Visualizando posts com a tag " brasil"

Benchmarketing versus Benchmarking

mai 21, 2008   //   por Serendipidade   //   Marketing / Negócios  //  Nenhum comentário

Guerrilla action for Revero Denim made by Dear Communications Hub.Em fevereiro de 2006 escrevi um post sobre o uso do termo Benchmarketing (muito frequente no Brasil) para definir o que na verdade se chama Benchmarking. Num post seguinte apresentei uma metodologia para medir resultados. Relembrando:

Benchmarking é um processo contínuo de comparação dos produtos, serviços e práticas empresarias entre os mais fortes concorrentes ou empresas reconhecidas como líderes.

Essa comparação serve para que possamos ter uma base para verificar nossas próprias ações. O procedimento é normalmente conduzido internamente e muitas vezes os dados não são divulgados para o público. Principalmente quando seus resultados são piores que seus concorrentes.

Porém volto ao tema para uma pequena observação. Apesar de Benchmarketing não existir oficialmente, eu aposto que muitas empresas o praticam indiscriminadamente.

O termo Benchmarketing é há muito tempo usado para definir o comportamento de alguns fabricantes de placas de vídeo para computadores, que alteram de propósito os números de performance das placas, para se colocarem como melhores que os concorrentes. É literalmente vender gato por lebre.

Muitas empresas devem praticar esse pequeno “arredondamento” na performance dos produtos, ou mesmo manter o número correto mas comparar seu produto com um produto da concorrência pior para parecer na frente. Por isso existem tantas comissões e agentes reguladores nesse mundo. Trapaçar é humano.

Deixando a propaganda enganosa cometida propositalmente de lado, se a sua empresa emprega o termo Benchmarketing em seu website ou processos internos, cuidado! Saibam que isso significa literalmente assumir que vocês são mentirosos!

A foto é de uma ação de marketing de guerrilha que também é um Bench Marketing (Marketing em bancos)

Bradesco pensa em Twitter e a imprensa pensa…

abr 8, 2008   //   por Blog Corporativo   //   Métricas  //  4 Comentários

…nas empresas pioneiras!

No blog da Sandra Carvalho, diretora do Núcleo de Tecnologia da Editora Abril, formado pelas revistas, sites e eventos da marca INFO, encontrei as seguintes notas sobre empresas e web:

  • Há tempos o banco [Bradesco] acompanha os blogs, de ouvido aberto para a sabedoria das multidões.Nada mais natural, agora, que volte a atenção para os microblogs [Twitter].
  • A construtora Tecnisa encerrou 2007 vendendo um apartamento por dia pela web. Este ano, a média já chegou a 1,66 e a meta é atingir duas unidades diárias. A empresa tem um blog sem moderação, uma raridade entre blogs corporativos.

Não vejo a hora de publicar minha 2a edição do livro com algum estudo de caso realmente brasileiro. Isso é algo que estava longe de acontecer naquela época. Mas nunca é tarde para você, empresa, rever suas prioridades percebendo que a imprensa ADORA falar sobre o assunto web 2.0 e negócios. Só de aparecer na mídia assim você pode estar economizando alguns trocados para um tipo de publicidade interessante.

Só no site INFO, de acordo com o PubliAbril, o anúncio no site mais barato custa 53 reais por mil impressões (CPM). Como a notícia acima não foi um link nem um banner, só uma menção ao nome da marca, vamos dividir o preço por 5, dando aproximadamente 10 reais de CPM. Com quase 2 milhões de visitantes únicos por mês, vamos estimar que 10% disso leu essa notícia e viu sua marca ao longo de 1 ano. Isso daria 200 mil impressões, o que custaria 2 mil reais.

Se não errei na matemática isso parece pouco. Mas tomando o exemplo de que eu estou aqui mencionando essa reportagem no meu blog, isso acrescenta valor na idéia. É mais difícil de mensurar mas acho que você já conseguiu imaginar alguma coisa.

Blogueiro brasileiro morre de infarto?

abr 8, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  Nenhum comentário

O IDG Now reporta: “New York Times destaca casos de blogueiros que sofreram infarto e relata os males do trabalho 24 horas por dia, sem interrupção. A atividade de blogueiro começa mostrar sinais que podem enquadrá-la na categoria de “profissões de risco”, confome mostra uma reportagem do New York Times.”

1 – Galera, pega leve na blogosfera. Tem gente parando de trabalhar durante o dia (como eu nesse momento) para postar alguma coisa. 1 vez ao dia não faz mal, mas tudo em exagero faz mal. Mas, no fundo, algo me diz que brasileiros, mesmo quando 100% dedicados como blogueiros, dificilmente vão se estressar tanto como os americanos.

2 – A morte é uma das únicas certezas nessa vida. Se blogar é algo que realmente o deixa feliz, morra blogando, mas morra feliz. Se você quer viver mais ou blog é seu meio de vida porém não traz felicidade, reveja seus conceitos e estabeleça margens entre trabalho (blog), vida social e entretenimento off-line.

