deixado filmar seu centro de distribuição, o artista que ficou conhecido no mundo todo, a escola de design por criar essas “mentes brilhantes” e, de quebra, até a Nokia…

Quando o conteúdo da mensagem é adequado, o vírus da internet é benéfico. Não é malvado como o Influenza.

Seqüenciamento completo do DNA, eu também quero

mai 27, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

Li primeiro ontem no DutchNews.nl e depois fui ver a repercursão do fato nos principais portais de ciência, entre eles o ScienceDaily.

Os cientistas seqüenciaram o primeiro DNA de uma mulher. Não vou contar a notícia que pode ser lida aqui em português, mas quero só ressaltar o que podemos saber com um negócio desses.

Segundo li, agora ela descobriu que há 10 mil anos atrás, seus ancestrais habitaram a Polônia, Irlanda e Turquia, além de saber riscos acentuados de desenvolver doenças hereditárias ou mesmo câncer. A brincadeira traça sua árvore genealógica e ainda de quebra te ajuda a prolongar um pouco mais sua vida.

Não estou aqui me preocupando com pirataria genética ou outros sonhos cyberpunks, eu realmente quero saber quanto custa fazer o meu. Quem sabe em pouco tempo teremos kits para fazermos nós mesmos em casa…

Update (06/06/08): Li na Exame dessa semana uma reportagem que apontava o 23andMe, um site que vende um kit que revela algumas coisinhas sobre o seu DNA. Não é um sequenciamento completo, mas já é alguma coisa nesse sentido…

O maior desenho do mundo

mai 26, 2008   //   por Serendipidade   //   Criatividade / Inovação  //  5 Comentários

Li no NextWeb que o artista Erik Nordenankar fez o maior desenho do mundo. Ou melhor, o maior desenho e auto-retrato do mundo. Mas ele não fez à mão, ele mandou, com instruções de caminho específicas, uma maleta com um GPS que gravava sua posição de tempos em tempos. Depois de 55 dias ele recebeu a maleta de volta e plotou o desenho num mapa-múndi. O desenho tem mais de 110 mil quilômetros de extensão e passa por 6 continentes e 62 países.

Detalhe. Altamente viral e propagandístico para a DHL, que foi a responsável pelo transporte da maleta.

O resultado:

A maleta (clique no desenho para o site do projeto):

Benchmarketing versus Benchmarking

mai 21, 2008   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

Guerrilla action for Revero Denim made by Dear Communications Hub.Em fevereiro de 2006 escrevi um post sobre o uso do termo Benchmarketing (muito frequente no Brasil) para definir o que na verdade se chama Benchmarking. Num post seguinte apresentei uma metodologia para medir resultados. Relembrando:

Benchmarking é um processo contínuo de comparação dos produtos, serviços e práticas empresarias entre os mais fortes concorrentes ou empresas reconhecidas como líderes.

Essa comparação serve para que possamos ter uma base para verificar nossas próprias ações. O procedimento é normalmente conduzido internamente e muitas vezes os dados não são divulgados para o público. Principalmente quando seus resultados são piores que seus concorrentes.

Porém volto ao tema para uma pequena observação. Apesar de Benchmarketing não existir oficialmente, eu aposto que muitas empresas o praticam indiscriminadamente.

O termo Benchmarketing é há muito tempo usado para definir o comportamento de alguns fabricantes de placas de vídeo para computadores, que alteram de propósito os números de performance das placas, para se colocarem como melhores que os concorrentes. É literalmente vender gato por lebre.

Muitas empresas devem praticar esse pequeno “arredondamento” na performance dos produtos, ou mesmo manter o número correto mas comparar seu produto com um produto da concorrência pior para parecer na frente. Por isso existem tantas comissões e agentes reguladores nesse mundo. Trapaçar é humano.

Deixando a propaganda enganosa cometida propositalmente de lado, se a sua empresa emprega o termo Benchmarketing em seu website ou processos internos, cuidado! Saibam que isso significa literalmente assumir que vocês são mentirosos!

A foto é de uma ação de marketing de guerrilha que também é um Bench Marketing (Marketing em bancos)

Páginas:«1...78910111213...50»