3 – Blog é blog. Está em pauta, todo mundo fala nisso hoje em dia. Porém, se a reportagem mostrou só 2 blogueiros que falerecam de infarto em uma blogsfera de mais de 150 milhões de blogs, acho que estamos indo bem.

4 – Acho que não levo reportagens muito a sério porque na maioria delas sinto que existe muita generalização de conceitos e não fatos comprovados e empíricos atingindo larga escala de diferentes aspectos do assunto em questão. Talvez eu esteja redondamente enganado, mas ceticismo (ainda quando tenho uma religião) é uma palavra que me agrada muito. Mas já fugi completamente do assunto o qual comecei essa discussão. That’s what blogging is about!

Imprensa orgulhosa

mar 4, 2008   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  9 Comentários

Este não é um post destinado aos “guerreiros” da já eterna batalha entre blogueiros e a imprensa, esse blá blá blá que, nessa altura do campeonato, não serve de absolutamente NADA para os leitores. É só falação para próprio umbigo ouvir.

Mas esse pedaço de texto vai para os repórteres de diversos cantos do Brasil que, ao pedir uma entrevista para você, te inundam com toneladas de perguntas dizendo que o deadline é amanhã e depois desaparecem.

Sou sempre prestativo e respondo rapidamente dedicando alguns minutos da minha valiosa hora de trabalho que hoje em dia está em torno de quase 200 euros por hora de consultoria. Afinal de contas, a imprensa é um dos canais (não o principal, porque esse é este blog que vos fala e meus leitores) de comunicação que tenho com o mercado para a divulgação das minhas idéias.

O problema é que, depois que você envia as valiosas respostas, a comunicação morre. Você não recebe sequer um “obrigado”. Quando você pede a eles para enviar um exemplar da revista quando sair, são poucos os que o fazem. Será que a mãe deles não ensinou como serem educados? Ou eles só estão tentando manter a imposição “top-down” que temos que engolir diariamente na imprensa tradicional? Ou pior, já estão tão institucionalizados que já começaram agir como empresas sofrendo com o deficiente processo de relacionamento com o cliente?

Diálogo já! Porque nessa vida dependemos dele para nossa sobrevivência.

Pirataria no Brasil

fev 21, 2008   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

Em tempos que o primeiro internauta Brasileiro foi condenado por pirataria de músicas, eu convido meus leitores a refletir sobre o assunto visitando um antigo post que publiquei há mais de dois anos atrás.

Blog do Carrefour Brasil

fev 11, 2008   //   por Blog Corporativo   //   Blog Corporativo  //  8 Comentários

Me deparei hoje com o “Eu uso a cuca“, um blog mantido oficialmente pela rede de supermercados Carrefour. Estamos de olho.

Algumas observações:

- O supermercado possui uma marca forte, mas 7 comentários num dos primeiros posts em 4 dias soou estranho (até pelo teor dos mesmos).

- O post “boas vindas” tem a data de hoje e diz: “Consumidor: este espaço é seu! Ele foi criado para estreitar a sua relação com o Carrefour. Mande suas sugestões, dicas e receitas. Compartilhe informações com outros consumidores do Brasil todo. Conte como você planeja seu orçamento doméstico e forneça dicas para otimização das compras, com qualidade! Não fique fora dessa. Convide seus amigos e familiares! Participe: mande seus comentários ou vídeos. Use a CUCA!” – Se os leitores ou autores de posts derem dicas de orçamento doméstico, taí uma coisa que eu gostaria de ver num blog.

- O blog diz que publicará vídeos com dicas de leitores e apresenta dicas de culinária e dicas relacionadas ao direito do consumidor. São temas bacanas e que tem haver com o “meio-ambiente” o qual o supermercado está inserido. Além disso relaciona o blog ao fato de que o consumidor é inteligente e está sempre de olho para evitar gastos ou contratempos. O tema está aprovado.

Problemas dos blogs nas empresas

fev 7, 2008   //   por Blog Corporativo   //   Crises, problemas e riscos  //  7 Comentários

Quando eu estava escrevendo o livro eu pensava: “Não deve demorar muito para o primeiro funcionário brasileiro ser demitido por causa de blogs”, ou mesmo “Assim que a moda pegar, certamente alguma empresa desavisada vai ter problemas com isso”.

Hoje olho pra trás e percebo que não me recordo de ter visto nenhum dos dois casos acima no Brasil ainda. Alguém se lembra de algo?

Acho que o pior que possa ter acontecido a uma empresa que tentou blogar foi ter ficado sem audiência por não se dedicar apropriadamente. É preciso ter consistência e persistência.

Comunidades no infinito, vida plugada e CRM

jan 12, 2008   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  2 Comentários

2008 vai ser o ano da explosão social. Em 2008 o número de websites com foco em nichos e pequenas comunidades de “like-minded people” vai alcançar topos maiores, e acredito sériamente que poderá crescer ainda mais tendo em vista o crescimento vegetativo da internet e o oportunismo automático que isso tudo pode gerar em terceiros.

Eu vivi boa parte da minha vida sem Internet. As comunidades não são essenciais para o crescimento de uma pessoa, mas interferem na evolução humana muito mais do que imaginamos. Aceleram o processo, talvez exageradamente. Pesquisas são muito mais fáceis de executar, as pessoas estão mais conectadas às fontes de informação ou outras pessoas. O acesso por mera curiosidade de um novo internauta alimenta uma indústria de propaganda de tamanhos inimagináveis. E essa propaganda, ao menos em celulares, em 2008, estará mais direcionada e relevante. De fato o rumo agora é estarmos conectados a esse mundão virtual mesmo quando estivermos nas ruas. O 3G bate na porta dos brasileiros com força em breve.

A busca pela velocidade de acesso à Internet já não é mais o foco das discussões. Agora a onda será discutir quanto dessa velocidade o cliente está afim de pagar ou mesmo necessita ter, porque a partir de um certo ponto não será necessário ter 100M ou 2Gbits/s, nessas velocidades você já estará assistindo HDTV, ouvindo um stream de música, acessando websites e ainda terá muita banda de folga… passa a ser estranha a relação que vamos ter com a Internet.

Enquanto esse mundo anda acelerado, as empresas continuam com seus “currais departamentalizados” com foco no produto ou na oferta e não no cliente. Melhor ainda, com foco no umbigo. Na onda de fusões e aquisições sobrará espaço para as consultorias nadarem de braçadas porque na compra de uma empresa gasta-se muito, dependendo no nível de dívida da empresa comprada gasta-se mais. E em CRM, menos. Daí o cliente recebe 3 faturas, uma para telefone, uma para TV a cabo e uma para Internet e não consegue, dentro da sua capacidade de raciocínio, entender porque uma empresa única (chamada elegantemente de “Triple-Play“) não consegue ter uma fatura única e um call center para reclamar único.

Com eletrônicos cada vez mais presentes dentro de nossas casas, TV digital com DVR que consome muito mais que aquele mero conversor UHF/VHF, cable modems, carregadores de celular e até mesmo SERVIDORES, haja apagão para dar conta. Os recursos naturais serão suficientes? Temos a energia nuclear, que é mais limpa que imaginamos e bastante disponível, mas ninguem acredita nisso. Eles dizem: “É melhor emitir carbono das usinas de carvão, ninguém morre com acidentes nucleares…” (mas essas usinas emitem mais radiação na atmosfera que uma usina nuclear).

Haja planeta para aguentar…

'Estrangeiridades'

jan 7, 2008   //   por Serendipidade   //   Serendipidade  //  3 Comentários

Inventei um novo neologismo. O neologismo para aqueles que são estrangeiros e não tem a mínima idéia do que fazer muitas vezes, e acabam cometendo estrangeiridades. Por aqui as coisas andam bastante no frio e a cada dia a idealização do meu segundo livro parece mais distante. O trabalho é cruel e a adaptação é como uma pimenta nos olhos. No entanto gostaria de enumerar (porque listas são bem mais fáceis de elaborar e, conseqüentemente, de ler) alguns achados que considero importantes:

  • Apesar de todo bafafá em torno do 3G em 2000, a coisa ainda não evoluiu como eu pensava. Aqui na Holanda apenas 5% do tráfego de dados na rede celular corresponde ao 3G (UMTS ou HSDPA), o qual é o mais veloz – contraditório e curioso. Será que no Brasil vai pra frente?
  • O pessoal por aqui come uma quantidade industrial de óleo, gordura e afins. Batata-frita é o carro chefe acompanhando de deliciosos e crocantes croquetes, hamburgueres e outras frituras do gênero saboroso. Pior foi notar que eles quase não almoçam, e quando fazem é um lanchinho regado a iogurte.
  • Teclado é teclado, mas se adaptar a um novo teclado é sempre um desafio interessante e que deixa sequelas.
  • Imersão em outra língua é extenuante. Mas o troféu joinha da alegria vai para uma bela compra num supermercado. Principalmente para os produtos que você não sabe do que se trata.
  • Feliz a minha descoberta ao notar que as empresas aqui tem praticamente os mesmos velhos problemas de CRM e de processos que no Brasil. Só que aqui a concorrência é pesadíssima.
  • I’m from Holland, where the f*** you from?

Resolução para 2008: Escrever meu 2o livro e tentar manter os meus blogs vivos!

Natal social via blogs

nov 28, 2007   //   por Serendipidade   //   Comportamento  //  2 Comentários

bs_banner.jpg

O Yassuda me linkou e acabei vendo um post bacana sobre uma campanha de natal filantrópica que partiu de um blogueiro. A cidade de São Paulo já tem sua representante para sugerir e encaminhar benevolências, ela está começando com um BarCamp de solidariedade.

Há dois anos eu mantenho o link na barra ao lado para a ONG Filantropia.org liderada pelo Stephen Kanitz. É legal porque podemos doar dinheiro ou bens para uma lista de 50 entidades brasileiras. E o melhor: sem sair de casa (para os mais acomodados).

Parabéns galera pela iniciativa!

Páginas:«1234567...15»